Certificacao Ambiental
31 pág.

Certificacao Ambiental


DisciplinaHidrologia5.433 materiais32.294 seguidores
Pré-visualização2 páginas
operação e manutenção para ponto de abastecimento; 
\u2013 Parte 5: Projeto, metodologia de dimensionamento de vazão, instalação, 
operação e manutenção para bases e terminais; 
\u2013 Parte 6: Projeto, metodologia de dimensionamento de vazão, instalação, 
operação e manutenção para outras atividades de armazenamento e manuseio 
de combustíveis e lubrificantes; 
\u2013 Parte 7: Ensaio padrão para determinação do desempenho de separadores de 
água e óleo provenientes da drenagem superficial; 
\u2013 Parte 8: Ensaio padrão para determinação do desempenho de separadores de 
água e óleo provenientes da drenagem superficial para bases e terminais 
NBR 14605/2 
\u2022 Estabelece: 
 
\u2013 Parâmetros para projeto, 
\u2013 Metodologia de dimensionamento de vazão; 
\u2013 Instalação, operação e manutenção do SDO; 
NBR 14605/2 
\u2022 Sistema de drenagem oleosa deverá ser 
composto de: 
 
\u2013 Área de contribuição, 
\u2013 Canaletes e tubulações, 
\u2013 Caixa de areia, 
\u2013 Sistema de retenção de resíduos flutuantes, 
\u2013 Separador de água e óleo, 
\u2013 Reservatório de óleo separado, 
\u2013 Caixa de amostragem do efluente 
\u2013 Compartimento de contenção. 
 
NBR 14605/2 
\u2022 Concepção do sistema 
NBR 14605/2 - Exigências 
\u2022 Exigências que deverão ser atendidas pelo separador de água e 
óleo: 
 
 
\u2013 Ter sua eficiência avaliada, conforme ABNT NBR 14605-7; 
 
\u2013 Ter um profissional habilitado responsável pelo projeto, execução e instalação; 
 
\u2013 Ser construída de material rigorosamente estanque e com permeabilidade 
máxima de 10-6 cm/s, referenciado à água a 20 °C; 
 
\u2013 Ter um reservatório de óleo separado como parte integrante com volume 
mínimo de armazenamento temporário para uma semana; 
 
 
NBR 14605/2 - Exigências 
 
\u2022 Exigências que deverão ser atendidas pelo separador de água e 
óleo: 
 
\u2013 Ter acesso às suas partes internas, viabilizando limpeza e manutenção 
 
\u2013 Possuir tampa de acesso que resista ao tráfego de automóveis e caminhões, 
conforme Anexo F da ABNT NBR 15118:2004; 
 
\u2013 Ter tampa cega que evite a entrada de águas pluviais; 
 
\u2013 Ser estruturado ou instalado dentro de estrutura especificada pelo fabricante 
para suportar esforços provenientes do tráfego de veículos e solicitações do solo 
do entorno 
NBR 14605/2 - Parâmetros 
\u2022 Parâmetros a serem obedecidos para 
lançamento de efluentes 
 
\u2022 Previstos na Resolução 357 CONAMA: 
 
\u2013 Óleos e graxas: 20 mg/L 
\u2013 Materiais sedimentáveis: 1 mL/L 
\u2022 Ensaio A: investigação do arraste de óleo na sua capacidade 
de estocagem. 
 
\u2013 Objetivo: verificar se não ocorre o fenômeno de arraste de óleo quando 
o separador atinge a capacidade de estocagem de óleo, definida pelo 
fabricante; 
 
\u2022 Ensaio B: ensaio de drenagem contaminada. 
 
\u2013 Objetivo: avaliar a capacidade do sistema para reduzir o total de 
hidrocarbonetos contidos no afluente, submetido à diferentes 
concentrações de óleos e graxas. 
\u2013 Teste com 350 mg/L ou 1000 mg/L. 
 
NBR 14605/7 
NBR 14605/7 
\u2022 Condições operacionais para realização 
dos testes: 
 
\u2013 Vazão utilizada para os ensaios deve ser a 
mesma vazão definida pelo fabricante do 
separador, 
\u2013 Temperatura da água deve estar entre 10°C e 
21,1°C; 
\u2013 pH entre 6 e 9. 
 
OBRIGADO 
www.masterambiental.com.br