PROCESSO CIVIL NCPC
263 pág.

PROCESSO CIVIL NCPC


DisciplinaDireito Processual Civil I42.828 materiais741.807 seguidores
Pré-visualização50 páginas
em sentença ainda não transitada em julgado, se processa em autos 
apartados. 
\uf0fc Art. 531, § 2o O cumprimento definitivo da obrigação de prestar alimentos será 
processado nos mesmos autos em que tenha sido proferida a sentença. 
26.8.3. Protesto judicial 
\uf0fc Art. 528, § 1o Caso o executado, no prazo referido no caput, não efetue o pagamento, 
não prove que o efetuou ou não apresente justificativa da impossibilidade de efetuá-lo, o 
juiz mandará protestar o pronunciamento judicial, aplicando-se, no que couber, o 
disposto no art. 517 \u2013 aqui é o protesto judicial, que pode ser de ofício. 
26.8.4. Comprovação da impossibilidade de pagamento 
\uf0fc Art. 528, § 2o Somente a comprovação de fato que gere a impossibilidade absoluta de 
pagar justificará o inadimplemento. 
26.8.5. Prisão 
\uf0fc Art. 528, § 3o Se o executado não pagar ou se a justificativa apresentada não for aceita, 
o juiz, além de mandar protestar o pronunciamento judicial na forma do § 1o, decretar-
lhe-á a prisão pelo prazo de 1 (um) a 3 (três) meses \u2013 esse dispositivo revoga 
tacitamente o art. 19 da Lei de Alimentos (que fala em prisão em até 60 dias). 
\uf0fc Art. 528, § 4o A prisão será cumprida em regime fechado, devendo o preso ficar 
separado dos presos comuns. 
\uf0fc Art. 528, § 6o Paga a prestação alimentícia, o juiz suspenderá o cumprimento da 
ordem de prisão. 
\uf0fc Art. 528, § 7o O débito alimentar que autoriza a prisão civil do alimentante é o que 
compreende até as 3 (três) prestações anteriores ao ajuizamento da execução e as 
que se vencerem no curso do processo \u2013 isso é novidade no CPC, mas trata-se da 
consagração da súmula 309 do STJ. 
\uf0fc O CPC não esclareceu se cabe prisão nos alimentos indenizativos. Fredie diz que havia 
a proposta de cabimento apenas nos alimentos de família, mas essa proposta foi 
retirada. Então, a tendência é que seja permitida a prisão no caso de alimentos 
indenizativos. 
26.8.6. Competência 
\uf0fc Art. 528, § 9o Além das opções previstas no art. 516, parágrafo único, o exequente 
pode promover o cumprimento da sentença ou decisão que condena ao pagamento de 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Anotação
03 dias
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
prestação alimentícia no juízo de seu domicílio \u2013 era um entendimento 
jurisprudencial que foi consagrado. 
26.8.7. Abandono material 
\uf0fc Caso o juiz constate uma inadimplência reiterada, o juiz deve comunicar o MP de 
possível delito de abandono material 
\uf0fc Art. 532. Verificada a conduta procrastinatória do executado, o juiz deverá, se for o 
caso, dar ciência ao Ministério Público dos indícios da prática do crime de abandono 
material. 
26.8.8. Constituição de capital 
\uf0fc No caso de condenação de alimentos indenizativos, o CPC de 73 previa a possibilidade 
de constituição de capital para garantir esse pagamento. O juiz podia terminar de ofício. 
Agora não pode mais \u2013 depende de requisição da parte. 
\uf0fc Ademais, esse capital pode ser constituído não só mais sobre imóveis, mas também 
sobre direitos reais. 
\uf0fc Além disso, esse capital se transforma em patrimônio de afetação \u2013 isso quer dizer que 
ele não pode ter outro uso. 
26.9. Execução de sentença de obrigação fazer e não fazer 
\uf0fc No CPC de 73, era unificada em um único artigo a sentença de fazer e não fazer e, além 
disso, como se executa a sentença de fazer e não fazer. 
\uf0fc Art. 497. Na ação que tenha por objeto a prestação de fazer ou de não fazer, o juiz, se 
procedente o pedido, concederá a tutela específica ou determinará providências que 
assegurem a obtenção de tutela pelo resultado prático equivalente \u2013 tutela específica. 
\uf0fc Art. 497, Parágrafo único. Para a concessão da tutela específica destinada a inibir 
a prática, a reiteração ou a continuação de um ilícito, ou a sua remoção, é 
irrelevante a demonstração da ocorrência de dano ou da existência de 
culpa ou dolo \u2013 esse dispositivo consagra expressamente 2 tutelas específicas 
contra o ilícito: 
i. inibição do ilícito; 
ii. remoção do ilícito. 
\uf0fc Ambas as tutelas são contra o ilícito e dispensam dano ou demonstração de culpa, 
porque não se busca com elas o ressarcimento. Só há sentido em investigar dano ou 
culpa nos casos em que se busca ressarcimento. 
\uf0fc Há um problema nesse parágrafo único: existe tutela ressarcitória específica, que 
pressupõe dano e culpa (se for responsabilidade subjetiva). Trata-se de uma forma de 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
ressarcir o prejuízo da pessoa não pelo dinheiro, mas sim por uma providência de fazer 
e não fazer \u2013 ex.: direito de resposta no âmbito eleitoral; reflorestamento no caso de 
dano ambiental. E essa tutela ressarcitória pode ser conferida com base no caput do art. 
497. 
\uf0fc O ponto destacado pelo Fredie é que o parágrafo único não exaure as hipóteses de 
tutela específica e que é possível tutela específica ressarcitória, que exige comprovação 
do dano e de culpa (se for responsabilidade subjetiva). 
\uf0fc Execução de sentença de fazer e não fazer pode ser instaurada de ofício. 
 
Art. 536. No cumprimento de sentença que reconheça a exigibilidade de 
obrigação de fazer ou de não fazer, o juiz poderá, de ofício ou a 
requerimento, para a efetivação da tutela específica ou a obtenção de 
tutela pelo resultado prático equivalente, determinar as medidas 
necessárias à satisfação do exequente. 
§ 5o O disposto neste artigo aplica-se, no que couber, ao cumprimento de 
sentença que reconheça deveres de fazer e de não fazer de natureza não 
obrigacional \u2013 é cabível para qualquer dever, obrigacional ou não (isso 
era discutido na doutrina) 
 
Aula 12 \u2013 22/5/2015 
 
\uf0fc Art. 536. No cumprimento de sentença que reconheça a exigibilidade de obrigação 
de fazer ou de não fazer, o juiz poderá, de ofício ou a requerimento, para a efetivação 
da tutela específica ou a obtenção de tutela pelo resultado prático equivalente, 
determinar as medidas necessárias à satisfação do exeqüente \u2013 PODER GERAL 
DE EFETIVAÇÃO DA SENTENÇA. 
\uf0fc Esse dispositivo equivale a uma parte do § 5º do art. 461 do CPC de 73. 
\uf0fc Art. 536, § 1o Para atender ao disposto no caput, o juiz poderá determinar, entre 
outras medidas (ratificação de que as medidas podem ser atípicas), a imposição de 
multa, a busca e apreensão, a remoção de pessoas e coisas, o desfazimento de 
obras e o impedimento de atividade nociva, podendo, caso necessário, requisitar o 
auxílio de força policial \u2013 isso já existe hoje. 
o E por que é importante mencioná-lo? A primeira versão do CPC de 2015 previa a 
possibilidade de intervenção do juiz na empresa, mas essa previsão foi retirada e 
ele não menciona mais. É ou não é possível a intervenção do juiz na empresa? 
Para Fredie, sim, porque o § 1º traz a possibilidade de medidas atípicas, mas 
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
isadora
Selecionar
deve ser excepcional, a partir do princípio da menor onerosidade da execução 
(art. 805 do Novo CPC). E há previsão expressa na Lei do CADE de intervenção 
judicial na empresa. Dessa forma, a exclusão da previsão dessa intervenção no 
CPC não impede a sua realização. 
\uf0fc Art. 536, § 2o O mandado de busca e apreensão de pessoas e coisas será 
cumprido por 2 (dois) oficiais de justiça, observando-se o disposto no art. 846, §§ 1o a 
4o, se houver necessidade de arrombamento. 
o Busca e apreensão não é medida cautelar, mas sim uma medida executiva \u2013 é 
um meio de executar as decisões judiciais. O arresto é cautelar \u2013 a busca e