SOLDAGEM
11 pág.

SOLDAGEM


DisciplinaSoldagem e Fundição100 materiais1.084 seguidores
Pré-visualização1 página
CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UNILESTE
	
PROCESSOS DE FABRICAÇÃO I
Soldagem
Larissa Cristina Zacarias
                
 
Coronel Fabriciano \u2013 MG
 2017
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO -------------------------------------------------------------------	3
OBJETIVO ------------------------------------------------------------------------	4
METODOLOGIA EXPERIMENTAL ----------------------------------------	5
MATERIAL USADO ------------------------------------------------------------	6
PROCEDIMENTO -------------------------------------------------------------- 7
CONCLUSÃO --------------------------------------------------------------------8
ANEXOS ---------------------------------------------------------------------------9
REFERÊNCIAS ------------------------------------------------------------------	10
INTRODUÇÃO
O presente relatório tem como objeto de estudo as aulas de Processos de Fabricação I, realizadas no laboratório de soldagem localizado no Centro Universitário do Leste de Minas Gerais.
O processo de soldagem com eletrodo revestido também chamado de SMAW (Shielded Metal Are Welding), consiste na abertura e manutenção de um arco elétrico entre o eletrodo e a peça, de modo a fundir ao mesmo tempo o eletrodo e a peça de modo que o metal fundido do eletrodo é transferido para a chapa ou peça, formando assim um depósito fundido chamado de cordão de solda, com a queima de alguns componentes do revestimento é formado a escória cuja há a necessidade de remoção do mesmo.
Tal processo é muito utilizado em comparação com outros processos existentes pela boa resistência e simplicidade da operação que garante baixo custo, não é um processo automatizável e a posição de soldagem é muito restrita.
Nesta prática foi utilizada um arco elétrico com eletrodo revestido E6013 de diâmetro de 2,5mm, com corrente do arco entre 60 a 100 A, tensão do arco de 16 a 20 volts, com cordão reto e sem oscilar, direção da esquerda para a direita, no qual foi executado em uma chapa de 6mm de espessura.
OBJETIVO
O objetivo da atividade foi praticar a abertura do arco e realizar solda de deposição sobre a chapa, observar o comprimento do arco para obter uma tensão até 17 volts, se necessário ajustar no equipamento os parâmetros (corrente e tensão). 
METODOLOGIA EXPERIMENTAL
MATERIAL USADO
Fonte de energia;
Cabos de interligação (cabo de solda do eletrodo e cabo terra);
Porta-eletrodos;
Terminal terra (pinça para ligação a peça);
Alicate de pressão (utilizado para descarte);
Cabine com exaustor;
Martelo de aço;
Escova de aço;
EPI\u2019s (máscara de solda, casaco de couro, perneira e luvas);
Chapas de aço.
PROCEDIMENTO
Dado as orientações da atividade para que o procedimento fosse realizado se fez necessário a colocação de um eletrodo no porta eletrodo prendendo-o na ponta. Feito isso, a fonte foi ligada e a intensidade regulada de maneira que a corrente obtivesse 80 A. Insta mencionar que o valor da corrente de soldagem sofreu variações em relação ao valor da escala da fonte de modo que o comprimento do arco precisou ser controlado de forma a obter uma tensão de até 17 volts. Quando necessário é preciso ajustar a corrente e a tensão (os parâmetros) para que o arco se torne estável. Uma chapa de aço foi colocada em posição plana para que fosse realizada a limpeza de sua superfície com uma escova de aço de maneira que o material estivesse livre de gorduras, óxidos e pintura. O eletrodo sustentado verticalmente e colocado sobre a chapa no ponto de início da solda e logo após inclinado em torno de 15 a 20º em relação à linha de solda para frente e depois lateralmente. É necessário que a chapa toque o eletrodo bem rapidamente com um movimento do pulso, depois o mesmo se manteve afastado em torno de 3 mm até que o arco se mantivesse estável. O eletrodo precisou ser colocado em linha reta para assim formar um cordão de aproximadamente de 100mm de comprimento. Neste momento se fez necessário muita atenção para que o arco não se apagasse, além de ser crucial a observância da altura e da largura do cordão que deveriam ser uniformes. A escória produzida precisou ser removida com o martelo de aço e a escova de aço. Outro cordão precisou ser depositado ao lado do primeiro, porém sem o sobrepor. A soldagem prosseguiu até que a largura da superfície atingisse 80mm. Importante destacar que a escória precisou ser removida depois do deposito de cada cordão. Por fim, se fez necessário superfície fosse examinada com o objetivo de verificar possíveis irregularidades.
RESULTADOS
CONCLUSÃO
ANEXOS
REFERÊNCIAS
http://wwwo.metalica.com.br/processos-de-soldagem
http://wwwo.metalica.com.br/soldagem-eletrodo-revestido-tecnicas-operatorias
http://cursos.unisanta.br/mecanica/ciclo10/CAPIT1.pdf
http://www.infosolda.com.br/biblioteca-digital/livros-senai/processos/165-processo-com-eletrodo-revestido-parametros-de-soldagem.html