Metodologia Científica - Conteúdo Online
53 pág.

Metodologia Científica - Conteúdo Online


DisciplinaMetodologia Científica53.052 materiais1.065.630 seguidores
Pré-visualização16 páginas
preciso dizer a página? 
A quantidade de páginas é usada principalmente para referenciação de capítulos de livros. 
Mas como se faz para referenciar capítulos de livros? 
A autoria do capítulo pode ser referenciada de duas formas: 
\uf0b7 Autoria do capítulo: quando a autoria do capítulo é diferente da autoria do livro: 
SOBRENOME, Prenome (autor do capítulo). Título. In: SOBRENOME, Prenome (autor da obra). 
Título: subtítulo. Local: Editora, ano. Página inicial e final. 
Exemplo: ROMANO, Giovani. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHMIDT, 
J. (Org.). História dos jovens 2: a época contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 
1996. p. 7-16. 
\uf0b7 Quando a autoria do capítulo é igual à autoria da obra: 
SOBRENOME, Prenome (autor do capítulo). Título (do capítulo). In: ______. Título: subtítulo. 
Local: Editora, ano. Número do capítulo (se houver), página inicial e final. 
Exemplo: SANTOS, F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In: ______. História do 
Amapá, 1º grau. 2. ed. Macapá: Valcan, 1994. cap. 3. p. 15-24. 
E Quando a Fonte Foi Publicada em Meio Eletrônico? 
As referências em meios eletrônicos seguem o modelo de referências bibliográficas, 
acrescentando-se informações relativas à descrição física do meio ou suporte. 
Para as obras consultadas online são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, 
apresentado entre <brackets>, precedido da expressão: \u2015Disponível em:\u2016 
A data de acesso ao documento, precedida da expressão: \u2015Acesso em:\u2016 deve conter o dia, o 
mês abreviado e o ano (04 abr. 2010.). 
Exemplo: SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Cidade: Editora, ano. Disponível em: 
<endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês ano. 
Veja Também Outras Formas de Referência. 
\uf0b7 Dicionários e enciclopédias: SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Edição. Local: 
Editora, data. 
Exemplo: FERREIRA, Aurélio Buarque de Hollanda. Novo dicionário da língua portuguesa. 
2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. 
\uf0b7 Artigo de Jornal: SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo do artigo. Título do jornal, 
local, dia, mês e ano. Título do caderno, seção ou suplemento, página inicial e final. 
Exemplo: NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de S. Paulo, São Paulo, 
Maio de 2009. Caderno 8, Folha Turismo, p. 20. 
\uf0b7 Monografias, Dissertações e Teses: SOBRENOME, prenome. Título: subtítulo. Ano de 
entrega. Total de folhas. Tipo de trabalho (grau e área) \u2013 instituição, Local, Ano de 
defesa. 
Exemplo: SILVA, M. L. C. Reimplante dentário. 1990. 51f. Trabalho de Conclusão de Curso 
(Especialização) \u2013 Faculdade de Odontologia, Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, 
1990. 
\uf0b7 CD-ROM e DVD: AUTOR. Título. Edição. Local de publicação: Editora, data. Tipo de 
mídia. 
Exemplo: PIZZOTT, R. Enciclopédia básica da mídia eletrônica. São Paulo: SENAC, 2003. 
1 DVD. 
\uf0b7 Entrevista: ENTREVISTADO. Título. Local: data. Nota da Entrevista. 
Exemplo: CRUZ, Joaquim. A Estratégia para Vencer. São Paulo, 14 set. 1988. Entrevista 
concedida a J. A. Dias Lopes. 
\uf0b7 Site Institucional: INSTITUIÇÃO.Título. Disponível em < endereço eletrônico>. Acesso 
em: data. 
Exemplo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Disponível em: 
http://www.abnt.org.br. Acesso em: 30 mar. 2010. 
\uf0b7 Artigo de Revista: SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo do artigo. Título do 
periódico, local, volume, fascículo, página inicial e final, mês e ano. 
Exemplo: SEKEFF, Gisela. O emprego dos sonhos. Domingo, Rio de Janeiro, ano 26, n. 
1344, p. 30-36, 3 fev. 2002. 
AULA 9 \u2013 A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA UNIVERSIDADE 
Você Sabe o Significado da Palavra \u201cUniversidade\u201d? 
Essa palavra provém do latim universitate e significa universalidade, totalidade, conjunto, 
corpo, companhia, corporação e comunidade. 
Porém, seu significado se expandiu e também serve para indicar o lugar de construção do 
conhecimento e da cultura. 
Configurando, assim, uma instituição que tem a tarefa de promover a reflexão crítica da 
sociedade. 
Formadora de recursos humanos para ciência e tecnologia. 
Como Surgiram as Universidades? 
O surgimento da Universidade marcou um momento de transição na história da humanidade. 
Com o começo da vida urbana, do pensamento racional e da busca de novos paradigmas foi 
necessário criar espaços destinados à reflexão. 
Levando esse fato em consideração podemos afirmar que a Universidade encontra suas raízes 
na Europa medieval, por volta do século XII e XIII, tornando-se o lugar de debates e 
polêmicas, sofrendo intervenções reais e eclesiásticas. 
Apesar de uma única história, cada parte do mundo, desenvolveu um modelo específico. 
Vamos conhecer agora um pouco do surgimento das Universidades e alguns destes modelos. 
O Surgimento da Universidade e Alguns dos Seus Modelos 
\uf0b7 Estados Unidos: constituíram um sistema universitário competitivo, seletivo e 
completamente voltado para o mercado de trabalho. 
Trata-se um sistema privado, porém sem fins lucrativos, pois toda a arrecadação é destinada 
aos centros de pesquisa. 
A universidade Americana tem inserido no seu modelo o Junior College que são centros 
universitários para a formação massiva de profissionais. 
\uf0b7 Brasil: trabalha com um sistema universitário mais autônomo, desde o fim da Ditadura 
Militar. 
Aqui se tem um sistema normatizado e politizado, com uma gestão de múltiplos conselhos. 
Existem modelos de Universidades Públicas e Privadas e ambos respondem ao governo, mas 
as regras internas, inclusive a dos currículos, são particulares. 
\uf0b7 Europa: a partir do final do século XII, começaram a surgir em diversas cidades 
europeias as primeiras Universidades que eram controladas diretamente pela Igreja 
Católica, destacando-se a de Paris, Oxford, Salamanca e Boloña1. 
1 As Universidades de Paris e Oxford tinham um modelo baseado na evangelização oriunda 
dos Jesuítas. Nesse modelo, o professor era capacitado para oferecer um determinado 
conhecimento. 
Já em Salamanca e Boloña, os estudantes se reuniam para exigir o aprendizado do 
conhecimento que eles desejavam, o que veio a inspirar o modelo Latino Americano. 
Essas primeiras universidades eram frequentadas somente por pessoas que possuíam 
condições econômicas, além, é claro, da forte influência católica que essas pessoas tinham. 
Outra caraterística dessas Universidades era a falta de autonomia em relação à publicação de 
ideias que poderiam não agradar aos membros do clero, que fiscalizavam a produção 
intelectual. Foi somente a partir do período conhecido por Renascimento, em meados do 
século XV e XVI, que os intelectuais conquistaram mais autonomia para criar alternativas a 
esse padrão de educação controlado pela Igreja. 
\uf0b7 Japão: é oriunda do modelo capitalista de Meiji que contribuiu para o fim do Xogunato. 
Cada grupo específico da população teria a sua universidade, embora não houvesse fortes 
diferenças sociais entre esses grupos. 
Quem controla a parte de pesquisa dessas universidades atualmente é o próprio governo do 
Japão. 
Mas Que Função Especial a Universidade Desempenha na Vida das Pessoas? 
Sua função primordial é educar pessoas para trabalhar com o saber, fornecendo as condições 
para que estas pessoas sejam capazes de utilizar o conhecimento em um mundo complexo 
que não raras vezes é pensado de maneira simplificada ou ingênua. 
É nesse aspecto que podemos afirmar que o debate entre estudantes e as pesquisas 
realizadas e apresentadas em espaços acadêmicos fortalecem a sua razão de ser. 
O Que Podemos Entender Por Uma Construção Crítica do Conhecimento? 
Trata-se de um ensino cuja preocupação deve focalizar o pensamento crítico do estudante. 
Isso implica o compromisso com o pensamento autônomo e deve estimular uma conduta