Linguística Aplicada ao Ensino da Língua Portuguesa - Avaliando o Aprendizado
33 pág.

Linguística Aplicada ao Ensino da Língua Portuguesa - Avaliando o Aprendizado


DisciplinaLinguística Aplicada ao Ensino da Língua Portuguesa216 materiais734 seguidores
Pré-visualização11 páginas
obedecendo à estrutura adequada 
 a produção gramatical do aluno independentemente do sentido 
 
7
a
 Questão (Ref.: 201504734634) 
 
 
A visão atual de leitura como prática social nos leva a compreender que: 
I- é preciso que se produzam sentidos para os textos lidos, que se faça uma relação entre vários conhecimentos; 
II- o trabalho com diferentes gêneros textuais atrapalha o desenvolvimento da competência linguística; 
III- informações extralinguísticas são pouco utilizadas pelos alunos no processo de construção de sentido do texto; 
IV- o professor deve, ao escolher os textos para a sala de aula, avaliar o grau de dificuldade tanto gramatical quanto 
lexical aos quais seus alunos poderão ser submetidos. 
Estão corretas apenas as alternativas: 
 
 I, II e IV 
 II e III 
 I, II e III 
 II, III e IV 
 I e IV 
 
8
a
 Questão (Ref.: 201505225967) 
 
 
Vejamos um trecho dos PCN: 
No processo de produção de textos escritos, espera-se que o aluno: 
Redija diferentes tipos de textos, estruturando-os de maneira a garantir: 
* A relevância das partes e dos tópicos em relação ao tema e propósitos do texto; 
* A continuidade temática; 
* A explicitação de informações contextuais ou de premissas indispensáveis à interpretação; 
* A explicitação de relações entre expressões mediante recursos linguísticos apropriados (retomadas, anáforas, 
conectivos), que possibilitem a recuperação da referência por parte do destinatário. 
Isso justifica: 
 
 O ensino com foco em análise gramatical. 
 A metalinguagem. 
 O ensino de gêneros orais. 
 O ensino por meio de gêneros. 
 O ensino normativo. 
Aula 9 
1
a
 Questão (Ref.: 201505084822) 
 
 
Todo ponto de vista é a vista de um ponto. Para entender como alguém lê, é necessário saber como são seus olhos e qual 
é sua visão de mundo. (Leonardo Boff. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. Petrópolis, RJ: Vozes, 
1997, p. 9.) Considerando o fragmento de texto acima apresentado, analise o seguinte enunciado. Na leitura, fazemos 
mais do que decodificar as palavras porque a imagem impressa envolve atribuição de sentidos a partir do ponto de vista 
de quem lê. Assinale a opção correta a respeito desse enunciado. 
 
 As duas asserções são proposições verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira. 
 A primeira asserção é uma proposição verdadeira, e a segunda é uma proposição falsa. 
 As duas asserções são proposições verdadeiras, e a segunda não é justificativa correta da primeira. 
 A primeira asserção é uma proposição falsa, e a segunda é uma proposição verdadeira. 
 Tanto a primeira asserção quanto a segunda são proposições falsas. 
 
2
a
 Questão (Ref.: 201504637216) 
 
 
A noção antiga de texto trabalhava com a ideia de que 
I- ele é o produto, o resultado ou efeito, algo pronto e acabado, que sai da cabeça de um autor, a que, portanto, deve 
aderir a sensibilidade do leitor. 
II- é necessário um conjunto diversificado de competências (linguísticas, semântico-pragmáticas e situacionais) para 
percorrer um texto. 
III- todo texto apresenta as operações e/ou estratégias que são produtoras de sentido e que podem ser recuperadas como 
tais pelo leitor. 
Estão corretos os comentários: 
 
 I e II apenas 
 I, II e III 
 II apenas 
 I apenas 
 III apenas 
 
3
a
 Questão (Ref.: 201504740749) 
 
 
Considerando-se o modelo de descrição de leitura de Fulgêncio e Liberato (2000) e o conceito de Informação não visual 
(InV), qual das afirmativas a seguir está INCORRETA? 
 
 Nossa percepção acerca dos gêneros textuais faz parte da InV. 
 A InV é a informação captada pelos olhos. 
 A IV e a InV mantêm uma relação inversamente proporcional na leitura. 
 Nosso conhecimento de mundo se relaciona à InV. 
 A capacidade de fazer previsões e as inferências que fazemos acerca de um texto se relacionam à InV. 
 
4
a
 Questão (Ref.: 201504733467) 
 
 
A leitura é fundamental para a escola. Entretanto, a escola precisa definir o que é a leitura. Assim, se considerarmos 
leitura como um processo de depreensão de sentidos, o professore deve: 
 
 fazer com que o aluno tenha um conhecimento gramatical perfeito 
 incentivar que o aluno tenha sempre correção e clareza 
 fazer com que o aluno tenha um conhecimento de linguística 
 incentivar que o aluno consiga relacionar elementos textuais e extratextuais. 
 fazer com que o aluno saiba o que é certo e errado na leitura 
 
5
a
 Questão (Ref.: 201504740748) 
 
 
Os PCN de Terceiro e Quarto Ciclos tratam das competências a serem desenvolvidas nas atividades de leitura. As 
assertivas a seguir apresentam algumas dessas competências: I. Extração de informações não explicitadas, apoiando-se 
em deduções. II. Estabelecimento de progressão temática; III. Sintetização de informações com expressão, em 
linguagem própria, oralmente ou por escrito. 
 
 Todas estão corretas. 
 Somente I está correta. 
 Somente III está correta. 
 I e III estão corretas. 
 I e II estão corretas. 
 
6
a
 Questão (Ref.: 201505108558) 
 
 
A Memória de curto termo (MCT), também chamada de 
memóriadetrabalho',éumestágioemqueosignificadoperma\u2260cenaformaliteral. 
Essamemóriatem\u2229acidadedec\u2208coanoveitens,chamadosdefatias, 
e,umavezqueosignificadoseestabe\u2264ça,e\u2264seráenviadoàMemóriadeLongoTerm\u2299 AnossaMCT\u2229ta,dentreoutrascoisas: 
 Informações intertextuais. 
 Períodos e parágrafos. 
 Sílabas e palavras. 
 Textos e parágrafos. 
 Morfemas e textos. 
 
7
a
 Questão (Ref.: 201505084825) 
 
 
Leia o texto a seguir. 
"Ao lermos, se estamos descobrindo a expressão de outrem, estamos também nos revelando, seja para nós mesmos, seja 
abertamente. Daí por que a troca de ideias nos acrescenta, permite dimensionarmo-nos melhor, esclarecendo-nos para 
nós mesmos, lendo nossos interlocutores. Tanto sabia disso Sócrates como o sabe o artista de rua: "conversando também 
conheço o que é que eu digo." 
(Recepção e interação na leitura. In: Pensar a leitura: complexidade. Eliana Yunes (Org). Rio de Janeiro: PUC Rio; São 
Paulo: Loyola, 2002, p. 105 (com adaptações). 
A partir das reflexões do texto apresentado, assinale a opção correta a respeito da interação texto-leitor. 
 
 A leitura como descobrimento pressupõe uma postura pedagógica que reforça a tradição de leitura como 
confirmação da fala de uma autoridade. 
 A interação texto-leitor deve ser evitada, por fugir ao controle do autor e favorecer uma espécie de ¿vale 
tudo interpretativo¿. 
 A perspectiva apontada no texto favorece a vivência da leitura como autoconhecimento, em detrimento da 
leitura como identificação da expressão do outro. 
 A aproximação, no texto, entre o que sabia Sócrates e o que sabe o artista de rua, é incoerente porque os 
respectivos horizontes de expectativa são diferentes. 
 Para a leitura como descobrimento ser efetiva, é necessária a troca de idéias sobre a leitura; ler com o outro 
para nos conhecermos. 
 
8
a
 Questão (Ref.: 201505250169) 
 
 
Leia o texto a seguir. 
"Ao lermos, se estamos descobrindo a expressão de outrem, estamos também nos revelando, seja para nós mesmos, seja 
abertamente. Daí por que a troca de ideias nos acrescenta, permite dimensionarmo-nos melhor, esclarecendo-nos para 
nós mesmos, lendo nossos interlocutores. Tanto sabia disso Sócrates como o sabe o artista de rua: "conversando também 
conheço o que é que eu digo." 
(Recepção e interação na leitura. In: Pensar a leitura: complexidade. Eliana Yunes (Org). Rio de Janeiro: PUC Rio; São 
Paulo: Loyola, 2002, p. 105 (com adaptações). 
A partir das reflexões do texto apresentado, assinale a opção correta a respeito da interação