BMKCT11 MktCmn1310
107 pág.

BMKCT11 MktCmn1310


DisciplinaMarketing19.493 materiais108.469 seguidores
Pré-visualização35 páginas
esta é uma grande 
oportunidade de ampliar efetivamente a sua fatia no mercado, abocanhando um pedaço que coube até hoje aos 
automóveis e integrando a operação entre os diferentes modos.
a nova Lei, portanto, reconhece a existência de desigualdades no uso do espaço público e a geração de 
externalidades negativas por determinados modos. disponibiliza ainda instrumentos de gestão de transporte e 
trânsito, para compensação dessas desigualdades, e abre a possibilidade para que ações e investimentos das 
prefeituras que venham a contrariar as diretrizes fixadas na lei possam ser contestados pela sociedade.
em todos os sentidos, nesta nova conjuntura que começa a se consolidar, observamos um perfil de 
empoderamento da nova classe média, que se mostra um consumidor exigente e politizado, apesar de mal 
informado. Para aproveitar a maré, precisamos acreditar no empoderamento da sociedade civil, através de 
informação para a valorização do conceito de coletivo. é preciso inverter a relação com o público: informar 
e mobilizar a opinião pública, para pressionar pelas medidas e políticas necessárias, para atentar às suas 
expectativa, segundo as diretrizes estabelecidas na Lei de Mobilidade Urbana.
O coletivo \u2013 a idéia de coletivo está associada à noção de bem público, bem comum, em oposição ao interesse 
privado. O conceito de coletivo é uma representação do motto \u201ca união faz a força\u201d enunciado por esopo na fábula 
do feixe de varas e apropriado por movimentos tão distintos quanto a resistência universitária francesa, durante a 
Primeira Guerra Mundial, 1914-19, e o fascismo de Mussolini, na guerra seguinte de 1939-1945.
\uf038 A N T p \uf038 s é R i e C A d E R N O s T É C N I C O s \uf038 V O L U M e 1 17 0
pROGRAMA dIálOGO JOvEM - fETRANspOR sOCIAl 
Márcia Vaz - Gerente Responsabilidade social -FeTRansPOR
Luiza Genari especialista em Responsabilidade social - FeTRansPOR
O projeto \u2018diálogo Jovem sobre Mobilidade\u2019 foi desenvolvido pela área de Responsabilidade social da 
FeTRansPOR para fomentar transformações importantes em seu modelo de negócio, que utiliza o diálo-
go como principal metodologia de trabalho entre os diferentes stakeholders. O jovem foi escolhido como 
protagonista deste modelo pelo seu perfil inovador, dinâmico, ousado, e por estar sempre conectado às 
novas tecnologias \u2013 sobretudo as redes sociais \u2013 o que faz dele um potencial formador de opinião. além 
dessas características desejáveis em processos de transformação, o jovem faz parte do sistema e também 
representa o futuro cliente \u2013 público estratégico e principal beneficiário dos programas de Responsabili-
dade social da FeTRansPOR, como o \u2018Mobilidade cidadã\u2019 \u2013 programa incorporado ao diálogo Jovem e que 
promove encontros entre estudantes de escolas públicas para debater sobre mobilidade.
O Programa surgiu com o desafio de incorporar a cultura do diálogo aberto dentro da Federação \u2013 
aproveitando-se da experiência bem-sucedida do Programa Mobilidade cidadã \u2013 e de conquistar o apoio 
dos stakeholders do sistema. dessa forma, o diálogo Jovem agregou diversas inovações no sistema Fe-
transpor, como: 
\u2022 A elevação do Jovem e futuro cliente ao papel de protagonista no sistema; 
\u2022 A adoção do programa pelos líderes das organizações envolvendo pessoas que viessem a dar 
 credibilidade e perenidade ao diálogo;
\u2022 O diálogo entre stakeholders internos e externos, independentemente de idade, cargo ou função, 
 no coração do negócio; 
\u2022 O empoderamento dos stakeholders na construção colaborativa de propostas para o sistema; 
\u2022 A utilização de metodologias participativas e não hierárquicas de interação e diálogo, inclusive 
 nas mídias sociais; 
\u2022 A utilização da arte na busca de soluções criativas; 
\u2022 O debate com jovens sobre o tema mobilidade de forma interdisciplinar; 
\u2022 A promoção da mudança da cultural organizacional como forma de melhorar a qualidade do 
 serviço prestado aos clientes; 
\u2022 O protagonismo da área de Responsabilidade Social ao propor uma iniciativa com impacto direto 
 e indireto no modelo de negócio da FeTRansPOR.
O programa-piloto foi lançado no 15º eTRansPORT em 2012, um dos maiores eventos sobre transpor-
te na américa Latina e por onde passariam mais de 10 mil pessoas. Foram selecionados 60 jovens, entre 
participantes do Programa Mobilidade cidadã, aprendizes e estagiários que trabalham na Federação e nas 
empresas do sistema, que tiveram a oportunidade de trocar experiências, participar de palestras, conhecer 
novas tecnologias, entrevistar e dialogar com executivos do setor e outros convidados. ao final do evento 
elaboraram propostas de melhorias no setor e apresentaram três delas, juntamente com um vídeo parti-
cipativo produzido por eles, na plenária de encerramento do evento com mais de 400 pessoas presentes, 
7 1M A R K E T I N G E C O M U N I C A Ç Ã O \uf038 O U T U B R O / 2 0 1 3 \uf038
incluindo stakeholders da Federação, lideranças políticas, jornalistas, empresários e o público em geral.
além de encantar e conquistar o apoio dos stakeholders da Federação, o programa-piloto validou 
a proposta do diálogo, incorporou ideias ao planejamento estratégico de 2013 da FeTRansPOR, desen-
cadeou novos encontros, gerou 3 matérias em revistas e atingiu 300 membros no grupo do Facebook e a 
repercussão na mídia atingiu um público de mais de 130 mil pessoas. Os encontros presenciais envolveram 
três coordenadorias Regionais de educação \u2013 cRe, que representam 317 escolas com 234 mil alunos e 15,4 
REsUlTAdOs dIálOGO JOvEM 2012
\u2022 57 jovens durante os 3 dias do 15º eTRansPORT
\u2022 28 empresas de ônibus envolveram seus líderes 
 e colaboradores; 
\u2022 8 sindicatos mobilizaram seus líderes, 
 colaboradores e empresas. 
\u2022 estudantes da 9ª coordenadoria Regional 
 de educação;
REsUlTAdOs pARCIAIs dIálOGO JOvEM 2013
\u2022 59 jovens oriundos de 19 empresas de ônibus, 
 2 sindicatos, Fetranspor, do BsG - Grupo Busólogos 
 de são Gonçalo e da rede municipal de educação.
 Provenientes de 12 municípios do estado do RJ.
Contribuição do Diálogo Jovem para superar os desafios do Sistema de Transporte
IMpACTOs dIRETOs
GOvERNANÇA
\u2022 dinamizar a gestão;
\u2022 Promover a cultura da inovação;
\u2022 compartilhar know-how;
\u2022 Integrar os stakeholders 
ao planejamento 
estratégico do sistema;
\u2022 incorporar ao sistema 
o que cada stakeholder 
tiver de melhor para oferecer;
\u2022 Promover um ambiente 
de trabalho transparente.
COMUNICAÇÃO INsTITUCIONAl
\u2022 Melhorar a imagem do sistema;
\u2022 aprimorar a comunicação interna e externa.
IMpACTOs INdIRETOs
GEsTÃO dE pEssOAs
\u2022 Reduzir a rotatividade
do setor;
\u2022 capacitar, fortalecer e 
valorizar os colaboradores;
\u2022 Tornar o setor 
de transportes atrativo para 
atuais e novos 
talentos.
QUAlIdAdE
\u2022 Melhorar a qualidade do atendimento;
\u2022 Reduzir o índice de acidentes.
NEGÓCIOs
\u2022 Fidelizar os clientes atuais;
\u2022 conquistar futuros clientes;
\u2022 Oferecer outros 
produtos e serviços;
\u2022 adotar tecnologias 
sustentáveis;
\u2022 Otimizar recursos;
\u2022 integrar o ônibus 
aos demais modais;
\u2022 Melhorar a gestão 
socioambiental;
\u2022 Promover o conhecimento 
sobre mobilidade.
\uf038 A N T p \uf038 s é R i e C A d E R N O s T É C N I C O s \uf038 V O L U M e 1 17 2
Para quem pensa, opera e gerencia o transporte público, esta oposição se expressa sobretudo nas ruas, no 
espaço que se concede ao ônibus, entendido como público/coletivo, em contraste com o automóvel, privado/
individual. até porque esta disputa tem lugar na superfície, ombro a ombro.
O discurso do \u201ccoletivo\u201d é consistente e tem aderência às aspirações sociais. é um discurso com 
reverberação política intensa, mas, ainda assim, a sociedade não se apoderou dele completamente. Também não