Metodologia Científica - Conteúdo Online
53 pág.

Metodologia Científica - Conteúdo Online


DisciplinaMetodologia Científica53.639 materiais1.070.852 seguidores
Pré-visualização15 páginas
de remissão em uma publicação. A origem etimológica do termo nos remete à palavra inglesa reference que significa \u201cato de referir ou consultar; sinal ou indicação que remete o leitor a outra fonte de informação\u201d. 
Já a ABNT1 observa que a referência é o conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento. Assim, deve ser constituída de elementos essenciais e, quando necessário, acrescida de elementos complementares. Porém, a ABNT não faz comentário algum sobre a possível diferença entre os termos.
1 É importante mencionar que na ABNT, NBR 14724, encontramos a indicação do termo \u201cReferências\u201d como \u201celemento pós-textual\u201d, o que nos legitima a usar o referido termo nos trabalhos acadêmicos.
Portanto, entende-se pelo termo referências o conjunto padronizado de informações que permitem a identificação de documentos citados em um trabalho acadêmico.
Bibliografia: conforme visto na atividade, Bibliografia é a relação das obras consultadas ou citadas por um autor na criação de determinado texto ou seção em que se faz uma relação de livros e outras publicações.
Trata-se de uma lista de fontes de consulta utilizadas no desenvolvimento de um trabalho, com o objetivo de documentá-lo, mostrando que ele está aparentemente sustentado, pois foi baseado naquelas fontes descritas.
E quanto ao Referencial Bibliográfico, do que se trata?
Em um trabalho acadêmico devemos mencionar apenas as obras efetivamente citadas, o que reforça o uso do termo referências. 
Vale ressaltar também que o termo referência bibliográfica não é mais usado, pois foi substituído apenas pela palavra referências.  
Agora que você aprendeu a principal diferença entre Referência e Bibliografia, vamos entender quais são as partes de uma Referência e as suas funções.
Vamos começar, observando a estrutura correta de uma referência:
PATACO, Vera Lúcia P.; VENTURA, Magda Maria; RESENDE, Érica dos Santos. Metodologia para trabalhos acadêmicos e normas de apresentação gráfica. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008,  06 p.
A Referência é dividida em:
Elementos essenciais: são aqueles indispensáveis na identificação do documento, tais como: autor (es), título, edição, local, editora e data da publicação.
Elementos complementares: são opcionais e podem ser acrescentados para uma melhor identificação do documento, tais como: coleção, série, número do ISBN, número de páginas (como o "06 p." do exemplo), se edição exclusiva para assinantes, se inclui algum brinde etc.
Os elementos que compõem a referenciação devem ser obtidos na ficha catalográfica do documento, ou seja, retirados do próprio documento e inseridos conforme a sequência sugerida pela ABNT.
Vamos Aprender a Referenciar?
Agora que você já conhece a estrutura de uma referência, vamos nos aprofundar em cada parte que as compõem.
Analisando o exemplo abaixo, siga a numeração e fique especialista no assunto.
Estrutura sugerida pela ABNT: Autor. + Título da Obra: + Subtítulo da Obra. + Edição. + Cidade: + Editora, Ano.
Autores
Na lista de referências, o autor é indicado pelo último sobrenome, escrito em caixa alta, seguido do nome, por extenso ou abreviado. O sobrenome é separado do nome por vírgula.
Exemplo:
GOMES, L. F.
GARCIA, Othon M.
SEVERINO, A. J.
MEDEIROS, João Bosco.
E se for mais de um autor, o que fazer?
Na hipótese de obra escrita por até três autores todos devem ser mencionados na mesma ordem em que aparecem na publicação. É só conferir a ficha catalográfica, no verso da folha de rosto. 
Os nomes de cada autor devem ser separados uns dos outros por ponto e vírgula:
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A.  
MACEDO, Luiz Roberto Dias de; CASTANHEIRA, Nelson Pereira; ROCHA, Alex.
E se forem mais de três?
Na eventual hipótese de a obra ter mais de três autores, somente o primeiro deve ser indicado, seguido da expressão et AL (a expressão et al. É uma abreviação de et alii, expressão latina que significa \u201ce outros\u201d).
ALVES, João et al.
Se for autoria coletiva deve ser indicado o nome do responsável, seguido da abreviatura da palavra que caracteriza a sua responsabilidade no trabalho, entre parêntese: Editor (Ed.); Coordenador (Coord.); Organizador (Org.); Compilador (Comp.).
Exemplo:
ALVES, João (Org.)
ALVES, João (Coord.)
ALVES, João (Ed.)
Algumas observações interessantes!
1. Sobrenomes que indicam parentesco (Júnior, Filho, Neto, Sobrinho) acompanham o último sobrenome e não devem ser considerados como entrada.
CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Matoso. Título.
2. No caso de sobrenomes compostos, a entrada é feita por expressão composta.
CASTELLO BRANCO, H. A. Título.
3. Sobrenomes que indicam parentesco (Júnior, Filho, Neto, Sobrinho) acompanham o último sobrenome e não devem ser considerados como entrada.
CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Matoso. Título.
E quando a autoria é desconhecida?
Nesta hipótese, inicia-se pela primeira palavra do título em caixa alta. Se a palavra for precedida por um artigo este também deve ser escrito em caixa alta.
A EDUCAÇÃO ambiental no séc. XX.
AUDITORIA interna de empresas.
Quando se trata de uma instituição e não de um autor pessoa física?
Os documentos de responsabilidade de entidades (instituições, organizações, empresas) têm entrada pelo nome delas, escrita por extenso e em CAIXA ALTA.
Observe:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências e elaboração. Rio de Janeiro, 2002.  
SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a política ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 1993. 35 p.
Como faço a referência quando se trata de publicações técnicas?
Quando se tratar de publicações técnicas e administrativas, indica-se o nome da entidade.  
No caso de entidades governamentais, quando se tratar de órgãos da administração direta (Ministérios, Secretarias), indica-se o nome geográfico antes do nome da entidade.
BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia.
Uma regrinha importante! 
Nos casos em que foram usadas várias fontes do mesmo autor, estes podem ser substituídos por um traço equivalente a seis dígitos seguido de um ponto (______.), nas referências subsequentes. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 5p. 
_______. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 3p.
Títulos
Os títulos devem ser escritos na forma em que se apresentam nos documentos, sendo apenas a primeira palavra iniciada com letra maiúscula e destacados com negrito.
Já os subtítulos (informações apresentadas após o título para complementá-lo) devem ser precedidos por dois pontos e não recebem qualquer destaque gráfico.
Exemplo: RUCH, Gastão. História geral da civilização: da antiguidade ao século XX.
E quando há tradutor? Deve ser mencionado?
Quando há tradutor, atualizador, revisor, ilustrador, entre outros, deve ser mencionado logo após o título. 
Veja o modelo:
SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Tradução. Edição. Local: Editora, data.  
Edição
Preciso mencionar a edição?
Quando houver a indicação da edição, esta deve ser inserida na sua referência, utilizando-se abreviaturas dos numerais ordinais e da palavra edição. 
4ª edição = 4. ed. 
5ª edição = 5. ed.
Exemplo: PATACO, Vera Lúcia P.; VENTURA, Magda Maria; RESENDE, Érica dos Santos. Metodologia para trabalhos acadêmicos e normas de apresentação gráfica. 4. ed. [...]
Cidade
A cidade é item obrigatório na referenciação. Não se esqueça!
O nome da cidade deve ser grafado como aparece na obra, e não \u201ctraduzido\u201d, nos casos de obras estrangeiras. 
Em alguns casos, principalmente nas obras de outros países, é preciso especificar também o Estado ou País a que a cidade pertence.
Outro ponto importante é quando não se sabe a cidade de publicação. Para isso, coloca-se [s. l.], abreviação de \u201csine loco\u201d que significa \u201csem local\u201d [de publicação]. Quando