Sintaxe do Português I - Conteúdo Online
52 pág.

Sintaxe do Português I - Conteúdo Online


DisciplinaSintaxe do Português I173 materiais3.336 seguidores
Pré-visualização13 páginas
(V.S.a) e um predicativo no 
masculino: a concordância se fez com a ideia de que é um homem. 
Exemplo 2: A gente é muito amada. 
Exemplo 3: A gente é muito amado. 
Quando temos \u2017a gente\u2018, pode-se fazer a concordância no masculino ou no feminino. 
Segundo Bechara (2000:546), em casos como o (vinho) champanha, o (rio) Amazonas \u2015A 
palavra determinantes pode deixar de concordar em gênero e número com a forma da palavra 
determinada para levar em consideração, apenas, o sentido em que esta se aplica.\u2016 
Dicas! 
Veja, agora, algumas dicas: 
Afinal de contas, a palavra \u2017sol\u2018 tem plural? 
\u2015A palavra sol vive criando dúvidas quanto à formação do plural. O fato de haver um único sol 
não impede o seu plural. Quando falamos do sol do amanhecer e do sol do meio-dia, estamos 
falando de dois o quê? É lógico que são dois sóis diferentes. Ninguém diria \u2015dois sol\u2016 
diferentes. Outro exemplo é o uso metonímico de sol por dia: \u2015Estão faltando apenas dois sóis 
para chegarmos\u2016. 
Portanto, estão corretíssimos os plurais de girassol e guarda-sol: girassóis e guarda-sóis. 
Quanto ao pôr do sol, o caso é diferente. Nesse caso, quando há preposição entre os dois 
elementos da palavra composta, a regra manda pôr apenas o primeiro elemento no plural: 
pores do sol. 
Com respeito aos \u2015raios solares\u2016, não há o que discutir. Solar, como todo adjetivo, deve 
concordar com o substantivo a que se junta para qualificá-lo. (...) Se a justificativa do \u2015único 
sol\u2016 valesse, teríamos que dizer \u2015bandeiras brasileira\u2016, pois só há um Brasil. 
Outros Casos de Concordância Nominal 
Conheça, agora, outros casos de concordância: 
\u2022 É bom, é necessário, é proibido, é permitido etc. 
Essas expressões só se flexionam se o substantivo a que se referem estiver determinado. 
Ex.: É necessário ter calma nas atitudes. 
Ex.: A calma nas atitudes é necessária. 
\u2022 Obrigado, servido 
Quando essas palavras são usadas como formas de se agradecer devem concordar em gênero 
e número com o emissor. 
Ex.: A garota disse: \u2017Muito obrigada por tudo!\u2018 / 
As garotas disseram: \u2017Muito obrigadas por tudo!\u2018 
Ex.: \u2017Estou servido\u2018, disse o menino. / 
\u2017Estamos servidos\u2018, disseram os meninos. 
\u2022 Anexo, apenso, incluso, junto, esperado 
Como todas essas palavras são adjetivos, deverão concordar tanto em gênero quanto em com 
seus referentes. 
Ex.: O documento está incluso ao processo. / 
Os documentos estão inclusos ao processo. 
Ex.: A planilha não está apensa ao documento. / 
As planilhas não estão apensas ao documento. 
\u2022 Meio 
Quando a palavra \u2017meio\u2018 equivaler a \u2017metade\u2018 será um numeral e, portanto, deverá concordar 
com seu referente. Se ela funcionar como advérbio, ou seja, quando significar \u2017mais ou 
menos\u2018, não concordará. 
Ex.: Ele bebeu uma garrafa e meia de coca-cola. 
Ex.: Ele estava meio cansado e foi dormir. 
\u2022 Haja vista 
A expressão \u2017haja vista\u2018 é invariável\u2018. 
Ex.: Ele chegou tarde HAJA VISTA o problema surgido. 
Ex.: Ele chegou tarde HAJA VISTA os problemas surgidos. 
\u2022 Junto 
No entanto, as locuções prepositivas junto a / junto de /junto com (ao lado de) são formas 
invariáveis e, portanto, não haverá concordância. 
Ex.: Nós estamos juntos a ele para o que for necessário. 
Ex.: Nós estamos junto a ele para o que for necessário. 
\u2022 Alerta 
Assim como a palavra \u2017menos\u2018, \u2017alerta\u2018 é um advérbio e, como palavra invariável, não concorda 
com o referente. 
Ex.: O médico está alerta devido ao acidente que ocorreu na rodovia. 
Ex.: Os médicos estão alerta devido ao acidente que ocorreu na rodovia. 
\u2022 Um e outro, um ou outro, nem um nem outro 
Com essas locuções pronominais indefinidas seguidas de adjetivos e/ou substantivos teremos 
o substantivo no singular e o adjetivo no plural. 
Ex.: O médico consultou um e outro paciente machucados. 
Observações 
\u2022 Um substantivo quando funciona como adjetivo é invariável. 
Assim, devemos dizer: Ela é um monstro sagrado da música. 
\u2022 Se o adjetivo funcionar como advérbio ficará invariável. 
Ex.: Os carros custaram muito caro. (advérbio) 
Ex.: Os carros caros foram vendidos rápidos. (adjetivo) 
Bechara afirma que nos adjetivos compostos que se referem a nacionalidades, se esse 
adjetivo for composto de dois ou mais elementos, a concordância acontece, somente, no 
último adjetivo do composto. 
Vejamos os exemplos apresentados pelo autor: 
A. Acordo luso-brasileiro. 
B. Amizade luso-brasileira. 
C. Lideranças luso-brasileiras. 
AULA 7 \u2013 CONCORDÂNCIA VERBAL 
Regras 
\u2022 Regra Geral de Concordância 
A regra mais básica de Concordância estabelece que o verbo concorda com o sujeito simples e 
com o sujeito composto em número e pessoa. 
Ex.: O carro enguiçou. 
Os carros enguiçaram. 
A mãe e o filho saíram para a festa. 
Nossos problemas com a concordância começam quando estudamos as regras especiais1 que 
envolvem a Concordância Verbal. 
Ex.: Professores, alunos, coordenadores, ninguém (aposto resumitivo) gostou da nova 
diretora. 
1 a) Segundo Ribeiro (2012, p. 274), se os núcleos do sujeito forem sinônimos, o verbo fica, 
normalmente no plural, mas o uso no singular é permitido. Vejamos os exemplos fornecidos 
pelo autor: 
Seu orgulho e sua soberba estavam neste barão. 
Triste ventura e negro fado os chama neste terreno meu. 
b) Se os núcleos formam uma gradação também temos a possibilidade de o verbo ficar no 
singular ou ir para o plural. 
Ex.: A saúde, a força, a vitalidade faziam-me ver as coisas diferentes. (Ribeiro: 2012, p. 274) 
c) Se os núcleos do sujeito aparecem seguidos de aposto resumitivo: com as palavras tudo, 
nada, ninguém, o verbo concorda com o aposto. 
Regras Relacionadas ao Sujeito 
\u2022 Sujeito composto depois do verbo 
Nesse caso, a regra é optativa: o verbo vai para o plural ou concorda com o núcleo mais 
próximo, se este estiver no singular. 
Ex.: Ainda reinava (ou reinavam) a confissão e a tristeza. (Ribeiro: 2012, p. 273) 
\u2022 Sujeito composto e de pessoas diferentes 
a) Se temos a 1ª pessoa do singular ou do plural, o verbo vai para a 1ª pessoa do plural. 
Ex.: Carla e eu viajaremos juntas no próximo semestre. 
 Carla e nós viajaremos juntas no próximo semestre. 
b) se temos 2ª pessoa do singular (tu) ou do plural (vós), o verbo pode ir para a 2ª pessoa do 
plural ou para a 3ª pessoa do plural. 
Ex.: Tu e ele viajareis juntos no próximo semestre. 
 Tu e ele viajarão juntos no próximo semestre. (Essa é a concordância mais usada 
atualmente.) 
\u2022 Sujeitos ligados por \u2017com\u2018 
O verbo irá para o plural, mas pode concordar com o primeiro núcleo, se o objetivo for realçá-
lo. 
Ex.: Ela com a mãe deu/deram o carro de presente. 
\u2022 Sujeitos ligados por \u2017nem... nem\u2018 
O verbo vai para o singular ou para o plural. No entanto, Bechara (1999, p. 556) e outros 
autores respeitados consideram mais comum o uso do verbo no plural. 
Ex.: Nem um nem outro viajou para Paris. 
Nem um nem outro viajaram para Paris. 
Nem a casa nem a fazenda foi vendida. 
Nem a casa nem a fazenda foram vendidas. 
\u2022 Sujeitos ligados por \u2017ou\u2018 
a) Ideia de exclusão ou de retificação. 
Ex.: Ana ou Júlia será a candidata ao grêmio. 
(Temos ideia de exclusão e o verbo fica no singular: o fato só pode ser atribuído a um dos 
núcleos) 
Os alunos ou os professores montaram os painéis no pátio. 
(Temos a ideia de retificação do número gramatical: nesse caso, o verbo concorda com o 
sujeito mais próximo) 
b) Sem ideia de exclusão. Quando a ação ou fato pode ser atribuída a todo no sujeito, o verbo 
vai para o plural na pessoa gramatical predominante. 
Ex.: O marido ou a mulher não desistem do filho perdido. 
\u2022 Sujeito formado por expressões percentuais 
Segundo Bechara, nas expressões