trasporte publico
6 pág.

trasporte publico


DisciplinaTransporte Público Urbano7 materiais18 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ULBRA - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL
Logística de transporte público
Nome: Éder de Souza
Professor: Erico Michels
 
Sistemas de transportes
Inicialmente, nas últimas décadas do século XV até o início do século XVI, os meios de transporte eram limitadores do alcance das práticas comerciais até mesmo na comercialização de produtos perecíveis. O desenvolvimento da navegação marítima permitiu, além da expansão colonial europeia, uma maior amplitude em termos comerciais, passando a integrar diferentes regiões do planeta por diferentes rotas. A produção de matérias-primas e de produtos manufaturados e o consequente desenvolvimento das sociedades puderam, então, consolidar-se no período chamado de Capitalismo Comercial.
Posteriormente, com os avanços promovidos pelas Primeiras e Segundas Revoluções Industriais até o final do século XIX, os meios de transporte conheceram um novo salto com a invenção da máquina a vapor e o meio ferroviário, bem como o maior desenvolvimento da navegação. Esses instrumentos permitiram, então, a integração intraterritorial em vários países e continentes, além de intensificar as trocas comerciais internacionais.
O século XX, por sua vez, foi o século do desenvolvimento rodoviário e também do transporte aéreo, sobretudo com a III Revolução Industrial, também conhecida como Revolução Técnico-Científica Informacional. Com isso, cargas, produtos e pessoas puderam ser mais facilmente deslocados, permitindo a integração com os pontos mais remotos, fator necessário e vital para a atual complexidade da globalização. Se antes uma mercadoria ou mensagem levava dias ou, a depender da distância, até meses para chegar, hoje em dia é possível comunicar-se ou se deslocar rapidamente mesmo entre os locais de distância mais extrema.
Portanto, podemos perceber que os transportes são de fundamental importância para o fluxo de informações da economia moderna, que se estende em uma lógica macroespacial. Se hoje temos os acordos internacionais, os blocos econômicos e o deslocamento de produtos e matérias-primas na Divisão Internacional do Trabalho, é porque foi possível conceber uma rede de transportes que se torna, a cada dia, mais dinâmica e mais vital para o funcionamento da economia.
Os sistemas de transportes no Brasil têm início no século XIX, com a construção de algumas ferrovias e, mais tarde, com a expansão da malha rodoviária. A denominada \u201cEra das Ferrovias\u201d marcou o período de expansão da malha ferroviária no país, que durou de 1870 a 1920, sendo a \u201cEstrada de Ferro Mauá\u201d, a primeira ferrovia do país, inaugurada em 1854.
No entanto, foi em meados do século XX com o processo de industrialização, que os governos democráticos, os quais buscavam o desenvolvimento político, econômico e social do Brasil, focaram na construção de estradas, pondo de lado, o sistema ferroviário, que passou a ser considerado lento e com elevado preço de implementação (construção de linhas férreas), em relação ao transporte terrestre rodoviário.
Essas consequências são notórias até os dias de hoje, em que poucas linhas de ferro são utilizadas para o transporte de pessoas, enquanto o sistema rodoviário sofre com uma infraestrutura problemática oferecida à população, donde muitas estradas e rodovias apresentam péssimas condições para o transporte, desde a não pavimentação, falta de fiscalização, excesso de pedágios, dentre outros.
De tal modo, os transportes no Brasil sofrem de muitas carências. São inúmeros os pontos negativos que apontam para a precariedade do sistema público de transporte no país, sobretudo o transporte terrestre, posto que apresentem problemas como a superlotação, à insegurança e preços bem elevados.
A falta de fiscalização nas rodovias brasileiras pode ser outro problema importante a ser apontado, como por exemplo, os caminhões com carga superior àquela permitida, que trafegam nas estradas, gerando, assim, grande impacto nas construções, o que leva ao aumento de acidentes.
Por sua vez, importante destacar que, nesse caso, o sistema ferroviário permite o transporte de mais cargas pesadas em relação aos outros transportes terrestres, entretanto, é utilizado cerca de 20% em todo o país, em detrimento dos 60% do sistema rodoviário.
Outro fator importante para refletir é que nosso país apresenta grande quantidade de rios, lagos, lagoas e conta com uma grande costa marítima; no entanto, os transportes aquáticos (ou aquaviários) tem pouca representatividade no país, com um total de 13%.
Dentre os transportes aquáticos (fluvial, lacustre e marítimo), o transporte fluvial é o mais frequente no país, que conta com 16 hidrovias e 20 portos fluviais, sendo mais usado na região norte, tanto para o transporte de mercadorias quanto para o de pessoas. Nesse ínterim, vale lembrar que há muito rios navegáveis no país, entretanto, nos últimos anos vêm sofrendo com as secas e o assoreamento, impedindo a transição das grandes embarcações.
No geral, o setor de transportes no país vem demostrando que, embora tenha crescido nas últimas décadas, há um longo caminho a trilhar, desde a melhoria das condições de transportes, uso do potencial do transporte aquaviário, dentre outras.
O investimento nessa área, a melhor avaliação do potencial e diversificação dos sistemas de transporte são extremamente necessários para melhorar a qualidade de vida do cidadão, bem como destacar a economia do Brasil no mercado mundial, ampliando assim, as exportações e importações. Com efeito, a melhoria na infraestrutura das rodovias, hidrovias e a restauração das ferrovias, já denota um bom começo para o desenvolvimento dos sistemas de transportes no país.
Meios de transporte como Veículos motorizados, Charrete, Bicicleta, Motocicleta, transporte público: ônibus e metro etc...
O transporte de pessoas, produtos, objetos enfim é uma necessidade encontrada desde os primeiros seres humanos que se se deslocavam de um lado para o outro e precisavam levar consigo seus pertences, essa realidade nos dias atuais não mudou muito, a diferença é apenas que tempos atrás a dificuldade de locomoção era muito grande sem contar ainda que não possuíam ferramentas e equipamentos que hoje desfrutamos e, por isso os meios de transportes eram muito fracos que chegavam a demorarem cerca de 3 a 4 dias para percorrerem uma distância que hoje é possível percorrer em poucas horas. Essa necessidade fez com que com o passar do tempo os seres humanos se preocupassem cada vez mais com os meios de transportes e a importância que os mesmos possuíam para eles, procurando então realizar melhorias que foram possíveis principalmente devido às transformações que ocorrem com a modernização.
Atualmente os meios de transportes disponíveis para a nossa locomoção são muitos, em que vem causando grandes transtornos no trânsito brasileiro devido ao excesso e ao desrespeito a legislação atuante. Os meios transportes são diversos e infelizmente nem todos tem a possibilidade de ter acesso ao um meio particular e por isso é que foram criados os transportes públicos, em que toda a sociedade poderia utilizá-los para se deslocarem de um ponto a outro e até mesmo de região a região. 
Entre os principais meios de transporte mais utilizados nas vias brasileiras estão: Veículos motorizados, Charrete, Bicicleta, Motocicleta, transporte público: ônibus e metro.
Considerando que os meios de transportes são muitos e a quantidade de pessoas que os utilizam variam muito para cada um devido às diferenças sócias encontradas, o transporte público tornou-se de grande e fundamental importância para a sociedade brasileira que não possuem meios de transporte particular como veículos motorizados, as motocicletas, também as bicicletas e charretes, a locomoção para escola, trabalho, médico, lazer entre outros destinos de maior distância se tornou possível a essa grande maioria da população graças aos transportes públicos que percorre toda a cidade e também entre uma cidade e outra, facilitando e possibilitando a maior locomoção da população brasileira.
A criação do