Portugues com exercicios
908 pág.

Portugues com exercicios


DisciplinaPortuguês70.880 materiais1.673.196 seguidores
Pré-visualização50 páginas
que o termo exerce a função de aposto 
especificativo, indicando o nome da favela. 
As funções sintáticas são, portanto: OBJETO DIRETO, ADJUNTO ADVERBIAL 
E ADJUNTO ADNOMINAL. 
 
3 \u2013 D 
Todas as expressões destacadas apresentam valor circunstancial. Teremos de 
identificar qual delas não apresenta indicação de tempo, momento. 
CURSOS ON-LINE \u2013 PORTUGUÊS \u2013 CURSO REGULAR 
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 
 
www.pontodosconcursos.com.br 
 
23
a) \u201cEstava, nesse momento, descobrindo um novo ângulo para a sua vida, sem 
volta.\u201d 
Essa expressão indica o momento em que tal fato (descobrir um novo ângulo para a 
sua vida) ocorria (fácil essa, não é?). 
b) \u201cDepois de três anos nos Estados Unidos, voltou para Bogotá, planejando 
trabalhar em obras de infra-estrutura.\u201d 
Essa expressão também indica o momento em que o engenheiro voltou para Bogotá. 
c) \u201cNo final de 2004, veio com sua família\u201d 
Mais uma vez, há indicação de momento. 
d) \u201cNo final de 2004, veio com sua família para duas semanas de férias em São 
Paulo.\u201d 
Essa expressão, ao contrário das demais, indica a finalidade da vinda do engenheiro 
e sua família: gozar férias de duas semanas em São Paulo. 
Essa é a resposta! 
e) \u201cMas, antes de se despedir, pretende fazer uma exposição sobre o seu olhar pelo 
Brasil.\u201d 
Quando ele pretende fazer uma exposição sobre seu olhar pelo Brasil? 
Resposta: \u201cantes de se despedir\u201d, ou seja, antes de ir embora do Brasil. Há, 
portanto, indicação de momento. 
 
4 - C 
Não seria preciso reproduzir o texto, pois podemos realizar a análise sintática a partir 
dos segmentos apresentados em cada opção. 
Em "Os bancos ganharam antes e, sinaliza o governo, vão continuar ganhando.", a 
expressão em negrito exerce a função sintática de sujeito: \u201co governo sinaliza\u201d. 
a) Já em \u201ca redução esperada e projetada da taxa SELIC diminuiu a rentabilidade 
dos bancos...", o termo em destaque é o objeto direto do verbo diminuir, enquanto 
que o sujeito está representado por \u201ca redução esperada e projetada da taxa SELIC\u201d, 
cujo núcleo é redução. 
b) A expressão \u201ca corrida certa dos bancos\u201d exerce a função sintática de objeto 
direto do verbo postergar (= adiar). 
c) Em \u201co risco de emprestar é sempre o de não receber\u201d, a expressão em relevo 
exerce a função sintática de sujeito do verbo de ligação \u201cser\u201d. Essa é a resposta 
certa. 
d) O verbo tornar é, na construção, transobjetivo e apresenta, como objeto direto, 
a expressão \u201ca decisão dos juízes\u201d e, como predicativo do objeto direto, a expressão 
\u201cmenos `paternalista\u2019\u201d. 
Cuidado! A expressão \u201cregras e leis\u201d exerce a função sintática de SUJEITO da forma 
verbal transitiva direta \u201cBuscam\u201d, que está acompanhada do pronome apassivador 
SE (Buscam-se regras e leis = Regras e leis são buscadas). 
CURSOS ON-LINE \u2013 PORTUGUÊS \u2013 CURSO REGULAR 
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 
 
www.pontodosconcursos.com.br 
 
24
e) \u201cde o país perder (...) uma janela de oportunidades\u201d \u2013 O sujeito do verbo 
PERDER é \u201cpaís\u201d. A expressão \u201cuma janela de oportunidades\u201d, por sua vez, exerce a 
função sintática de OBJETO DIRETO. 
Note a forma com que a preposição se mantém separada do artigo que acompanha o 
substantivo \u201cpaís\u201d, sujeito do verbo PERDER. Essa é a recomendação da norma culta. 
Contudo, modernamente já se aceita a contração da preposição com o artigo 
(possibilidade do país perder...). 
 
5 - B 
Vamos dividir o período em orações: 
\u201cA flor que ontem desabrochou já está murcha.\u201d 
Oração principal \u2013 A flor já está murcha 
Oração subordinada \u2013 que ontem desabrochou 
A palavra que substitui a palavra flor, presente na oração principal. É, portanto, um 
pronome relativo, que inicia uma oração subordinada adjetiva. 
Por não haver pausa (indicada pela vírgula) entre as duas orações, essa é uma 
oração subordinada adjetiva restritiva. 
O pronome relativo será trocado pelo nome, para melhor análise de sua função 
sintática: 
A flor ontem desabrochou. 
O pronome relativo, que está no lugar de \u201ca flor\u201d, exerce, portanto, a função 
sintática de SUJEITO. 
Vamos procurar uma outra ocorrência do relativo \u201cque\u201d na função de SUJEITO. 
a) \u201cEla tem um quê de mistério\u201d \u2013 esse \u201cquê\u201d é um substantivo, tanto que está 
acompanhado de um artigo indefinido (um quê). Esse vocábulo exerce a função 
sintática de objeto direto do verbo ter. 
b) São duas as orações que compõem o período composto: Sofreu muito com as 
chuvas que caíram. 
Oração principal \u2013 Sofreu muito com as chuvas 
Oração subordinada \u2013 que caíram 
O pronome que substitui a palavra chuvas. Ele também exerce a função sintática de 
sujeito da oração subordinada adjetiva restritiva (\u201cAs chuvas caíram\u201d = \u201cque 
caíram\u201d). Essa é, portanto, a resposta correta. 
c) \u201cVeio tão rápido que nos surpreendeu.\u201d 
Esse período composto por subordinação também possui duas orações: 
- oração principal \u2013 Veio tão rápido 
- oração subordinada \u2013 que nos surpreendeu. 
Há entre essas duas orações uma relação de causa e conseqüência, sendo essa 
segunda circunstância apresentada pela oração subordinada. 
Ela é, pois, uma oração subordinada adverbial consecutiva, e o vocábulo que é uma 
conjunção adverbial consecutiva. 
CURSOS ON-LINE \u2013 PORTUGUÊS \u2013 CURSO REGULAR 
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 
 
www.pontodosconcursos.com.br 
 
25
Note a presença do vocábulo \u201ctão\u201d na oração principal, uma característica desse tipo 
de construção. 
d) \u201cVenha, que ela está aqui.\u201d 
Vimos, em aulas anteriores, que uma das formas de distinguir a conjunção causal da 
conjunção explicativa é que esta última pode estar em uma construção de verbo no 
imperativo. 
Esse é um bom exemplo. Em \u201cVenha, que ela está aqui\u201d, a conjunção explicativa dá 
início à oração em que se apresenta a justificativa para a ordem presente na 
primeira oração (Venha). São orações coordenadas, sendo a segunda classificada 
como \u201coração coordenada sindética explicativa\u201d. 
 
6 \u2013 D 
a) A expressão \u201cda administração\u201d se associa à palavra enfoque, substantivo 
abstrato derivada do verbo enfocar. Como apresenta idéia passiva (a administração 
será enfocada), o termo que complementa o substantivo abstrato exerce a função 
sintática de COMPLEMENTO NOMINAL, e não de adjunto adnominal. 
b) A expressão \u201cdos problemas sociais\u201d complementa o substantivo abstrato 
\u201cadministração\u201d. Logo, não poderia exercer a função de objeto indireto 
(complemento verbal). Também há nessa expressão valor passivo (os problemas 
sociais serão administrados). Assim, a função sintática é, mais uma vez, 
COMPLEMENTO NOMINAL. 
c) Não há entre \u201cfederal, estadual e municipal\u201d nenhuma \u201cordem crescente de 
importância\u201d. Você já deve ter aprendido em Direito Constitucional que não há entre 
os entes federativos nenhum tipo de subordinação. Por isso, a assertiva está 
incorreta. 
d) Exatamente por possuir três adjetivos a ele relacionados, o substantivo governos 
se flexionou no plural. Essa é a resposta correta. 
e) O que deve ser profunda? Resposta: a mudança, e não a administração. 
 
7 \u2013 E 
Vamos relembrar a diferença entre ADJUNTO ADNOMINAL e COMPLEMENTO 
NOMINAL, em relação aos termos que complementam substantivos abstratos. 
SUBSTANTIVOS CONCRETOS E SUBSTANTIVOS ABSTRATOS COM IDÉIA ATIVA = 
ADJUNTO ADNOMINAL (Lembre-se daquela dica: tudo com A: Substantivo Abstrato 
com idéia Ativa Î Adjunto Adnominal.) 
ADJETIVOS, ADVÉRBIOS E SUBSTANTIVOS ABSTRATOS COM IDÉIA PASSIVA = 
COMPLEMENTO NOMINAL 
Assim, quando o termo regente for um substantivo abstrato, deve-se analisar o valor 
que o termo regido apresenta em relação ao termo regente. Se for ativo, a função é 
de adjunto adnominal (tudo com \u201ca\u201d). Se for passivo, é complemento nominal. 
Agora, mostraremos mais algumas formas de distinção. 
1ª dica: À exceção da preposição DE (que serve às duas funções), os complementos 
introduzidos