Teoria da Literatura II - Avaliando o Aprendizado
29 pág.

Teoria da Literatura II - Avaliando o Aprendizado


DisciplinaTeoria da Literatura II1.050 materiais8.684 seguidores
Pré-visualização13 páginas
dita e a crítica representada pela recensão de livros, as quais podem ser distinguidas pela natureza e pela função. Sobre a natureza, esclarece que é uma: 
	
	
	"tarefa de analisar a obra de arte literária; requer pressupostos doutrinários e uma metódica explícita, padrões e critérios de aferição de valores, uma epistemologia e fundamentos filosóficos". 
	
	"tarefa de analisar e interpretar a obra de arte literária; sem requerer pressupostos doutrinários ou uma metódica explícita, padrões e critérios de aferição de valores, uma epistemologia e fundamentos filosóficos". 
	
	"tarefa de analisar a obra de arte literária; não requer pressupostos doutrinários e uma metódica explícita, padrões e critérios de aferição de valores, uma epistemologia e fundamentos filosóficos". 
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	"tarefa de analisar, interpretar e julgar a obra de arte literária; requer pressupostos doutrinários e uma metódica explícita, padrões e critérios de aferição de valores, uma epistemologia e fundamentos filosóficos". 
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	"tarefa de julgar a obra de arte literária; que requer pressupostos doutrinários e uma metódica explícita, padrões e critérios de aferição de valores, uma epistemologia e fundamentos filosóficos". 
	
	8a Questão (Ref.: 201504615320)
	
	
	Afrânio Coutinho faz uma distinção entre a crítica literária propriamente dita e a crítica representada pela recensão de livros, as quais podem ser distinguidas pela natureza e pela função. Quanto à FUNÇÃO, podemos afirmar que o crítico considerada ser: 
	
	
	Uma crítica complicada, uma espécie de crítica que informa e demonstra ao público leitor como o mercado editorial está estagnado.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Uma crítica aplicada, uma espécie de jornalismo que informa e orienta o público a respeito do mercado editorial e que faz a síntese do conteúdo de livros e comentários sobre o valor da obra que esteja sendo lançada. 
	
	Uma crítica diferenciada, uma espécie de jornalismo que informa de maneira humorada quanto ao lançamento de boas obras literárias e aponte qual não deve ser lida por ser impossível estabelecer a verdade entre os personagens.
	
	Uma crítica pura, sem ter que esmular a leitura de obras que só falam de ficção.
	
	Uma crítica impura, uma espécie de recortes históricos da obra literária que informam e orientam o público leitor quanto ao futuro da sociedade.
Aula 9
	1a Questão (Ref.: 201504620701)
	
	
	Eça de Queirós, romancista português, acreditava que a literatura possuía uma função social porque:
	
	
	deveria defender o sistema político vigente.
	
	deveria enaltecer os valores da sociedade burguesa.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	deveria enaltecer os valores cristãos pregados no século XIX.
	
	deveria valorizar os pobres e denunciar a exploração a que eram submetidos pelas classes mais favorecidas.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	deveria atacar a hipocrisia burguesa. 
	
	2a Questão (Ref.: 201505112222)
	
	
	A Escola de Frankfurt também chamada, no início, de Instituto de Pesquisas Sociais foi de modo bem resumido, um agrupamento de marxistas que, durante a década de 20, do século passado, elaborou uma crítica ampla da sociedade chamada Teoria Crítica. Sobre essa Escola não é válido afirmar:
	
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	O foco principal de suas críticas era a ação cultural.
	
	Utilizava de um marxismo revisitado e, mesclando-o com outras doutrinas, inclusive psicológicas, fazia uma crítica generalizada e contundente do mundo, da arte, do capitalismo, do consumo, etc.
	
	Representava uma crítica à sociedade envenenada por um capitalismo perverso, dominado por poderosos que reificavam (coisificavam) pessoas, anulando-lhes a capacidade de ser no mundo, de ser pensante e com consciência de classe.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Não via nenhum problema nas crenças marxistas, por isso, seus teóricos revisitaram-nas. 
	
	Pelas lentes do marxismo, observava a sociedade, criticando-a através da Teoria Crítica, visando uma transformação dialética da cultura ocidental, que alienava os indivíduos. 
	
	3a Questão (Ref.: 201505112207)
	
	
	Os teóricos da Escola de Frankfurt, ao criarem a Teoria Crítica, pretendiam compreender a sociedade contemporânea e apresentar soluções para os problemas da vida moderna. A preocupação maior dessa Teoria está voltada para um instrumento alienador de ideias e base do autoritarismo político nomeado de:
	
	
	Aura artística.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Indústria Cultural.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Razão Instrumental.
	
	Cultura de massa.
	
	Dialética do Esclarecimento. 
	4a Questão (Ref.: 201505112195)
	
	
	A tese do Humanismo Normativo, segundo a qual o ser humano não aceitaria condições sociais contrárias à sua natureza, partiu de um dos teóricos da Escola de Frankfurt. A autoria dessa tese se deve a:
	
	
	Herbert Marcuse.
	
	Theodor Adorno.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Erich Fromm.
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Max Horkheimer.
	
	Walter Benjamin.
	5a Questão (Ref.: 201505255349)
	
	
	A indústria Cultural está associada ao universo dos meios de comunicação de massa e teve como representantes máximos:
	
	
	Muniz Sodré e Walter Benjamin
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_nao.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Benjamin e Antônio Candido
	
	Adorno e Iser
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	Theodor Adorno e Walter Benjamin
	
	Muniz Sodré e Adorno
	
	6a Questão (Ref.: 201505112124)
	
	
	A Escola de Frankfurt consistia em um grupo de intelectuais que na primeira metade do século passado produzia um pensamento conhecido como Teoria Crítica. Para os frankfurtianos, a razão que desponta com a valorização da ciência cada vez mais evidente, trata-se de uma razão instrumental. Assim sendo, não se pode afirmar:
	
	
	Os frankfurtianos estendiam que havia uma dominação também aos homens, cada vez mais alienados dos processos sociais em que estavam envolvidos. 
	
	Para a Escola de Frankfurt alguns dos aspectos centrais da dominação da técnica capitalista seriam a indústria cultural e a massificação do conhecimento, da arte e da cultura que se produzia naquele contexto. 
	
	Segundo a Teoria Crítica, a ciência não seria imparcial, mas controlaria o exterior e o interior do homem. 
	\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://simulado.estacio.br/img/imagens/peq_ok.gif" \* MERGEFORMATINET 
	A indústria cultural garantiria a força expressiva do conhecimento, da arte e da cultura e de seus significados próprios, protegendo-os do consumo capitalista.
	
	Para a Teoria Crítica, a racionalidade de cunho positivista, própria do sistema capitalista, visava à dominação e intervenção na natureza a serviço do poder do capital.
	
	7a Questão (Ref.: 201504620695)
	
	
	Os teóricos e cientistas cujos pensamentos influenciaram os fundadores da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt pertencem a correntes diversas e vinculam-se a movimentos distintos. Em todos eles, no entanto, destaca-se:
	
	
	O pensamento