PROCESSO CIVIL NCPC
263 pág.

PROCESSO CIVIL NCPC


DisciplinaDireito Processual Civil I42.859 materiais742.785 seguidores
Pré-visualização50 páginas
ser executada a obrigação de fazer ou não fazer. 
26.4. Execução de tutela provisória 
\uf0fc As regras de cumprimento de sentença se aplicam à execução de tutela provisória. 
\uf0fc Art. 519. Aplicam-se as disposições relativas ao cumprimento da sentença, provisório 
ou definitivo, e à liquidação, no que couber, às decisões que concederem tutela 
provisória. 
26.5. Exceção de pré-executividade 
\uf0fc Art. 518. Todas as questões relativas à validade do procedimento de cumprimento 
da sentença e dos atos executivos subsequentes poderão ser arguidas pelo 
executado nos próprios autos e nestes serão decididas pelo juiz. 
\uf0fc É uma simples petição. 
\uf0fc Mas atenção! A defesa no cumprimento de sentença continua sendo a impugnação, que 
deve veicular defeitos do processo. Como conciliar isso com essa previsão do art. 518? 
Como fica a preclusão nessa história? Fredie entende que essa petição avulsa só é 
cabível em 2 hipóteses: 
i. fatos supervenientes ao oferecimento da impugnação; 
ii. fatos que não precluem, que podem ser alegados a qualquer tempo. 
\uf0fc Seria a consagração em lei da exceção de pré-executividade. 
26.6. Execução provisória 
\uf0fc Art. 520. O cumprimento provisório da sentença impugnada por recurso desprovido de 
efeito suspensivo será realizado da mesma forma que o cumprimento definitivo, 
sujeitando-se ao seguinte regime: 
I. corre por iniciativa e responsabilidade do exequente, que se obriga, se a sentença for 
reformada, a reparar os danos que o executado haja sofrido \u2013 Sempre se soube que a 
execução provisória corre sob a responsabilidade objetiva do exeqüente \u2013 isso não é 
novidade; 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Retângulo
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
II. fica sem efeito, sobrevindo decisão que modifique ou anule a sentença objeto da 
execução, restituindo-se as partes ao estado anterior e liquidando-se eventuais 
prejuízos nos mesmos autos \u2013 ver § 4º abaixo (traz uma novidade); 
III. se a sentença objeto de cumprimento provisório for modificada ou anulada apenas em 
parte, somente nesta ficará sem efeito a execução; 
IV. o levantamento de depósito em dinheiro e a prática de atos que importem 
transferência de posse ou alienação de propriedade ou de outro direito real, ou dos 
quais possa resultar grave dano ao executado, dependem de caução suficiente e 
idônea, arbitrada de plano pelo juiz e prestada nos próprios autos \u2013 isso não é 
novidade. A novidade em relação à caução é sobre a sua dispensa (art. 521 abaixo). 
\uf0fc Art. 520, § 1o No cumprimento provisório da sentença, o executado poderá apresentar 
impugnação, se quiser, nos termos do art. 525. 
\uf0fc Art. 520, § 2o A multa e os honorários a que se refere o § 1o do art. 523 são devidos no 
cumprimento provisório de sentença condenatória ao pagamento de quantia certa. 
\uf0fc Art. 520, § 3o Se o executado comparecer tempestivamente e depositar o valor, com a 
finalidade de isentar-se da multa, o ato não será havido como incompatível com o 
recurso por ele interposto. 
\uf0fc Art. 520, § 4o A restituição ao estado anterior a que se refere o inciso II não implica 
o desfazimento da transferência de posse ou da alienação de propriedade ou de 
outro direito real eventualmente já realizada, ressalvado, sempre, o direito à 
reparação dos prejuízos causados ao executado \u2013 NOVIDADE! Se já tiver havido 
arrematação, hasta pública, ela permanece \u2013 é uma forma de proteger 
o terceiro adquirente. 
\uf0fc Art. 520, § 5o Ao cumprimento provisório de sentença que reconheça obrigação de 
fazer, de não fazer ou de dar coisa aplica-se, no que couber, o disposto neste Capítulo 
\u2013 NOVIDADE! O CPC de 73 não trazia essa previsão. Lembrando que na execução por 
quantia é necessário requerimento do exeqüente e nos demais o juiz pode iniciar de 
ofício. 
\uf0fc Art. 521. A caução prevista no inciso IV do art. 520 poderá ser dispensada nos 
casos em que: 
I. o crédito for de natureza alimentar, independentemente de sua origem \u2013 sempre que se 
tratar de execução de alimentos dispensa-se a caução; 
II. o credor demonstrar situação de necessidade \u2013 Fredie acha essa regra muito aberta; 
III. pender o agravo fundado nos incisos II e III do art. 1.042 \u2013 esse é um agravo em Resp 
ou RE para situações em que se vai aplicar teses firmadas em tribunais superiores 
(será estudado em recursos); 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
IV. a sentença a ser provisoriamente cumprida estiver em consonância com súmula da 
jurisprudência do Supremo Tribunal Federal ou do Superior Tribunal de Justiça ou 
em conformidade com acórdão proferido no julgamento de casos repetitivos \u2013 o Novo 
CPC estruturou um sistema de respeito aos precedentes judiciais e a dispensa da 
caução é uma forma de valorizar isso. 
\uf0fc Art. 520, Parágrafo único. A exigência de caução será mantida quando da dispensa 
possa resultar manifesto risco de grave dano de difícil ou incerta reparação \u2013 é 
uma regra que excepciona todas as exceções. Cria-se uma regra que aniquila as 
exceções de necessidade da caução. Fredie criticou bastante essa previsão \u2013 disse que 
é um regramento suicida: traz 4 exceções amplíssimas à caução e vem o parágrafo 
único para jogar um balde de água fria nessa novidade. 
26.6.1. Impugnação 
\uf0fc Apresentação de impugnação na execução provisória \u2013 isso agora está esclarecido. O 
CPC de 73 não previa isso. Art. 520, § 1o No cumprimento provisório da sentença, o 
executado poderá apresentar impugnação, se quiser, nos termos do art. 525. 
26.6.2. Honorários advocatícios 
\uf0fc O Novo CPC deixa claro que há honorários advocatícios em execução provisória \u2013 
contraria uma orientação antiga do STJ. 
\uf0fc Art. 520, § 2o A multa e os honorários a que se refere o § 1o do art. 523 são devidos no 
cumprimento provisório de sentença condenatória ao pagamento de quantia certa. 
26.6.3. Incidência da multa pelo inadimplemento da execução provisória 
\uf0fc Na execução definitiva, não cumprindo a sentença no prazo de 15 dias a contar da 
intimação, aplica-se uma multa de 10%. 
\uf0fc Discutia-se muito se essa multa de 10% seria cabível em execução provisória. Fredie se 
posicionava no sentido de que essa multa era incabível na execução provisória, porque 
seria incompatível recorrer e cumprir a decisão para não incidir a multa. O STJ decidiu 
que a multa para o cumprimento de sentença é incompatível com a execução provisória. 
E o Novo CPC contraria esse posicionamento do STJ. 
\uf0fc Só que o CPC muda a natureza da multa: a multa que era uma forma de forçar o 
inadimplemento se transformou em outra coisa. 
\uf0fc Art. 520, § 2o A multa e os honorários a que se refere o § 1o do art. 523 são devidos no 
cumprimento provisório de sentença condenatória ao pagamento de quantia certa. 
\uf0fc Art. 520, § 3o Se o executado comparecer tempestivamente e depositar o valor, com a 
finalidade de isentar-se da multa, o ato não será havido como incompatível com o 
recurso por ele interposto \u2013 ou seja, essa multa pode ser elidida com o depósito do valor 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Sublinhar
isadora
Sublinhar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Sublinhar
isadora
Sublinhar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
da execução, que não é pagamento, porque a outra parte não vai poder levantar esse 
valor. A multa mudou a sua finalidade: não é uma multa para pagamento, mas é uma 
multa para estimular o sujeito a depositar o sujeito a depositar o valor da dívida e 
penhorar esse valor. 
\uf0fc Quais são os problemas disso? 
i. O CPC tem uma