1º Boletim de Geração de Energia Elétrica
29 pág.

1º Boletim de Geração de Energia Elétrica


DisciplinaEngenharia de Energia56 materiais549 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Uma das novidades é possibilidade de instalação de geração distribuída em 
condomínios 
 
 
 
Medida do governo estimula uso de painéis solares fotovoltaicos 
 
Tornar mais atrativas medidas que produzam energia, como instalação de painéis 
solares fotovoltaicos, foram aprovadas pela diretoria da Agência Nacional de Energia 
Elétrica (Aneel). Na prática, a agência criou o Sistema de Compensação de Energia 
Elétrica, por meio de aprimoramentos na Resolução Normativa nº 482/2012. 
Além dos painéis solares fotovoltaicos, as medidas estimulam o uso de 
microturbinas eólicas para gerar sua própria energia, por meio da troca de energia com a 
distribuidora local com objetivo de reduzir o valor da fatura de energia elétrica. 
A Aneel prevê que até 2024 cerca de 1,2 milhão de unidades consumidoras 
passem a produzir sua própria energia, totalizando 4,5 gigawatts (GW) de potência 
instalada. 
Sobre a resolução 
 
A modernização da resolução se insere nas medidas coordenadas pelo Governo 
Federal para que cada vez mais brasileiros gerem sua energia. Além da alteração da 
resolução, o Ministério de Minas e Energia (MME) também estimulou a mudança na 
tributação da energia produzida. 
01 de Dezembro de 2015 ENG 447 
 
11 
 
Segundo as novas regras da resolução, que começam a valer a partir de 1º de 
março de 2016, será permitido o uso de qualquer fonte renovável para a micro e mini 
geração distribuída, enquadrando nesse conceito central geradora com potência 
instalada até 75 quilowatts (KW). Já a minigeração distribuída será aquela com potência 
acima de 75 kW e menor ou igual a 5 MW (sendo 3 MW para a fonte hídrica). 
Um convênio levado ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e já 
firmado pelos Estados de São Paulo, Goiás e Pernambuco prevê que o consumidor não 
pagará o tributo estadual (ICMS) sobre a energia que ele próprio gerar, mas apenas 
sobre o excedente que consumir da rede de distribuidoras. Por exemplo, uma família 
que consome 200 kWh ao mês e que produza 120 kWh, recolherá ICMS apenas sobre 
80 kWh. 
De acordo com a resolução, quando a quantidade de energia gerada em 
determinado mês for superior à energia consumida naquele período, o consumidor fica 
com créditos que podem ser utilizados para diminuir a fatura dos meses seguintes. De 
acordo com as novas regras, o prazo de validade dos créditos passou de 36 para 60 
meses, sendo que eles podem também ser usados para abater o consumo de unidades 
consumidoras do mesmo titular situadas em outro local, desde que na área de 
atendimento de uma mesma distribuidora. Esse tipo de utilização dos créditos foi 
denominado \u201cautoconsumo remoto\u201d. 
Outra inovação da norma diz respeito à possibilidade de instalação de geração 
distribuída em condomínios (empreendimentos de múltiplas unidades consumidoras). 
Nessa configuração, a energia gerada pode ser repartida entre os condôminos em 
porcentagens definidas pelos próprios consumidores. 
A Aneel criou ainda a figura da \u201cgeração compartilhada\u201d, possibilitando que 
diversos interessados se unam em um consórcio ou em uma cooperativa, instalem uma 
micro ou minigeração distribuída e utilizem a energia gerada para redução das faturas 
dos consorciados ou cooperados. 
Com relação aos procedimentos necessários para se conectar a micro ou 
minigeração distribuída à rede da distribuidora, a Aneel estabeleceu regras que 
simplificam o processo: foram instituídos formulários padrão para realização da 
solicitação de acesso pelo consumidor. 
O prazo total para a distribuidora conectar usinas de até 75 kW, que era de 82 
dias, foi reduzido para 34 dias. Adicionalmente, a partir de janeiro de 2017, os 
01 de Dezembro de 2015 ENG 447 
 
12 
 
consumidores poderão fazer a solicitação e acompanhar o andamento de seu pedido 
junto à distribuidora pela internet. 
 
Fonte: Portal Brasil \u2013 Em 27/11/2015 
Contribuinte: Alaine Soares 
 
 
 
Região Sul bate recorde na 
geração de energia eólica 
Na Bahia, fim dos testes em subestação vai permitir maior escoamento de energia 
eólica. 
 
Depois dos seguidos recordes de geração eólica no Nordeste e no montante 
produzido em todo o país, as usinas eólicas da região Sul alcançaram a maior marca já 
registrada. Segundo o Ministério de Minas e Energia, na última sexta-feira, 20 de 
novembro, a geração eólica na região alcançou 1.097 MW médios. Essa energia gerada 
pelos ventos na região Sul no dia é suficiente para abastecer aproximadamente 4,85 
milhões de unidades consumidoras residenciais, com base no consumo médio de 
energia elétrica residencial de 5,5 kWh/dia. 
Com a expansão da geração elétrica no Brasil privilegiando as fontes limpas e 
renováveis, a energia eólica vem batendo sucessivos recordes. No dia 2 de novembro, a 
geração eólica no Sistema Interligado Nacional chegou a 4.215 MW médios, superando 
os 3.921,5 MW médios gerados no dia 9 de agosto de 2015, e atingindo marca recorde. 
No mesmo dia, a geração eólica no Nordeste também registrou seu maior montante, 
com 3.198 MW médios gerados pelos ventos. 
Para escoar ainda mais a energia produzida pelas usinas eólicas, foram 
concluídos na semana passada os testes de energização do segundo transformador, 
230/138 kV de 100 MVA, da subestação Senhor do Bonfim II, da Chesf, localizada na 
Bahia, e da linha de transmissão 230 kV Igaporã II / Igaporã III, também da Chesf. Esta 
LT vai permitir o escoamento de geração proveniente de parques eólicos instalados na 
região. 
 
Fonte: Canal Energia \u2013 Em 25/11/2015 
Contribuinte: Fernando Sérgio 
 
01 de Dezembro de 2015 ENG 447 
 
13 
 
 
Norte Energia cumpre obras 
condicionantes e recebe licença 
para operar a UHE Belo 
Monte 
 
 A Norte Energia recebeu, nesta terça-feira (24/11), a Licença de Operação 
(LO) da Usina Hidrelétrica Belo Monte, concedida pelo Instituto Brasileiro do Meio 
Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Localizada no sudoeste do Pará, 
Belo Monte terá capacidade instalada de 11.233,1 MW, energia suficiente para 
abastecer até 60 milhões de pessoas. 
 
 
Casa de força complementar do sitio Pimental 
(Foto Regina Santos/ Norte Energia) 
 
No Leilão realizado em 2010, 70% da Energia de Belo Monte foi vendida para 
Concessionárias de Distribuição de Energia Elétrica e vai ser distribuída em 17 estados 
do Brasil. 
Para o cumprimento do Projeto Básico Ambiental (PBA), foram investidos cerca 
de R$ 4 bilhões em ações socioambientais nos cinco munícipios da Área de Influência 
Direta de Belo Monte: Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória 
do Xingu. Há ainda R$ 500 milhões aportados pela Norte Energia para o Plano de 
Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), para execução de projetos 
nos municípios das áreas de influência direta e indireta do empreendimento. 
01 de Dezembro de 2015 ENG 447 
 
14 
 
Melhora na qualidade de vida da população 
 
Em Altamira, milhares de famílias que viviam em palafitas nas áreas 
historicamente alagadas pelo Rio Xingu foram reassentadas em cinco novos bairros 
construídos pela empresa ou receberam indenizações e adquiriram imóveis em áreas 
saneadas do município. 
As casas dos novos bairros foram construídas em terrenos de 300 metros 
quadrados