GESTÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES
126 pág.

GESTÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES


DisciplinaGestão de Produção4.518 materiais20.361 seguidores
Pré-visualização26 páginas
de 
Produção (PMP), que é um desdobramento do planejamento agregado que 
detalha quanto será produzido de cada um dos produtos das várias famílias 
existentes na empresa, bem como quando se dará essa produção.
O Programa Mestre de Produção, por possuir um nível de detalhamento 
maior do que o do planejamento agregado, é feito para um horizonte de 
tempo menor, geralmente em torno de seis meses, sendo o seu responsá-
vel, usualmente, um gerente de nível hierárquico intermediário. O PMP é um 
planejamento de atividades voltados ao atendimento da demanda por um 
produto final específico e, para isso, deve levar em consideração os estoques 
existentes desses produtos, os pedidos já recebidos (\u201cem carteira\u201d) e a pre-
visão de demanda. A análise dessas informações, ao longo do horizonte do 
PCP, permite a definição do quanto e quando deve ser produzido.
O PMP dos seis primeiros meses do perfume Blue Smell pode ser obser-
vado na tabela 2. A Programação Mestre da Produção começa pelo cálculo 
da demanda total, que é a soma da demanda prevista para cada mês com os 
pedidos já existentes em carteira e que devem ser entregues nesses mesmos 
meses. Em seguida, deve-se verificar a existência de estoques de produtos 
acabados, remanescentes dos meses anteriores. No caso do perfume Blue 
Smell, há 80 000 frascos em estoque.
O próximo passo é encontrar valores para a produção que permitam que 
a empresa atenda toda a demanda dos meses considerados e chegue ao fim 
do período da programação sem estoques de produtos acabados. O raciocí-
nio para a verificação dos resultados é simples: soma-se a produção ao esto-
que e subtrai-se a demanda total. O resultado é o estoque do mês seguinte. 
Na elaboração do PMP do Blue Smell, decidiu-se por uma produção mensal 
constante de 210 000 frascos. No primeiro mês, somando-se os 80 000 fras-
cos do estoque com os 210 000 produzidos, obtém-se 290 000 frascos, que 
atendem a demanda de 230 000 frascos e deixam 60 000 frascos em estoque 
para o mês seguinte. A decisão de produzir 210 000 frascos mensalmente 
mostrou-se acertada, pois atende toda a demanda, não produz estoques e, 
ao possibilitar a produção em volumes constantes, facilita grandemente a 
gestão da fábrica.
Sistemas e processos de produção
67
Tabela 2 \u2013 Programação Mestre da Produção do perfume Blue Smell (em 
1 000 frascos)
Perfume Blue 
Smell
Em 
atraso Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 O 
au
to
r.
Previsão da 
demanda 0 230 200 150 200 200 180
Pedidos em 
carteira \u2013 \u2013 60 \u2013 50 40 30
Total 230 260 150 250 240 210
Estoque 80 60 10 70 30 0 0
A produzir 210 210 210 210 210 210
+
\u2013
Planejamento das necessidades de material
Concluído o Programa Mestre de Produção, o gerente tem em mãos a 
informação do quanto deverá ser produzido de cada produto e quando. Isso 
é importante, mas não suficiente para que a operação da fábrica possa acon-
tecer. É preciso também determinar quais insumos deverão estar disponí-
veis e, caso seja preciso adquiri-los, quando isso deve ser feito. Essa etapa é 
conhecida como planejamento das necessidades de material (ou, em inglês 
Material Requeriments Planning \u2013 MRP).
A ideia central do MRP é determinar a demanda dependente em função 
da demanda independente. A demanda independente é a que existe pelo 
produto final e a demanda dependente é a que existe pelos componentes 
usados na sua produção. No caso do perfume Blue Smell, os componentes 
são a tampa, o rótulo, o vidro e o perfume, que é comprado pronto (ver figura 
5). Como serão produzidos 210 000 frascos por mês para iniciar os trabalhos 
na fábrica, será preciso que estejam disponíveis 210 000 tampas, 210 000 
rótulos, 210 000 vidros e 210 000 x 50ml = 10 500 000ml = 10 500 litros de 
perfume. Todos esses materiais precisarão ser adquiridos para a produção, 
mas, logicamente, da lista de compras deve-se descontar o que já existe em 
estoque.
68
Gestão de Produção e Operações
No planejamento das necessidades de material também se determina 
quando as compras devem ser realizadas. Isso é feito considerando o mo-
mento em que os materiais devem estar disponíveis e o tempo necessário 
para que eles sejam entregues após o pedido ser feito. Por exemplo, se o for-
necedor do vidro do perfume Blue Smell leva um mês para fazer a entrega de 
um pedido, esse pedido deve ser feito um mês antes do início da produção. 
Como sempre há a preocupação de se manter a menor quantidade possível 
de itens em estoque, as atividades devem ser programadas para o momento 
mais tardio possível, incluindo as compras. Isso é o que se chama de progra-
mação de trás para frente.
BLUE 
SMELL
BLUE 
SMELL
Tampa Rótulo Vidro 50ml de 
fragrância
O
 a
ut
or
.
Figura 5 \u2013 Explosão dos componentes do perfume Blue Smell.
Após a determinação de todos os componentes de cada produto (a sua 
explosão), é preenchido o registro do planejamento das necessidades de 
material, conforme é apresentado na tabela 3, referente à fragrância do per-
fume Blue Smell. Neste caso específico, existem duas limitações que devem 
ser respeitadas:
por uma imposição do fornecedor, os pedidos devem ser feitos em lo- \ufffd
tes de 5 000 litros;
o tempo de ressuprimento é de um mês. \ufffd
O processo tem início com um estoque de 13 500 litros que restaram da 
programação anterior e com uma compra já feita de 20 000 litros (para apro-
veitar uma promoção do fornecedor), que será entregue no mês quatro. No 
primeiro mês, o estoque existente garante a produção e sobram 3 000 litros. 
Sistemas e processos de produção
69
Para atender à demanda será preciso receber 10 000 litros para o segundo 
mês, que somados aos 3 000 litros que restaram do primeiro mês serão sufi-
cientes para a operação. Dado o tempo de ressuprimento de um mês, para 
receber 10 000 litros no mês dois, é preciso pedi-los no mês um. A repetição 
desse mecanismo, respeitando as limitações, permite o atendimento da de-
manda e conduz a um estoque final de 500 litros.
Tabela 3 \u2013 Registro das necessidades de material da fragrância Blue 
Smell (em litros)
Fragrância Blue 
Smell (litros) Antes Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 O 
au
to
r.
Necessidades 10 500 10 500 10 500 10 500 10 500 10 500
Recebimentos já 
programados
0 0 0 20 000 0 0
Estoque 13 500 3 000 2 500 2 000 11 500 1 000 500
Recebimentos 
dos pedidos
10 000 10 000 10 000
Fazer pedidos 10 000 10 000 10 000
O último passo da etapa de programação é consolidar em uma lista todos 
os materiais a serem comprados e a data em que os pedidos devem ser feitos. 
Essa lista também é conhecida pela sigla BOM, correspondente a Bill of Mate-
rials e deve abranger todos os itens necessários para fabricar o produto final.
O exemplo do fabricante de perfumes apresentado é propositadamente 
simples, por razões didáticas. Na prática, os produtos são muito mais com-
plexos e, normalmente, quando é feita a explosão surge uma grande quan-
tidade de peças e itens a serem comprados de um número também grande 
de fornecedores, cada um com um tempo de ressuprimento próprio. Isso 
aumenta em muito a complexidade do planejamento e para viabilizá-lo são 
utilizados softwares. Esses softwares, como é característico do ramo da infor-
mática, estão sempre sendo aperfeiçoados e, em função disso, chegaram, 
inclusive, a receber denominações novas, à medida que iam incorporando 
novas funcionalidades. Assim, quando os programas de computador começa-
ram a planejar todas as necessidades para a manufatura, incluindo mão-de-obra 
\u2013 e não mais somente os materiais \u2013, passaram a ser chamados de Manufac-
turing Resources Planning e usada a sigla MRP II, para diferenciá-los dos \u201canti-
gos\u201d MRP. Em uma expansão posterior, passaram a planejar o funcionamento 
de toda a empresa, incluindo as áreas comerciais, de Recursos Humanos e 
financeira e novamente tiveram sua denominação