Erupção dentária
7 pág.

Erupção dentária


DisciplinaOdontopediatria1.224 materiais9.957 seguidores
Pré-visualização2 páginas
27/07/2017
1
Erupção Dentária
Soa
Soraia Pimenta
Erupção Dentária
\uf0d8 Momento no qual o
dente irrompe na
cavidade bucal.
\uf0d8 Etapa que tem início
nos primórdios da
odontogênese (14
semanas vida intra-
uterina);
\uf0d8 Acompanha o órgão
dentário por toda vida
Fase pré - eruptiva
Fase eruptiva
Fase pós-eruptiva
Fases da Erupção
Fases da Erupção
\uf0d8 Fase pré-eruptiva
Tem seu início com a diferenciação dos
germes dentários e termina com a
completa formação da coroa
Fase intraóssea
Fases da Erupção
\uf0d8 Fase eruptiva
Inicia-se quando a 
coroa está formada e 
termina quando o dente 
chega ao plano de 
oclusão
Fase intraóssea e extra 
óssea
Fases da Erupção
\uf0d8 Fase pós eruptiva
Inicia-se quando o 
dente entra em oclusão 
e termina com a perda 
do dente ou sua 
remoção
Fase pré-eruptiva
\uf097 Formação dos germes decíduos
\uf097 Crescimento de mandíbula e maxila
\uf097 Movimento de corpo do germe
\uf0a1 Oclusal
\uf0a1 Vestibular 
Fase pré-eruptiva
Durante este movimento ocorre reabsorção óssea
Altera a forma da cripta (remodelação óssea)
Formação de espaço entre germes dentários
Aglomeração aliviada pelo crescimento ósseo
\uf097 Dentes permanentes também se movimentam
27/07/2017
2
Fase eruptiva (intraóssea)
\uf0d8 Corresponde ao deslocamento do 
germe dentário (coroa dentária) a 
partir de sua posição inicial na 
cripta óssea até sua penetração na 
mucosa oral.
\uf0d8 Neste período, como os maxilares 
têm dimensões reduzidas, existe 
apinhamento dos dentes, dentro da 
estrutura óssea.
\uf0d8 Formação das raízes
\uf0d8 Formação do ligamento periodontal 
e do epitélio juncional
Fase eruptiva (fase de penetração 
na mucosa)
\uf0d8 Neste momento os tecidos que cobrem o dente em
erupção sofrem alterações.
\uf0d8 O epitélio reduzido do esmalte que cobre a coroa do
dente e o epitélio bucal se encontram, proliferam e se
unem, formando um obstáculo de células ao avanço do
dente em erupção.
\uf0d8 Na proliferação das células do epitélio reduzido do
esmalte, ocorre liberação de algumas proteínas,
principalmente interglobulinas E (igE). Essa liberação de
igE pode desencadear uma reação de
hipersensibilidade local, que ás vezes, provoca febre na
criança.
Fase eruptiva (pré oclusal)
\uf0d8 Após ter penetrado na
mucosa oral, o dente
continua seu movimento
eruptivo deslocando-se
em direção oclusal até
alcançar o plano
funcional.
Fase eruptiva (pós-oclusal)
\uf0d8 Quando o dente alcança a sua posição
funcional no plano oclusal, a velocidade de
erupção decresce, permanecendo quase
imperceptível.
\uf0d8 A perda ou ausência do dente antagonista
propicia a continuação do movimento eruptivo.
\uf0d8 Nesta fase a raiz é completada, fechando-se o
ápice
Teorias sobre os mecanismos de 
erupção
\uf0d8 Crescimento radicular
\uf0d8 Ligamento em rede
\uf0d8 Crescimento dos tecidos periapicais
\uf0d8 Pressão hidrostática
\uf0d8 Crescimento do tecido pulpar
\uf0d8 Ligamento periodontal 
\uf0d8 Teoria de Thomas
\uf0d8 Remodelação da cripta óssea
\uf0d8 Papel do folículo dentário e do retículo estrelado
Cronologia e sequência de erupção
\uf0d8 Cronologia de erupção = Corresponde á 
data que o dente irrompe na cavidade 
bucal
\uf0d8 Sequência de erupção = é a ordem na 
qual os dentes vão irrompendo na boca.
\uf0d8 É mais importante uma sequência de 
erupção correta do que a cronologia.
CRONOLOGIA E SEQUÊNCIA DE 
ERUPÇÃO DA DENTIÇÃO DECÍDUA
CRONOLOGIA E SEQUÊNCIA DE 
ERUPÇÃO DA DENTIÇÃO DECÍDUA
27/07/2017
3
CRONOLOGIA E SEQUÊNCIA DE 
ERUPÇÃO DA DENTIÇÃO PERMANENTE
CRONOLOGIA E SEQUÊNCIA DE 
ERUPÇÃO DA DENTIÇÃO PERMANENTE
Cronologia de erupção 
Dentição decídua
\uf0d8 A cronologia de erupção obedece a um padrão genético.
\uf0d8 Não existe diferenças quanto ao sexo
\uf0d8 Pode ser influenciada por fatores sistêmicos e 
ambientais
\uf0d8 Aproximadamente a partir do 6º mês inicia-se a erupção 
dos dentes, na seguinte ordem: IC, IL 1º molares, 
caninos e 2º molares
\uf0d8 A dentição decídua contém 20 dentes
Dentição decídua
20 dentes decíduos
Dentadura decídua
Sinonímia e importância
\uf0d8 Os dentes decíduos são também conhecidos como
dentes temporários, caducos, de leite, provisórios, da
primeira dentição ou da infância.
\uf0d8 A dentadura decídua é extremamente importante no
desenvolvimento do ser humano.
\uf0d8 Exercem função vital no desenvolvimento dos músculos
da mastigação, formação dos ossos dos maxilares e
desempenham um importante papel na localização,
alinhamento e oclusão dos dentes permanentes.
Notação dentária
\uf0d8 Atualmente o sistema utilizado em maior 
escala é o preconizado pela Federation
Dentaire Internationale (FDI), que utiliza 
dois dígitos para dentes decíduos e 
permanentes. 
Cronologia de erupção 
Dentição permanente
\uf0d8 A cronologia e sequência de erupção dos
dentes permanentes sofrem mais
influência do que a dos decíduos.
\uf0d8 A dentição permanente contém 32
elementos
27/07/2017
4
Cronologia de erupção 
Dentição permanente
\uf0d8 Erupção avaliada por estágios de
desenvolvimento de NOLLA - estudo
pormenorizado de desenvolvimento
dentário feito por meio de exames
radiográfico
CRONOLOGIA E SEQUÊNCIA DE 
ERUPÇÃO
\uf097 Muitos são os fatores que podem afetar a cronologia 
ou a sequência de erupção 
Fatores relativos ao individuo e ao 
ambiente
\uf0f7 Hábitos nocivos 
\uf0f7 Fator genético
\uf0f7 Relativo ao sexo
\uf0f7 Ambientais
\uf0f7 Desnutrição
\uf0f7 Raça 
Hábitos de sucção
Fatores intrabucais como 
as forças musculares 
(lábios, bochechas e 
língua) e hábitos de sucção 
nocivos (dedo/chupeta) 
interferem na direção do 
movimento eruptivo do 
dente
Variações da cronologia ou da 
sequência de erupção 
\uf0d8 Fatores relacionados ao indivíduo e ao
ambiente.
Nos dentes decíduos o fator genético é determinante
Na dentição permanente a erupção nas meninas é 
mais precoce que nos meninos
Desnutrição causa retardo de erupção
Variações da cronologia ou da sequência de 
erupção 
Fatores relacionados ao indivíduo e ao ambiente
Dentes natais e neonatais = erupção prematura
O dente natal está presente na boca ao nascimento
e o neonatal aparece nos primeiros 30 dias, podendo
ser um dos incisivos centrais.
Dentes natal e neonatal
Cerca de 85% dos 
dentes natais e 
neonatais são incisivos 
centrais inferiores 
decíduos (Brandt et al);
A tomada 
radiográfica é 
imprescindível para se 
avaliar se é um dente 
supranumerário ou da 
série normal com 
erupção precoce. 
27/07/2017
5
Dente neonatal
A maioria dos dentes natais e neonatais relatados 
na literatura são dentes da série decídua e apenas 
uma pequena porcentagem tem sido considerada 
como dentes supranumerários.
Úlcera no ventre da língua conhecida 
como Síndrome de Riga-Fedes
Os dentes da série normal 
devem ser conservados, 
alisando-se as bordas para não 
machucar a língua do bebê e o 
mamilo materno durante a 
amamentação. Os 
supranumerários devem ser 
removidos pois apresentam 
grande mobilidade. 
Variações da cronologia ou da 
sequência de erupção 
\uf0d8 Fatores sistêmicos
Problemas endócrinos como hipotireoidismo,
hipopituitarismo, retardam a erupção;
Por outro lado, distúrbios por excesso de funcionamento
destas glândulas geralmente provocam erupção precoce
dos dentes;
Retardo da puberdade em geral provoca atraso na
erupção;
Pacientes portadores de síndrome de Down apresentam
alterações da sequência de erupção bem como atraso
de erupção;
Variações da cronologia ou da 
sequência de erupção 
\uf0a7 Fatores relacionados aos problemas 
sistêmicos
\uf0f7Problemas endócrinos
\uf0d8
\uf0d8 Síndrome de Downí
Disostose
Cleidocraniana
Variações da cronologia/
sequência de erupção 
\uf0a7 Fatores locais que afetam a erupção
\uf0a7 Hematoma de erupção
\uf0a7 Anquilose
\uf0a7 Falta de espaço
\uf0a7 Época