Sintaxe do Português I - Conteúdo Online
52 pág.

Sintaxe do Português I - Conteúdo Online


DisciplinaSintaxe do Português I173 materiais3.335 seguidores
Pré-visualização13 páginas
Convidamos todos para a reunião deste mês, que será realizada dia 30 de julho, no auditório 
da empresa. 
Atenciosamente, 
A Direção 
Ponto de Interrogação (?) 
É um sinal de pontuação aparentemente simples já que é usado no fim de uma interrogação 
direta, ou seja, no fim de uma pergunta, ainda que a pergunta não exija resposta, como na 
reportagem a seguir. 
Sem programa para sábado, depois da novela? Como dizia o velho bordão das Organizações 
Tabajara, \u2015seus problemas acabaram\u2016! Talvez você até já tenha visto, mas um episódio 
recente do \u2015Porta dos fundos\u2016 (\u2015Porta na TV\u2016) anuncia que ele \u2015finalmente chegam\u2016 à telinha! 
Cunha e Cintra (1985: 638) apontam um caso específico1 do uso de ponto de interrogação 
seguido de reticências. 
1 segundo os autores, se a pergunta envolve dúvida, costuma-se fazer interrogação seguida 
de reticências. 
Ex.: Então?...que foi isso?...a comadre?... (Artur Azevedo)\u2016 
Ponto de Exclamação (!) 
É o sinal que se coloca ao fim de qualquer enunciado de entoação exclamativa, ou seja, 
aparece depois de enunciados que expressam sentimentos como surpresa, felicidade, 
indignação etc. 
Essa emoção é expressa no título de uma reportagem publicada no portal G1 que trata da 
nomeação dos satélites de Plutão. 
Finalmente batizados! 
Esta semana a União Astronômica Internacional (IAU, em inglês) encerrou um debate que se 
iniciara em 2011 acerca dos nomes dos novos satélites de Plutão. Só para lembrar, Plutão era 
classificado como planeta até 2006, apesar de suas características peculiares. 
(http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2013/07/05/finalmente-batizados/) 
Reticências (...) 
Mais uma vez, vamos partir de um texto para pensar no uso das reticências? 
Ah, o fascínio pelas joias... E o designer Jack Vartanian sabe o nosso ponto fraco. Ou forte? Se 
já estamos em clima Dia das Mães, ele mandou ver na coleção \u2015For Moms\u2016, com as pedras 
mais incríveis do mundo. São preciosidades feitas com lapidação oval, em forma de corações, 
gota e navete. E as pedras que falamos aqui? Rubis, esmeraldas, safiras coloridas, turmalinas 
Paraíba, diamantes brancos e fancy yellow. Um luxo. 
(Disponível em < http://mosqueteirasliterarias.comunidades.net/a-origem-da-pontuacao>. 
Acesso em 18 ago. 2015.) 
Como podemos observar no texto, as reticências indicam uma interrupção da frase1. 
1 No caso, o narrador interrompe uma ideia que começou a exprimir e passa a considerações 
acessórias. 
Além desses usos, as reticências marcam suspensões provocadas por sentimentos como 
hesitação, surpresa, dúvida, timidez etc. 
Segundo Cunha e Cintra (1985:642) temos outros dois usos para as reticências: 
Empregam-se também as reticências para reproduzir, nos diálogos, não uma suspensão do 
tom da voz, mas o corte da frase de um personagem pela interferência da fala de outro. Se a 
fala do personagem continua normalmente depois dessa interferência, costuma-se preceder o 
seguimento de reticências. 
Ex.: 
-- Mas não me disse que acha... 
-- Acho. 
--...Que posso aceitar uma presidência, se me ofereceram? 
-- Pode; uma presidência aceita-se. 
(Machado de Assis)\u2016 
Usam-se ainda as reticências antes de uma palavra ou de uma expressão que se quer realçar. 
E teve um fim que nunca se soube... Pobrezinho... Andaria nos doze anos. Filho único. 
(S. Lopes Neto) 
Aspas Simples ( \u201e \u201f ) ou Aspas Duplas (\u201c \u201d) 
Veja a manchete a seguir e observe os usos das aspas simples. 
Após CD, Anitta quer show 'visual' de 'estrutura absurdamente grande' 
Aqui, as aspas são usadas para destacar palavras. 
\u2015Quero fazer o que nunca foi feito no Brasil\u2016', ela diz ao G1; veja vídeo.Para ela, brasileiro 
idolatra o que é de fora e 'murcha' o pop brasileiro. 
Depois elas aparecem para indicar uma citação. 
Segundo Cunha e Cintra (1985:643-44), as aspas empregam-se principalmente: 
a) No início e no fim de uma citação para distingui-la do resto do contexto: 
Ex.: O poeta espera a hora da morte e só aspira a que ela &quot;não seja vil, manchada de medo, 
submissão ou cálculo&quot;. (Manuel Bandeira) 
b) Para fazer sobressair termos ou expressões, geralmente não peculiares à linguagem 
normal de quem escreve (estrangeirismos, arcaísmos, neologismos, vulgarismos etc.): 
Ex.: Era melhor que fosse &quot;clown&quot;. (E. Veríssimo) 
c) Para acentuar o valor significativo de uma palavra ou expressão: 
A palavra &quot;nordeste&quot; é hoje uma palavra desfigurada pela expressão &quot;obras do Nordeste&quot; que 
quer dizer: &quot;obras contra as secas&quot;. E quase não sugere senão as secas. (G. Freyre) 
Cunha e Cintra (1985:645) comentam sobre o que nos diz o Formulário Ortográfico acerca do 
uso das aspas: &quot;Quando a pausa coincide com o final da expressão ou sentença que se acha 
entre aspas, coloca-se o competente sinal de pontuação depois delas, se encerram apenas 
uma parte da proposição; quando, porém, as aspas abrangem todo o período, sentença, frase 
ou expressão, a respectiva notação fica abrangida por elas\u2016. Ex: &quot;Mísera! tivesse eu aquela 
enorme, aquela Claridade imortal, que toda a luz resume!&quot; (Machado de Assis) 
Parênteses [ ( ) ] 
Para conversar sobre o uso dos parênteses, vamos primeiro ler um pequeno texto. 
\u2015O componente de originalidade de \u2015House of cards\u2016 está mais na forma que no conteúdo. O 
programa adapta um livro de Michael Dobbs que, em 1990, já tinha rendido uma série na 
Inglaterra. O cenário desta nova versão é a Washington atual, que tem como figura destacada 
o congressista Francis Underwood (Spacey). Dos créditos, consta mais gente conhecida, a 
começar pelo produtor e diretor do primeiro capítulo, David Fincher (Oscar por \u2015A rede 
social\u2016). A atriz Robin Wright (par de Tom Hanks em \u2015Forrest Gump\u2016) faz a esposa de 
Underwood. E Kate Mara (irmã de Rooney Mara, também de \u2015A rede social\u2016) é uma jovem 
jornalista que troca informações, favores e algo além com o protagonista.\u2016 
(http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2013/07/kevin-spacey-defende-series-e-fala-de-
corrupcao-em-house-cards.html) 
(VER MATERIAL ADICIONAL \u2013 USO DOS PARÊNTESES) 
Geralmente, pensamos que o travessão é um sinal de pontuação que serve, apenas, para 
marcar diálogos. No entanto, se observarmos textos que lemos todos os dias, como, por 
exemplo, os textos publicados em jornais, perceberemos outro uso para esse sinal de 
pontuação. 
\u2015Por mais que pensem e entendam o futebol, que executem variações táticas complexas e 
efetivas em seus sistemas de jogo \u2014 e é ingênuo achar que não o fazem, como mostra o 
esplêndido desempenho tático do Brasil contra a Espanha \u2014, treinadores como Felipão e Abel 
não abrem mão do1 que me ocorre chamar de paradigma das três torres: o 1 (goleiro), o 5 
(primeiro volante) e o 9 (centroavante) jogam fixos; o resto pode se mexer, ir e voltar, fazer 
curva e dar voltinha, mas esses três você sabe onde encontrar.\u2016 
(http://mosqueteirasliterarias.comunidades.net/a-origem-da-pontuacao>. Acesso em 18 ago. 
2015.) 
1 Nesse trecho, temos o uso do travessão para isolar, em um contexto, palavras ou frases, 
intercaladas em um enunciado. 
AULA 10 \u2013 A PONTUAÇÃO E O SENTIDO (PARTE II) 
Introdução 
O que essa brincadeira nos mostra é que o uso da vírgula (na verdade, dos sinais de 
pontuação em geral) altera o significado. 
Como a pontuação é uma marca do texto escrito, ela vai se relacionar a aspectos sintáticos e, 
portanto, ao padrão frasal. 
Exemplo: 
Governo e moradores nas ruas da comunidade. 
Últimos acontecimentos mostram os problemas de relacionamento entre as autoridades e os 
moradores da comunidade. 
 
Trata-se de uma manchete inventada como se tivesse sido publicada em um grande jornal de 
circulação. 
Na primeira frase, observamos apenas sintagmas nominais e preposicionados. 
Na segunda,