GESTÃO DE ESTOQUES E OPERAÇÕES INDUSTRIAIS
318 pág.

GESTÃO DE ESTOQUES E OPERAÇÕES INDUSTRIAIS


DisciplinaGestão de Estoques74 materiais406 seguidores
Pré-visualização50 páginas
das atividades de armazenagem e transporte. Dessa forma, a 
atividade de Picking ganhou também muito mais importância, sendo um fator deci-
sivo no tempo de resposta. Deve ser flexível e com boa dose de tecnologia para asse-
gurar uma operação dentro das necessidades determinadas pelo cliente requisitante, 
utilizando sistemas de controle e monitoramento que suportem os níveis de serviço 
e qualidade exigidos.
Conforme Medeiros, a forma como se organiza a estratégia de Picking está asso-
ciada diretamente com o tempo de movimentação. Por estratégia de Picking deve-se 
entender como sendo a forma como se organiza o processo de separação de pedidos, 
planejando a quantidade de operadores por pedido, o número de diferentes produtos 
pegos em cada coleta e os períodos para agendamento ou agrupamento de pedidos 
durante um turno.
Existem alguns princípios que devem ser considerados na atividade de Picking 
(MEDEIROS, 1999. Adaptado):
 priorizar produtos de maior giro \u2013 o primeiro passo é identificar os produtos 
de maior giro. Na maioria dos casos será observado que um pequeno grupo 
de produtos corresponde à grande parte da movimentação em um armazém. 
Lei de Pareto, onde 20% dos produtos correspondem a 80% das movimenta-
ções. Os produtos de maior giro devem ficar nas posições de mais fácil acesso 
para os operadores;
G
es
tã
o 
de
 E
st
oq
ue
s 
e 
O
p
er
aç
õe
s 
In
du
st
ria
is
49
Logística de sup
rim
ento, de p
rodução e de distrib
uição e com
p
onentes do sistem
a logístico
 utilização de documentações claras e de fácil operacionalização \u2013 um docu-
mento de Picking deve fornecer instruções específicas e claras para o operador, 
de modo a facilitar a atividade de separação de produtos, como a localização 
do produto, descrição e quantidade requerida. Uma preocupação maior com 
a preparação dessa documentação diminui o tempo de leitura e de procura de 
produtos por parte do operador, diminuindo o tempo da atividade;
 organizar os pedidos de acordo com as configurações físicas \u2013 é necessário 
que cada pedido enviado para a área de Picking seja configurado de acordo 
com as restrições de localização dos produtos. Ou seja, na etapa de geração 
do documento de Picking, as listagens devem ser \u201cmontadas\u201d de forma a di-
minuir a movimentação do operador, além de observar sequencialidade e a 
proximidade dos produtos;
 manter um sistema eficiente de localização de produtos \u2013 um sistema eficiente 
de separação de pedidos necessita de um sistema de localização de produtos 
muito acurado. Com a padronização de endereços para a localização de pro-
dutos e utilização de tecnologias (WMS) que acelerem a identificação de uma 
posição, é possível reduzir o tempo de procura de um produto para frações de 
segundos, acelerando a atividade de separação de pedidos;
 evitar contagem de produtos durante a coleta \u2013 a contagem de produtos 
aumenta substancialmente o tempo de separação de pedidos. Tal atividade 
pode ser evitada com soluções simples de embalagens. Por exemplo, se o ope-
rador necessitar separar 1 000 unidades de um determinado produto e esse tal 
produto estiver agrupado em embalagens de 100 unidades, isso facilitará seu 
trabalho, além de ajudar a eliminar erros na separação;
 eliminação de documentos em papel \u2013 qualquer documento em papel toma 
demasiado tempo na atividade de Picking. A informação escrita deve ser lida, 
interpretada e algumas vezes comparada com algum sistema de controle, o 
que resulta em erros e perda de tempo. Existem tecnologias que estão se tor-
nando cada vez mais acessíveis, reduzindo e até eliminando o fluxo de papéis, 
incluindo leitores de código de barras, sistemas de reconhecimento de voz e 
terminais de radiofrequência.
Soluções tecnológicas de armazenagem como WMS, código de barras e leitores, 
impressoras, radiofrequência, RFID etc., são sistemas de controle que recebem, identi-
ficam, armazenam, posicionam e coletam produtos com alta precisão, acuracidade e 
velocidade, com um mínimo de interferência humana e circulação de papéis. Tais siste-
mas também controlam e reduzem o tempo de movimentação do operador, aumen-
tando a produtividade, facilitando de maneira considerável a atividade de Picking.
50
Processo de manufatura responsiva
Com a constante intensificação da competição empresarial, as empresas começa-
ram a buscar novas maneiras de se diferenciarem frente às concorrentes. Essas novas 
maneiras de se diferenciarem obrigaram essas empresas a adotarem múltiplos objeti-
vos de desempenho, como qualidade, flexibilidade, baixos custos com alta produtivi-
dade, rapidez, pontualidade e diversidade de produtos oferecidos.
A manufatura responsiva pode ser enquadrada dentro desses objetivos de de-
sempenho, a qual opera em um ambiente industrial que visa basicamente à melhoria 
do tempo de produção, à capacidade de produzir uma grande variedade de produtos, 
à fidelidade aos prazos estabelecidos e a não perder o foco na redução dos custos 
(SLACK; CHAMBERS; HARLAND, 1997).
Para que uma empresa manufatureira se enquadre verdadeiramente dentro de 
um processo de manufatura responsiva, ela deve possuir atributos importantes que 
possibilitem sua efetiva diferenciação frente aos seus concorrentes no mercado e, 
dentre esses atributos obrigatórios, destacam-se:
 flexibilidade \u2013 poder operar com uma grande variedade de produtos ou ter ca-
pacidade de se adaptar rapidamente a mudanças por questões de prioridades 
ou mercadológicas; por exemplo, trocar um determinado tipo de produto em 
processo devido à necessidade de atendimento de um pedido mais urgente 
ou prioritário para aquele momento;
 rapidez \u2013 compromisso com a redução do tempo de resposta aos clientes, 
ou seja, ser ágil no atendimento de um pedido emergencial ou até mesmo 
circunstancial;
 pontualidade \u2013 relacionada ao cumprimentos dos prazos, pode-se dizer que é 
o atributo mais crítico, visto que de nada adianta ser rápido e bastante flexível 
se não efetuar a entrega do produto em tempo hábil.
Manufatura responsiva, portanto, consiste em um processo que dê respostas rápi-
das às condições de um mercado em constantes mudanças, implicando processos de 
produção mais flexíveis, com capacidade de troca rápida e eficiente para customiza-
ções confiáveis, com altos níveis de qualidade e baixos custos.
O ideal para uma manufatura seria produzir todos os dias exatamente o que foi 
vendido no dia e que fosse vendido no dia sempre os mesmos produtos. Isso iria sin-
cronizar a produção com a demanda do mercado, fazendo diariamente pequenos 
lotes do que é requerido, em ciclos regulares. Com isso, a manufatura teria seu fluxo 
balanceado, recursos minimizados e confiabilidade total, ou seja, o fluxo estaria perfei-
G
es
tã
o 
de
 E
st
oq
ue
s 
e 
O
p
er
aç
õe
s 
In
du
st
ria
is
51
Logística de sup
rim
ento, de p
rodução e de distrib
uição e com
p
onentes do sistem
a logístico
tamente balanceado, os recursos estariam sendo aproveitados ao máximo e as perdas 
do processo eliminadas. Evidentemente, não é isso que ocorre na prática.
Resumindo, atingir uma manufatura responsiva significa ser rápido, pontual e ter 
possibilidade de elaborar uma alta variedade de produtos, ou se adaptar à variação de 
produtos com facilidade, com clientes dispostos a pagar os mesmos preços por dife-
renciais como tempo de resposta e variedade de produtos oferecidos.
Processos push e pull
 Processos pull (puxado): a execução é iniciada em resposta aos pedidos dos 
clientes \u2192 a demanda é conhecida com certeza \u2192 são conhecidos como pro-
cessos reativos.
 Processos push (empurrado): a execução é em antecipação aos pedidos dos 
clientes \u2192 a demanda não é conhecida \u2192 são conhecidos como processos 
especulativos.
Exemplo 1: empresa que tem como estratégia de venda produtos
José
José fez um comentário
Estoques
0 aprovações
Carregar mais