Metodologia Científica - Conteúdo Online
53 pág.

Metodologia Científica - Conteúdo Online


DisciplinaMetodologia Científica53.610 materiais1.069.240 seguidores
Pré-visualização15 páginas
uma vez que não há garantias de veracidade nesse segundo momento, o que significa dizer que nada legitima a passagem de uma experiência singular para um enunciado universal, como acredita o empirismo clássico.
Características Que Distinguem os Argumentos:
Até aqui estudamos duas abordagens importantes para o método científico: a abordagem dedutiva (dependente da lógica) e a indutiva (dependente da experiência empírica).  
Se por um lado podemos criticar o método dedutivo por não ampliar o conhecimento, por outro podemos apontar que ele nos traz um conhecimento provável, pois somente um exame de todos os elementos garantiria uma indução perfeita.  
Neste caso, se algumas induções não se confirmam, deve-se buscar os elementos que resultaram em erro, não abandonando a investigação.
Assim, encontramos duas características que distinguem os argumentos:
DEDUTIVO
Se todas as premissas forem verdadeiras, a conclusão será verdadeira.
Toda a informação contida na conclusão já estava presente nas premissas.
INDUTIVO
Se todas as premissas forem verdadeiras, a conclusão será provável.
A conclusão apresenta informação que não estava presente nas premissas.
No método dedutivo, partimos de uma ideia geral para uma especifica. Já no método indutivo, partimos de experiências específicas para alcançarmos uma regra geral.
Método Hipotético-Dedutivo
Karl Popper (1922-1996) criticou o método indutivo e lançou as bases do método chamado hipotético-dedutivo que consiste na construção de hipóteses1, cujas predições devem se submeter ao critério da falseabilidade2.
1 \u201cHipótese, do grego hypothesis, suposição, pergunta ou conjectura que orienta a investigação por antecipar características prováveis. Podemos usar o termo no sentido de leis, teorias ou postulados.\u201d (SALMON, Wesley C. Curso Moderno de Filosofia. Lógica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1969. p. 105-106).
2 A falseabilidade de uma teoria é o critério de cientificidade. Isso que dizer que a verdade de uma teoria será mantida até que seja negada. O fato de poder ser negada é o que confere o status de científica a uma determinada teoria.
Popper dizia que qualquer enunciado que só tenha termos observacionais1 poderia dizer mais do que se pode ver.
1 Referem-se às entidades diretamente observáveis, ou seja, tudo que se pode constatar à primeira vista, como, por exemplo, as características palpáveis de um objeto: grande ou pequeno, leve ou pesado, levando em consideração a cor, o modelo, a temperatura etc.
Como assim?
"Este copo tem água" Exemplo de enunciado básico, que só conta com termos observacionais e singulares.
Se você provar o conteúdo do copo e sentir um gosto amargo, estará bebendo água?
E se o conteúdo do vaso for resfriado e se congelar a 10 graus abaixo de zero, ele continuará sendo água?
Quando dizemos que algo é água, estamos assumindo:
Que congela a 0 grau;
Que ferve a 98 graus;
Que não tem cor, nem cheiro, nem gosto; e
Que essas características não mudam com o tempo.
O que esse exemplo quer dizer? 
Quer dizer que, se o cientista seguir rigorosamente cada fase desse método e, ao final, constatar que sua hipótese deve ser refutada, como no caso do líquido do copo que deixa de ser água, poderá encontrar argumentos científicos suficientes para formular críticas às teorias existentes e seus paradigmas. Essas teorias foram consideradas como ponto de partida para novas pesquisas.
Toda hipótese contém uma predição, ou seja, uma suposição e precisa passar pelo falseamento. O cientista testará sua hipótese, analisará os resultados para alcançar a confirmação de sua suposição ou refutá-la. Se a hipótese não for corroborada, poderá, a partir dos dados obtidos, construir nova hipótese.
Atenção: as hipóteses científicas não podem ser vistas como verdades absolutas, mas, sim, como explicações plausíveis.
Esquema de Como Se Dá o Processo de Conhecimento
Observações \u2192 perguntas \u2192 hipóteses \u2192 experimentação \u2192 conclusões \u2192 documentação \u2192 descobrimentos \u2192 novas perguntas \u2192 continuar aprendendo.
AULA 3 \u2013 METODOLOGIA APLICADA À PESQUISA
Você sabia que brasileiros adoram reality shows?
Ficou comprovado que 2687 brasileiros adoram reality shows. E a maioria dos telespectadores dos chamados \u201cshows da vida\u201d são mulheres entre 18 e 35 anos.
O texto acima nos dá margem para alguns questionamentos:
De onde ou de quem parte a motivação para saber a relação entre brasileiros e reality shows?
Como é feito esse levantamento?
Como vimos nas aulas passadas, tudo surge do conhecimento que se tem e do desejo e/ou necessidade de desvendar e provar coisas novas. E é da sede de conhecimento que nascem as pesquisas.
Essas pesquisas começam com ideias, ou seja, experiências individuais, teorias, observações de fatos, leitura de artigos etc. Na tela anterior, por exemplo, dissemos que brasileiros adoram reality shows e indagamos:
De onde ou de quem parte a motivação para saber a relação entre brasileiros e reality shows?
Já pensou que a motivação para essa pesquisa pode partir das próprias emissoras interessadas no tipo de programa que atrai mais os telespectadores ou mesmo da área de humanas interessada em saber a influência desses programas na vida das pessoas? São muitos os tipos de interesse nesses dados.
Como é feito esse levantamento?
Como mostra o site Web2engagebrasil, ele é feito através de um painel online, em que os telespectadores preenchem suas considerações. Assim, o levantamento desses dados serve para comprovar a adoração dos brasileiros pelo estilo de programa em questão.
Então, dizemos que pesquisa é uma atividade voltada para a solução de problemas por meio dos processos do método científico.
Segundo Eva Maria Lakatos (1992, p. 43), a pesquisa pode ser considerada um procedimento formal com método de pensamento reflexivo que requer um tratamento científico e se constitui no caminho para se conhecer a realidade ou para descobrir verdades parciais. Significa muito mais do que apenas procurar a verdade: é encontrar respostas para questões propostas, utilizando métodos científicos.
Podemos, assim, indicar três elementos que caracterizam a pesquisa: 
O levantamento de algum problema;
A solução à qual se chega; 
Os meios escolhidos para chegar a essa solução, como os instrumentos científicos e os procedimentos adequados. 
E quanto ao termo pesquisa científica, do que se trata?
Se trata do tipo de pesquisa que objetiva contribuir para o desenvolvimento do conhecimento humano em todas as áreas, sendo sistematicamente planejada e executada segundo critérios rigorosos de processamento das informações.  
Uma pesquisa será considerada científica, se for objeto de investigação planejada, desenvolvida e redigida conforme as normas metodológicas consagradas pela ciência1.  
1 Tem por base procedimentos racionais e sistemáticos, ou seja, é a atividade científica pela qual se descobre a realidade.
De acordo com Antônio Carlos Gil, duas são as razões para se fazer uma pesquisa:
As razões de ordem intelectual, que decorrem do desejo de conhecer, são comuns nas dissertações de mestrado, nas monografias, nos artigos e nos trabalhos de conclusão de curso, em que a pesquisa é voltada para fins de conhecimento. 
Já as razões de ordem prática, como próprio título diz, vêm do desejo de conhecer com vistas a fazer algo, que muitas vezes pode vir a ser útil e beneficiar a própria sociedade.
Quanto ao Pesquisador...
É importante destacar que a possibilidade de êxito na tarefa de pesquisa depende das razões e motivações do pesquisador.
Curiosidade, criatividade, integridade intelectual, atitude autocorretiva, sensibilidade social, imaginação disciplinada, perseverança, paciência e confiança na experiência são ações e atitudes que devem ser incorporadas à pessoa que for ou estiver no papel de pesquisador1.
1 Como é o caso dos estudantes que estão escrevendo trabalhos apenas para fins acadêmicos.
Fazer Pesquisa Não é Uma Tarefa Fácil
É preciso ter planejamento e considerar aspectos como classificação,