Anatomia Unid I LIVRO
48 pág.

Anatomia Unid I LIVRO


DisciplinaAnatomia I39.034 materiais288.190 seguidores
Pré-visualização7 páginas
é dividida em nove 
regiões, também podendo ser dividida em quadrantes (quad = quarta parte), delimitada por uma 
linha vertical e uma linha horizontal que atravessam o umbigo. Essas duas linhas dividem o abdome 
em um quadrante superior direito, um quadrante superior esquerdo, um quadrante inferior 
direito e um quadrante inferior esquerdo. A diferença entre divisões por quadrantes e regiões fica 
por conta da adequação. A divisão por regiões é mais utilizada para estudos anatômicos, enquanto 
por quadrantes é mais adequada para localização de sítios de dor.
2.6.1 Por regiões
Traçam\u2011se dois planos verticais que passam pelo meio das clavículas; em seguida, dois planos 
horizontais que passam logo abaixo do final da caixa torácica e pela parte superior dos ossos do quadril 
(cristas ilíacas):
\u2022 Umbilical (mesogástrica): localizada centralmente, ao redor do umbigo (centro).
\u2022 Lateral: localizada à direita e à esquerda da umbilical.
\u2022 Epigástrica (epi = acima de ou sobre; gástrica = referente ao estômago): ou seja, está superior à 
região mediana, superiormente à umbilical. Como o nome indica, a maior parte do estômago está 
nessa região.
\u2022 Hipocondríaca (hipo = abaixo de ou sob; condríaca = refere\u2011se à cartilagem): regiões direita e 
esquerda da epigástrica. O nome indica que essas regiões localizam\u2011se abaixo das cartilagens das 
costelas.
\u2022 Hipogástrica (púbica): região mediana imediatamente abaixo da região umbilical.
\u2022 Ilíaca (inguinal): regiões de cada lado da hipogástrica. O nome é derivado do osso ilíaco, que 
forma o limite lateral dessas regiões. Podem ser referidas como regiões inguinais, que formam a 
dobra da virilha.
 
21
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
ANATOMIA
Epigástrica
Hipocondríaca esquerda
Lateral esquerda
Ilíaca esquerda
UmbilicalHipogástrica
Ilíaca direita
Lateral direita
Hipocondríaca direita
Figura 15 \u2013 Regiões do corpo
2.7 Cavidades do corpo
O corpo humano tem espaços (cavidades) que contêm os órgãos internos. Essas cavidades ajudam 
a proteger, isolar e sustentar os órgãos internos. Duas principais cavidades formam o corpo: cavidade 
dorsal e cavidade ventral, sendo que a cavidade dorsal localiza\u2011se próximo à superfície posterior ou 
dorsal do corpo, composta por uma cavidade craniana, que é formada pelos ossos do crânio contendo 
o encéfalo e suas membranas (meninges), e por um canal vertebral, formado pelas vértebras da coluna 
vertebral, abrangendo, no seu interior, a medula espinhal e suas membranas (meninges), como também 
o começo (raízes) dos nervos espinhais.
A cavidade ventral localiza\u2011se na porção anterior ou ventral (frontal) do corpo e contém órgãos 
denominados coletivamente de vísceras. Como a cavidade dorsal, a cavidade ventral do corpo apresenta 
duas subdivisões, sendo uma denominada cavidade torácica (porção superior) e outra chamada 
cavidade abdominopélvica (inferior). O diafragma (diaphragma = partição ou parede), importante 
músculo da respiração em forma de domo, separa essas cavidades. A cavidade torácica contém duas 
cavidades pleurais ao redor de cada pulmão, e a cavidade pericárdica (peri = em volta; cardi = 
coração), espaço em torno do coração.
O mediastino (medias = meio; stare = parar, estar) localizado na cavidade torácica, contém todas 
as estruturas na cavidade torácica, exceto os próprios pulmões. Entre as estruturas localizadas no 
mediastino estão o coração, o timo, o esôfago, a traqueia e grandes vasos sanguíneos.
A cavidade abdominopélvica está dividida em duas porções, embora nenhuma estrutura específica 
as separem. A porção superior (cavidade abdominal) contém o estômago, o baço, o fígado, a vesícula 
biliar, o pâncreas, o intestino delgado e a maior parte do intestino grosso. A porção inferior (cavidade 
pélvica) contém a bexiga urinária, porções do intestino grosso e os órgãos genitais internos.
22
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
Unidade I
Figura 16 
 Saiba mais
Uma fonte segura de links e sites sobre a anatomia humana é a 
Sociedade Brasileira de Anatomia:
<www.sbanatomia.org.br>.
3 SISTEMA ESQUELÉTICO
3.1 Introdução
O esqueleto humano é um endoesqueleto, ou seja, situa\u2011se entre os tecidos moles do corpo; é uma 
estrutura com metabolismo intenso, capaz de desenvolver\u2011se, adaptar\u2011se e reparar\u2011se; difere muito do 
exoesqueleto dos artrópodes, tais como besouros e camarões de água doce, uma vez que o exoesqueleto 
desses animais não é uma estrutura viva. Tais animais devem desprender sua estrutura esquelética e 
formar uma nova, maior que a anterior, para continuar desenvolvendo\u2011se.
O esqueleto consiste de um conjunto de ossos e cartilagens que se articulam para formar o arcabouço 
do corpo do animal e desempenhar várias funções; já os ossos são definidos como peças rijas, de número, 
coloração e forma variáveis e que, em conjunto, constituem o esqueleto.
23
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
ANATOMIA
Genericamente, o esqueleto se desenvolve pela diferenciação de tecido conjuntivo do embrião em 
osso através de dois processos distintos: endocondral e intramembranoso. Entretanto, tal assunto não 
será descrito na Anatomia, mas sim na Embriologia Humana.
3.2 Funções do esqueleto
Uma das funções do esqueleto é a proteção contra traumas externos, uma vez que propicia a 
situação de uma estrutura rígida revestir ou circundar estruturas internas compostas por tecido mole. 
Exemplo: encéfalo, na cavidade craniana; medula espinal, no canal vertebral; coração e pulmões, na 
cavidade torácica etc.
A B
Figura 17 
A sustentação e conformação do corpo atuam como arcabouço do corpo, dando suporte aos 
tecidos moles e propiciando fixação para a maioria dos músculos estriados esqueléticos do corpo.
Figura 18 
24
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
Unidade I
Outra função é o movimento (sistema de alavancas) devido ao fato de muitos músculos estriados 
esqueléticos estarem unidos ao esqueleto e se relacionarem por articulações móveis, o esqueleto 
desempenha um papel importante na determinação do tipo e extensão do movimento que o corpo é 
capaz de realizar. Os ossos transformam as contrações musculares em movimento e também aumentam 
as forças geradas pelas contrações.
Figura 19 
A reserva de minerais, como cálcio, fósforo, sódio e potássio, compõe o tecido ósseo. Estes minerais 
podem ser utilizados e distribuídos pelos vasos sanguíneos para outras regiões segundo as necessidades 
do organismo \u2013 por exemplo, durante a gestação, uma parte do cálcio utilizado pelo feto é obtido 
diretamente do esqueleto da mãe.
Hemopoese é a produção de células do sangue; após o nascimento, a medula óssea vermelha de 
certos ossos (esterno, vértebras, costelas, quadril) produz as células sanguíneas encontradas no sistema 
circulatório. Esse processo indica que quem produz o sangue é a medula óssea, ou seja, a hemopoese 
acontece principalmente na medula óssea vermelha.
25
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
ANATOMIA
Figura 20 
3.3 Divisão do esqueleto
O esqueleto é dividido em duas partes:
\u2022 Axial: ossos relacionados ao longo do eixo do corpo, na cabeça, pescoço e tronco, totalizando 
80 ossos. Localizam\u2011se:
\u2014 na cabeça;
\u2014 no pescoço;
\u2014 na coluna vertebral;
\u2014 no tórax.
26
Re
vi
sã
o:
 A
lin
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 0
7/
07
/1
6
Unidade I
A B
Figura 21 
\u2022 Apendicular: formada por