Sintaxe do Português I - Conteúdo Online
52 pág.

Sintaxe do Português I - Conteúdo Online


DisciplinaSintaxe do Português I173 materiais3.336 seguidores
Pré-visualização13 páginas
possessivo \u201csua\u201d que atuaria como determinativo para o núcleo \u201cmãe\u201d (\u201csua mãe\u201d).
Os Sinais de Pontuação e Sua Aplicação
Celso Cunha, em sua Nova Gramática do Português Contemporâneo, nos diz que os sinais de pontuação podem ser classificados em dois grupos:
1. Sinais pausais. São sinais que, fundamentalmente, se destinam a marcar as pausas, entendendo-se como o término de uma unidade de forma e de sentido e não mais com a antiga visão que vinculava pausa a respiração.
Ponto-final (.);
Vírgula ou coma (,);
Ponto e vírgula (;)
2. Sinais melódicos. São sinais cuja função é marcar a melodia, a entonação, ou seja, são sinais que delimitam, em nossa escritas, as unidades que, na fala, são associadas a certas entoações.
\ufffd
Dois-pontos (:);
Ponto de interrogação (?);
Ponto de exclamação ou admiração (!);
Reticências (...);
Travessão (-);
Parênteses ();
Colchetes ([]);
Aspas (\u201c\u201d);
Traço de união ou hífen (-)
Vírgula (,)
Serve para marcar a pausa de pequena duração. Ela é usada para separar elementos de uma oração e orações de um só período.
Ponto (.)
Segundo Ribeiro (2012:358), temos dois tipos de ponto: o ponto simples, também chamado ponto-final, e o ponto parágrafo. O primeiro é usado para um mesmo conjunto de ideias e o segundo para marcar outro grupo de pensamentos.
Ponto e Vírgula (;)
Bechara (2000:611) afirma que este sinal serve de intermediário entre o ponto e a vírgula: \u201cRepresenta uma pausa mais forte que a vírgula e menos que o ponto\u201d.
Regras que aparecem em Cunha e Cintra (1985: 634,635):
Para separar, em um período, as orações da mesma natureza que tenham certa extensão.
Para separar partes de um período, das quais uma pelo menos esteja subdividida por vírgula.
Ex.: Chamo-me Inácio; ele, Benedito. (Machado de Assis). 
Para separar os diversos itens de enunciados enumerativos (em leis, decretos, portarias, regulamentos etc.), como estes que iniciam o Artigo 1º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
Art. 1º A educação nacional, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por fim: a compreensão dos direitos e deveres da pessoa humana, do cidadão, do Estado, da família e dos demais grupos que compõem a comunidade; 
o respeito à dignidade e às liberdades fundamentais do homem; 
o fortalecimento da unidade nacional e da solidariedade internacional; 
o desenvolvimento integral da personalidade humana e a sua participação na obra do bem comum[...]\u201d
Dois-Pontos (:)
Esse sinal de pontuação marca uma suspensão na melodia de uma frase não concluída. 
Emprega-se, geralmente:
Para anunciar a fala de personagens nas histórias de ficção.
Ex.: Ouvindo passos no corredor, abaixei a voz:
Podemos avisar sua tia, não? (Graciliano Ramos)
Para anunciar uma citação.
Ex.: Bem diz o ditado: Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
Lembrando um poema de Vinícius de Moraes: "Tristeza não tem fim, Felicidade sim."
Para anunciar uma enumeração.
Ex.: Os convidados da festa que já chegaram são: Júlia, Renata, Paulo e Marcos.
Antes de orações apositivas. 
Ex.: Só aceito com uma condição: Irás ao cinema comigo.
Para indicar um esclarecimento, resultado ou resumo do que se disse.
Ex.: Marcelo era assim mesmo: Não tolerava ofensas.
Resultado: Corri muito, mas não alcancei o ladrão.
Em resumo: Montei um negócio e hoje estou rico.
Obs.: os dois-pontos costumam ser usados na introdução de exemplos, notas ou observações. Veja: 
Parônimos são vocábulos diferentes na significação e parecidos na forma. 
Exemplos: ratificar/retificar, censo/senso etc. 
Nota: a preposição "per", considerada arcaica, somente é usada na frase "de per si " 
(= cada um por sua vez, isoladamente).
Observação: na linguagem coloquial, pode-se aplicar o grau diminutivo a alguns advérbios: cedinho, melhorzinho etc.
Na invocação das correspondências.  
Prezados Senhores:
Convidamos todos para a reunião deste mês, que será realizada dia 30 de julho, no auditório da empresa.
Atenciosamente, 
A Direção
Ponto de Interrogação (?)
É um sinal de pontuação aparentemente simples já que é usado no fim de uma interrogação direta, ou seja, no fim de uma pergunta, ainda que a pergunta não exija resposta, como na reportagem a seguir.
Sem programa para sábado, depois da novela? Como dizia o velho bordão das Organizações Tabajara, \u201cseus problemas acabaram\u201d! Talvez você até já tenha visto, mas um episódio recente do \u201cPorta dos fundos\u201d (\u201cPorta na TV\u201d) anuncia que ele \u201cfinalmente chegam\u201d à telinha!
Cunha e Cintra (1985: 638) apontam um caso específico1 do uso de ponto de interrogação seguido de reticências.
1 segundo os autores, se a pergunta envolve dúvida, costuma-se fazer interrogação seguida de reticências.
Ex.: Então?...que foi isso?...a comadre?... (Artur Azevedo)\u201d
Ponto de Exclamação (!)
É o sinal que se coloca ao fim de qualquer enunciado de entoação exclamativa, ou seja, aparece depois de enunciados que expressam sentimentos como surpresa, felicidade, indignação etc.  
Essa emoção é expressa no título de uma reportagem publicada no portal G1 que trata da nomeação dos satélites de Plutão.
Finalmente batizados!
Esta semana a União Astronômica Internacional (IAU, em inglês) encerrou um debate que se iniciara em 2011 acerca dos nomes dos novos satélites de Plutão. Só para lembrar, Plutão era classificado como planeta até 2006, apesar de suas características peculiares. (http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2013/07/05/finalmente-batizados/)
Reticências (...)
Mais uma vez, vamos partir de um texto para pensar no uso das reticências?
Ah, o fascínio pelas joias... E o designer Jack Vartanian sabe o nosso ponto fraco. Ou forte? Se já estamos em clima Dia das Mães, ele mandou ver na coleção \u201cFor Moms\u201d, com as pedras mais incríveis do mundo. São preciosidades feitas com lapidação oval, em forma de corações, gota e navete. E as pedras que falamos aqui? Rubis, esmeraldas, safiras coloridas, turmalinas Paraíba, diamantes brancos e fancy yellow. Um luxo.
(Disponível em < http://mosqueteirasliterarias.comunidades.net/a-origem-da-pontuacao>. Acesso em 18 ago. 2015.)
Como podemos observar no texto, as reticências indicam uma interrupção da frase1.
1 No caso, o narrador interrompe uma ideia que começou a exprimir e passa a considerações acessórias.
Além desses usos, as reticências marcam suspensões provocadas por sentimentos como hesitação, surpresa, dúvida, timidez etc.
Segundo Cunha e Cintra (1985:642) temos outros dois usos para as reticências:
Empregam-se também as reticências para reproduzir, nos diálogos, não uma suspensão do tom da voz, mas o corte da frase de um personagem pela interferência da fala de outro. Se a fala do personagem continua normalmente depois dessa interferência, costuma-se preceder o seguimento de reticências.
Ex.:
-- Mas não me disse que acha... 
-- Acho. 
--...Que posso aceitar uma presidência, se me ofereceram? 
-- Pode; uma presidência aceita-se. 
(Machado de Assis)\u201d
Usam-se ainda as reticências antes de uma palavra ou de uma expressão que se quer realçar.
E teve um fim que nunca se soube... Pobrezinho... Andaria nos doze anos. Filho único. 
(S. Lopes Neto)
Aspas Simples ( \u2018  \u2019 ) ou Aspas Duplas (\u201c  \u201d)
Veja a manchete a seguir e observe os usos das aspas simples.
Após CD, Anitta quer show 'visual' de 'estrutura absurdamente grande' 
Aqui, as aspas são usadas para destacar palavras.
\u201cQuero fazer o que nunca foi feito no Brasil\u201d', ela diz ao G1; veja vídeo.Para ela, brasileiro idolatra o que é de fora e 'murcha' o pop brasileiro.
Depois elas aparecem para indicar uma citação.
Segundo Cunha e Cintra (1985:643-44), as aspas empregam-se principalmente:
No início e no fim de uma citação para distingui-la do resto do contexto: 
Ex.: O poeta espera a hora da morte e só aspira a que ela &quot;não seja vil, manchada de medo, submissão ou cálculo&quot;. (Manuel Bandeira) 
Para fazer sobressair termos ou expressões,