Metodologia Científica - Conteúdo Online
53 pág.

Metodologia Científica - Conteúdo Online


DisciplinaMetodologia Científica53.609 materiais1.068.902 seguidores
Pré-visualização16 páginas
a atividade científica pela 
qual se descobre a realidade. 
De acordo com Antônio Carlos Gil, duas são as razões para se fazer uma pesquisa: 
As razões de ordem intelectual, que decorrem do desejo de conhecer, são comuns nas 
dissertações de mestrado, nas monografias, nos artigos e nos trabalhos de conclusão de 
curso, em que a pesquisa é voltada para fins de conhecimento. 
Já as razões de ordem prática, como próprio título diz, vêm do desejo de conhecer com vistas 
a fazer algo, que muitas vezes pode vir a ser útil e beneficiar a própria sociedade. 
Quanto ao Pesquisador... 
É importante destacar que a possibilidade de êxito na tarefa de pesquisa depende das razões 
e motivações do pesquisador. 
Curiosidade, criatividade, integridade intelectual, atitude autocorretiva, sensibilidade social, 
imaginação disciplinada, perseverança, paciência e confiança na experiência são ações e 
atitudes que devem ser incorporadas à pessoa que for ou estiver no papel de pesquisador1. 
1 Como é o caso dos estudantes que estão escrevendo trabalhos apenas para fins acadêmicos. 
Fazer Pesquisa Não é Uma Tarefa Fácil 
É preciso ter planejamento e considerar aspectos como classificação, abordagem, objetivo e 
procedimentos, pois estes delimitam a busca do que se pretende pesquisar. 
\uf0b7 Classificação 
A classificação da pesquisa está relacionada à sua natureza, ou seja, àquilo que compõe a 
essência da pesquisa: 
\uf02d Pesquisa Pura: Conhecida também por básica ou teórica. Objetiva gerar novos 
conhecimentos úteis para o avanço da ciência sem aplicação prática prevista. 
Envolve verdades e interesses universais. É motivada basicamente pela curiosidade intelectual 
do pesquisador. 
Exemplo: A origem do universo. 
\uf02d Pesquisa Aplicada: É aquela que objetiva gerar conhecimentos para a aplicação prática, 
dirigidos à solução de problemas específicos. 
Envolve verdades e interesses locais. 
Exemplo: A busca de uma vacina contra a AIDS. 
\uf0b7 Abordagem 
Quanto à abordagem, a pesquisa pode ser dividida em: 
\uf02d Qualitativa 
Neste enfoque não há medição numérica, como nas descrições. 
Seu propósito está em reconsiderar ou reconstruir a realidade observada. Assim, considera a 
existência de uma relação dinâmica entre mundo real e o sujeito. 
É descritiva e utiliza o método indutivo. 
O processo é o foco principal. 
\uf02d Quantitativa 
Neste tipo de pesquisa temos a coleta e a análise de dados para dar conta das questões que 
envolvem a pesquisa. 
Ela utiliza métodos estatísticos e traduz em números opiniões e informações para classificá-los 
e organizá-los. 
\uf0b7 Objetivo 
Quanto aos objetivos, a pesquisa pode ser: 
\uf02d Descritiva: A pesquisa descritiva tem como objetivo principal descrever as 
características de algum fenômeno observado, descobrir a frequência com que ocorre, 
sua relação e sua conexão com outros fenômenos. 
Esta modalidade é típica das ciências humanas e sociais. 
Neste tipo de pesquisa, o estudante deve observar, registrar, analisar e correlacionar fatos ou 
fenômenos1 variáveis, sem manipulá-los. 
1 Importante esclarecer que o termo fenômeno pode designar um fato percebido por alguém. 
Neste caso, a percepção que determinado observador tem de um fato é o que o caracteriza 
com o fenômeno. 
Veja alguns exemplos: 
Características de um grupo social; 
Nível de atendimento de determinada empresa prestadora de serviço; 
Levantamento de opiniões, atitudes e crenças de um segmento da sociedade; 
Pesquisas eleitorais que apontam a preferência político-partidária de determinados grupos etc. 
\uf02d Exploratória: A pesquisa exploratória é considerada o passo inicial de qualquer 
pesquisa. 
Trata-se de uma observação, ou seja, consiste em recolher e registrar os fatos da realidade, 
com o objetivo de proporcionar maior familiaridade com o problema para torná-lo mais 
explícito ou viabilizar a construção de uma hipótese. 
Neste modelo temos a possibilidade do aprimoramento de ideias. Geralmente, neste tipo de 
pesquisa, há o levantamento bibliográfico, entrevistas com pessoas que experimentaram 
situações que estejam sendo pesquisadas e análise de exemplos. 
A pesquisa bibliográfica e o estudo de caso são exemplos de pesquisas exploratórias. 
\uf02d Explicativa: Aqui o objeto é identificar os fatores que determinam ou contribuem para a 
ocorrência dos fenômenos. 
Neste modelo temos um efetivo aprofundamento de conhecimentos, porque se busca 
entender ou explicar as razões das coisas \u2015 fato que amplia o entendimento. 
Nada impede que uma pesquisa explicativa seja a continuação de uma pesquisa descritiva ou 
exploratória. 
Nas ciências naturais, por exemplo, utiliza-se o método experimental. Nas ciências sociais 
utilizam-se outros métodos, tais como o fenomenológico e dialético, além de exigir elevado 
grau de controle. 
\uf0b7 Procedimentos 
Os procedimentos estão relacionados à maneira de agir, ao modo de fazer a pesquisa. 
\uf02d Pesquisa Bibliográfica: é uma etapa fundamental em todo trabalho científico que 
influenciará toda pesquisa, na medida em que dá o alicerce teórico que servirá de base 
ao trabalho. 
Consiste no levantamento, seleção, fichamento e arquivamento de informações relacionadas à 
pesquisa. 
Levando em consideração que bibliografia é o conjunto dos livros escritos sobre determinado 
assunto, por autores conhecidos e identificados ou anônimos, a pesquisa bibliográfica é o 
exame de uma bibliografia para levantamento e análise do que já se produziu sobre o assunto 
que assumimos como tema da pesquisa científica. 
\uf02d Pesquisa Documental: trata-se de uma pesquisa realizada através de certos 
documentos como: documentos pessoais, cartas, diários, jornais, balancetes, 
microfilmes, fotografias, memorandos, ofícios, vídeos, documentos estatísticos etc. 
Para Antônio Carlos Gil (1991), a pesquisa documental assemelha-se muito à pesquisa 
bibliográfica, mas possui uma diferença: 
\u2015A diferença está no fato de a bibliográfica utilizar fundamentalmente as contribuições dos 
diversos autores sobre determinado assunto. A documental utiliza materiais que não 
receberam o tratamento analítico, ou que ainda podem ser reelaborados.\u2016 
\uf02d Pesquisa de Campo: É a investigação empírica, isto é baseada na experiência, realizada 
no local onde ocorre ou ocorreu um fenômeno. 
Pode incluir entrevistas, aplicação de questionamentos, testes e observações. 
Segundo Antônio Joaquim Severino, na pesquisa de campo \u2015o objeto é abordado em seu 
próprio meio. A coleta de dados é feita nas condições naturais em que os fenômenos ocorrem, 
sendo assim diretamente observados.\u2016 (2007, p. 123) 
Pesquisa Histórica: você já reparou que os filmes de época exigem um estudo histórico 
prévio? 
Detalhes como vestuário, comportamento, linguajar, arquitetura, papel de cada personagem 
etc. são detalhes levantados por meio da pesquisa histórica, pois é ela que descreve o que já 
aconteceu, sob a forma de investigação, registro, análise e interpretação de fatos ocorridos no 
passado, para poder compreender o presente. 
Os dados podem ser coletados por meio das: 
Fontes Primárias: quando o investigador foi o observador direto dos eventos ou utiliza 
materiais de primeira mão. 
Fontes Secundárias: quando o investigador foi o observador direto dos eventos ou utiliza 
materiais de primeira mão. 
\uf02d Pesquisa Comparada: a pesquisa comparada procura estabelecer semelhanças e 
diferenças entre situações, fenômenos e coisas, por meio de relações entre os 
elementos que são comparados. 
Um bom exemplo de pesquisa comparativa está nos levantamentos sobre os aparelhos tipo 
smartphones, sempre realizados quando há lançamentos de novos modelos e tecnologias. 
\uf02d Estudo de Caso: é o estudo restrito a uma ou poucas