Literatura Hispano-Americana - Avaliando o Aprendizado
24 pág.

Literatura Hispano-Americana - Avaliando o Aprendizado


DisciplinaLiteratura Hispano-americana265 materiais1.188 seguidores
Pré-visualização8 páginas
8
a
 Questão (Ref.: 201504622250) 
 
 
Entre os críticos é comum a opinião de que o Uruguai forneceu à América Hispânica sua primeira grande geração de 
prosadores de ficção. Dentre eles destaca-se o escritor Horacio Quiroga cujo estilo de escrita: 
 
 apresenta mensagens de otimismo e fé no futuro da América. 
 revela o seu gosto pelo grotesco e pelo extraordinário. 
 valoriza os temas da fé e da religiosidade indígenas. 
 resgata a tradição musical dos simbolistas. 
 adapta-se aos assuntos românticos. 
Aula 7 
1
a
 Questão (Ref.: 201505065184) 
 
Para ler a Obra de Borges é necessário: 
 
 vivenciar o tom romântico e a escolha do tema do passado. 
 observar os elementos históricos. 
 abandonar a busca de uma significação que concerne apenas à lógica. 
 refletir sobre a mulher amada que se transforma em um elementos unificador. 
 analisar a trajetória popular, tradicional, dos antigos argentinos. 
 
2
a
 Questão (Ref.: 201504620586) 
 
 
Poetisa, educadora, diplomata e feminista chilena, Gabriela Mistral marcou toda uma época literárria e política. Seus 
livros capitais são: DESOLACiÓN, TALA, e LAGAR. O título do primeiro livro traduz bem o caráter de sua poesia. 
Observe os versos transcritos, e marque o item que melhor os caracterize: 
"Desolação.../ O nevoeiro espesso,/ eterno, para que esqueça onde me lançou o mar,/ em sua onda de sal./A terra para 
onde fui não tem primavera:/ tem sua noite longa/ que como uma mãe / me esconde./O vento invade a minha casa com 
sua onda de soluços,/ e de ruídos, e quebra, como um cristal, meu grito./ E na planície branca, do horizonte infinito,/ 
vejo morrer intensos momentos,/ dolorosos." 
 
 Versos que traduzem preocupação amorosa. 
 Versos intensamente maternais. 
 Versos que apresentam uma alma desolada e angustiada. 
 Versos que evocam a natureza e a terra hispânicas. 
 Versos amplamente musicais. 
 
3
a
 Questão (Ref.: 201504620584) 
 
 
Observando os versos: 
"Desolação.../ O nevoeiro espesso,/ eterno, para que esqueça onde me lançou o mar,/ em sua onda de sal./A terra para 
onde fui não tem primavera:/ tem sua noite longa/ que como uma mãe / me esconde./O vento invade a minha casa com 
sua onda de soluços,/ e de ruídos, e quebra, como um cristal, meu grito./ E na planície branca, do horizonte infinito,/ 
vejo morrer intensos momentos,/ dolorosos." 
Podemos afirmar que a poesia inicial de Gabriela Mistral: 
 
 buscava a valorização da natureza em dias de tristeza e chuva. 
 tematizava a tristeza da população latino-americana na busca por uma nova identidade. 
 se manteve plenamente fiel à estética modernista. 
 cantava a região selvática da América. 
 tinha como tema a análise do "eu" na confecção de poemas voltados para a angústia e a desolação da 
alma. 
 
4
a
 Questão (Ref.: 201505114923) 
 
 
São características da poesia borgiana, EXCETO: 
 
 A literatura como signo de si mesma. 
 Questionar a linguagem e o universo. 
 Ter como tema predileto o mar. 
 Não remeter a nada fora dele. 
 Metaforização do mundo e do homem. 
 
5
a
 Questão (Ref.: 201504620581) 
 
 
Filha de um professor rural, Gabriela Mistral destacou-se como poetisa, educadora e diplomata chilena, em um período 
considerado pós-modernismo. Observando o que foi estudado sobre a escritora em questão, podemos concluir que, em 
sua escrita, nota-se: 
 
 a preocupação com as crianças em qualquer situação de abandono ou solidão. 
 versos típicos da epopéia renascentista. 
 o deleite estético em cantar versos heróicos. 
 a importância de lançar-se ao desconhecido. 
 a importância da dura experiência que era deixar a pátria. 
 
6
a
 Questão (Ref.: 201504620588) 
 
 
A escritora chilena Gabriela Mistral (pseudônimo de Lucila Godoy de Alcayaga), adquiriu celebridade universal. Tendo 
iniciado sua escrita poética após o suicídio do noivo, não deixou-se permanecer em suas tristezas; ao contrário, procurou 
evadir-se delas em constantes tarefas de educação, solidariedade continental e justiça social. Os principais temas de sua 
poesia são: 
 
 Desolación, Tala e Lagar. 
 as culturas das Nações Unidas (UNESCO). 
 os mistérios da mulher antiga. 
 o amor, o amor de mãe, memórias pessoais dolorosas, mágoa e recuperação. 
 os elementos marinhos e a cidade natal. 
 
7
a
 Questão (Ref.: 201504620587) 
 
 
A chilena Gabriela Mistral, chamava-se Lucila Godoy de Alcayaga quando ainda professora das primeiras letras em uma 
pequenina aldeia dos Andes. A admiração que devotava a GABRIELE D'ANNUNZIO e a MISTRAL fez com que 
adotasse o nome literário citado acima, com o qual adquiriu celebridade universal. A professora Lucila começou a ser 
conhecida como poetisa ao vencer um concurso poético com a participação de três sonetos, intitulados: 
 
 Ternuras 
 Talas e Lagar 
 Azul e Ariel 
 Sonetos de la muerte 
 Canções amargas 
 
8
a
 Questão (Ref.: 201504622261) 
 
 
Indique a resposta correta: Mestre na seleção vocabular, conhecedor profundo da alma de seu povo cubano, Nicolás 
Guillén parte da constatação de um fato sociológico para construir uma obra que tem a cara de sua terra. Seus versos 
celebram sua gente e denunciam os que lhe oprimiram. Como exemplo desta denúncia, temos o poema: 
 
 "Sôngoro, cosongo" 
 "Madrigal" 
 "Elegia a Emmett Till" 
 "Al margen de mis libros de estudio" 
 "Martín Fierro" 
Aula 8 
1
a
 Questão (Ref.: 201504733926) 
 
 
De acento personalíssimo, Pablo Neruda escreveu 05 livros antes de completar 22 anos. Na publicação de seu livro 
TENTATIVA DEL HOMBRE INFINITO (1926), já se percebe uma transição de sua temática romântica para o: 
 
 cubismo. 
 concretismo. 
 surrealismo. 
 memorialismo. 
 barroquismo. 
 
2
a
 Questão (Ref.: 201504620708) 
 
 
Afirma o escritor Jorge Luis Borges (1899-1986), poeta, ensaísta e contista argentino, que "si os períodos planetários são 
cíclicos, também a história universal o será, ao final de cada ano platônico renascerão os mesmos indivíduos e cumprirão 
o mesmo destino". Para Borges, a literatura e a história do homem reduzem-se à repetição de algumas metáforas. Com 
base na afirmativa do escritor e no que foi visto no conteúdo da aula, podemos concluir que nesta concepção borgiana: 
 
 sua simbologia apresenta uma visão romântica e idealizada da vida e das sociedades. 
 sua simbologia do "eterno retorno" aponta que dentro de uma ficção surgem outras ficções, assim como a 
humanidade é repetição de si mesma e todas as épocas são iguais. 
 a correspondência entre "o mundo material" e a palavra é uma constante, não utilizando-se o autor de 
metáforas. 
 as palavras revelam uma preocupação maior com a musicalidade do poema. 
 predomina a marca de "aparente objetividade", que se traduz por uma preocupação à luz do individual, do 
subjetivo. 
 
3
a
 Questão (Ref.: 201504620707) 
 
 
Nos versos do poema "El otro tigre", lemos: "Um terceiro tigre buscaremos./ Este será como os outros uma forma/ de 
meu sonho, um sistema de palavras humanas/ e não o tigre vertebrado/ que, mais além das mitologias,/ pisa a terra./ Bem 
o sei, mas algo me impõe esta aventura indefinida,/ insensata e antiga, e persevero/ em buscar pelo tempo da tarde/ o 
outro tigre, o que não está no verso." O tigre sempre exerceu uma fascinação para Borges, pois para ele é o símbolo: 
 
 do inalcançável. 
 da negação da realidade. 
 da circularidade do tempo. 
 da negação do tempo. 
 do universo. 
 
4
a
 Questão (Ref.: 201504620704) 
 
 
"Abre-se a grade no jardim/com a docilidade da página/que uma devoção freqüente interroga (...)/ Oh poentes, oh tigres, 
oh fulgores/do