Teoria da Literatura II - Avaliando o Aprendizado
27 pág.

Teoria da Literatura II - Avaliando o Aprendizado


DisciplinaTeoria da Literatura II1.054 materiais8.707 seguidores
Pré-visualização10 páginas
elementos da poesia como rima, ritmo, harmonia e metro, também elabora 
teorias sobre o verso livre, evidenciando o conceito de: 
 
 Narrador 
 Prosa 
 Narrativa 
 Prosa poética 
 Poética 
 
2
a
 Questão (Ref.: 201505109247) 
 
 
No livro "Inútil Poesia", de Leyla Perrone-Moisés, da Companhia das Letras, nos deparamos com um ensaio que dá 
nome ao volume. Nele, a autora trata do sentido geral da poesia de Mallarmé; esse ensaio traz um dos motes do livro: a 
proposição e defesa do valor crítico da grande obra literária como atividade gratuita e questionadora da corrupção da 
linguagem utilitária do dia a dia e das "relações humanas" que por ela se expressam. Stéphane Mallarmé condensou essa 
proposta com a ideia de que o livro deve ser entendido como expansão total da "letra". 
Assinale a alternativa correta. Com base no texto acima, concluímos que o crítico adota diversas perspectivas da 
linguagem, colocando em evidência: 
 
 Aspectos Descritivos, Igualitários e Autênticos do autor. 
 Aspectos Semânticos, Morfológicos e Fonéticos da palavra. 
 Aspectos Biográficos, Sociais e Semânticos da palavra. 
 Aspectos Biográficos, Sociais e Históricos do autor. 
 Aspectos Sintáticos, Lexicais e Fonéticos da palavra. 
 
3
a
 Questão (Ref.: 201505109274) 
 
 
"Os formalistas consideravam que a obra literária não era um mero veículo de ideias, tampouco uma reflexão sobre a 
realidade; era um fato material plausível de análise. Era formada por palavras, não por objetos ou sentimentos, e seria 
um erro considerá-la como a expressão do pensamento de um autor." 
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/1659101 
 
Tomando por base o texto acima, podemos afirmar que: o Formalismo Russo recusa as tendências de compreensão do 
texto poético vinculado a questões? 
 
 Sociais ou à biografia do autor. 
 Morfológicas ou Semânticas. 
 Fonéticas ou Lexicais. 
 Históricas ou Sintáticas. 
 Do Signo poético ou neologismos. 
 
4
a
 Questão (Ref.: 201505109295) 
 
 
"A letra e o signo verbal serão considerados por nós como a base de toda a literatura. Uma das consequências dessa 
decisão será que o conhecimento da literatura e o conhecimento da linguagem são simultâneos e que só poderemos falar 
do discurso literário na medida em que possamos falar do verbo em geral, e inversamente." (Estruturalismo e poética. 
São Paulo: Cultrix, 1970. p. 22) 
O excerto acima, da obra "Estruturalismo e poética", foi produzido por qual teórico do estruturalismo? 
 
 Tzvetan Todorov 
 Yuri Tynianov 
 Viktor Chklovsky 
 Roman Jakobson 
 Vladimir Propp 
 
5
a
 Questão (Ref.: 201504743093) 
 
 
Osip Brik expôs argumentos em defesa da análise formalista do texto poético, entre os quais o de que tudo o que o poeta 
escreve não possui valor como expressão do seu "Eu". Apontando que realmente o que interessa aos formalistas são os 
elementos que compõem o texto. Com base nesta afirmação podemos afirmar que Brik estava se referindo: 
 
 A desautomatização 
 A consciência linguística 
 A litetrariedade 
 A construção fonética 
 Ao estranhamento 
 
6
a
 Questão (Ref.: 201505109571) 
 
 
Para os formalistas, a análise literária deveria ser efetuada apenas por meios: 
 
 Estéticos da obra. 
 Biográficos do autor. 
 Históricos da obra. 
 Internos do autor. 
 Externos da obra. 
 
7
a
 Questão (Ref.: 201504729494) 
 
 
Quando o Formalismo Russo recusa as tendências de compreensão do texto poético vinculado a questões sociais ou à 
biografia do autor. O signo poético passa a ser privilegiado na análise, e o crítico adota diversas perspectivas da 
linguagem, colocando em evidência quais aspectos da palavra? 
 
 Sintáticos, semânticos e fonéticos. 
 Sintáticos, pragmáticos e morfológicos. 
 Semânticos, sintáticos e morfológicos. 
 Semânticos, morfológicos e fonéticos. 
 Sintáticos, morfológicos e fonéticos. 
 
8
a
 Questão (Ref.: 201504740446) 
 
 
O Formalismo compreende a obra como produto estético, negando assim quaisquer abordagens que privilegiem fatores 
extraliterários em relação à obra propriamente dita. Logo o Formalismo Russo recusa as tendências de compreensão do 
texto poético vinculado: 
 
 questões pessoais ou à biografia do autor 
 questões sociais ou à biografia do autor 
 questões políticas ou à biografia do autor 
 questões subjetivas ou à biografia do autor 
 questões econômicas ou à biografia do autor 
Aula 6 
1
a
 Questão (Ref.: 201504615259) 
 
 
O estudo de Vladimir Propp levou a conclusões iniciais sobre a construção dos contos populares. Qual dessas conclusões 
justifica a procedência de uma análise morfológica? 
 
 Os contos populares são construídos com diferenças significativas em relação ao tema. 
 Os contos populares possuem sempre o mesmo arquétipo de um herói. 
 Os contos populares iniciam sempre com a expressão ¿Era uma vez...¿. 
 Os contos populares possuem uma construção monotípica, pois suas bases são inalteráveis. 
 Os contos populares não sofrem variações no final da estória. 
 
2
a
 Questão (Ref.: 201504615253) 
 
 
Conforme a metodologia de Vladimir Propp, o que se entende por ¿função¿ no conto popular? 
 
 ¿Função¿ é o trabalho desenvolvido pelo teórico formalista na análise de uma narrativa. 
 ¿Função¿ é a ação de cada personagem no conto maravilhoso. 
 ¿Função¿ é a classificação primeira de todo conto popular, o que designa seu papel social. 
 ¿Função¿ é o combate final entre o herói de um conto e seu antagonista. 
 ¿Função¿ é a estrutura profunda de um conto popular a ser destacada pelo analista. 
 
3
a
 Questão (Ref.: 201504615246) 
 
 
Ao estudar a morfologia dos contos maravilhosos, Vladimir Propp forneceu elementos para que os teóricos do 
Formalismo Russo tivessem resposta para uma das grandes dúvidas suscitadas pela construção das narrativas populares. 
Qual foi essa contribuição? 
 
 Propp identificou semelhanças na configuração do herói nos diversos contos populares, mas diferenças nos 
demais elementos dessas narrativas. 
 Propp desenvolveu a tese de que havia absoluta independência temática entre os diversos contos populares. 
 Propp destacou os elementos não válidos e invisíveis das narrativas populares. 
 Propp conseguiu elucidar os motivos pelos quais havia semelhanças entre contos originários de povos que 
não mantinham contato entre si. 
 Propp conseguiu provar que não havia ocorrências idênticas nos diversos contos originários de diferentes 
culturas. 
 
4
a
 Questão (Ref.: 201504615280) 
 
 
Os formalistas estudaram partes do texto literário isoladamente e, após, sua relação com os outros componentes do 
mesmo texto. Vladimir Propp aplicou esse método ao estudo do folclore russo, especificamente: 
 
 À ironia machadiana . 
 Aos contos de magia. 
 Às crônicas. 
 À estética. 
 À poesia. 
 
5
a
 Questão (Ref.: 201504729499) 
 
 
Sobre a aplicação da morfologia de Propp à análise de contos é correto afirmar que todo conto maravilhoso tem como 
elemento morfológico: 
 
 Personagens não obedecem às categorias que pertencem. 
 Funções ilimitadas. 
 Situação inicial. 
 Personagem em uma única esfera de ação. 
 Bases alteráveis. 
 
6
a
 Questão (Ref.: 201504615277) 
 
 
A palavra ¿morfologia¿ tem como significado estrito: 
 
 ¿O estudo do mofo¿. 
 ¿O estudo das relações semânticas¿. 
 ¿O estudo das formas¿. 
 "O estudo pragmático". 
 ¿O estudo intertextual¿. 
 
7
a
 Questão (Ref.: 201504615250) 
 
 
Qual tese Vladimir Propp utilizou para defender seu estudo?
Lea
Lea fez um comentário
Esse material é completissimo. Salvou meu semestre. Obrigada!
0 aprovações
Carregar mais