trabalho de ED  Paula 2
6 pág.

trabalho de ED Paula 2


DisciplinaFonoaudiologia1.863 materiais10.516 seguidores
Pré-visualização1 página
ED \u2013 ESTUDOS DISCIPLINARES
 
Águas Claras / DF
Maio / 2017
Disciplina: ED \u2013 Estudos Disciplinares (Introdução à Clínica Fonoaudiológica)
Nome: Nathália Ferreira Dantas
Nome: Bryan Dantas Caetano
Idade: 12 anos
Queixa: DPAC E DISLEXIA 
	CENTRO UNIVERSITÁRIO PLANALTO DO DISTRITO FEDERAL	
CLÍNICA ESCOLA DE FONOAUDIOLOGIA 	
Avenida Pau Brasil, Lote 02 S/N \u2013 Águas Claras \u2013 Brasília \u2013 DF
CEP: 71.916-500
	
	Nome: Bryan Dantas Caetano
Idade: 12 anos
Queixa: DPAC e DISLEXIA
Terapeuta: Nathália Ferreira Dantas
	
	OBJETIVOS GERAIS
	OBJETIVOS ESPECÍFICOS
	ESTRATÉGIAS
	RESULTADOS
	 Avaliação da linguagem.
	Analisar a capacidade de memorização.
Avaliar a Leitura e a linguagem oral.
Analisar a capacidade de identificação das letras juntamente com o som dos fonemas.
Avaliar se há troca de fonemas.
	Será perdido ao paciente que nos fale sobre sua identificação pessoal, dados como: seu nome completo, idade e nome dos pais 
Depois será feita uma conversação sobre o seu dia a dia, por exemplo: se estuda, qual a escola, nome de algum amigo, com quem ele mora, qual comida que ele mais gosta e o que ele gosta de brincar.
Será mostrado à criança alguns objetos, e ele deverá nos falar o que é, como forma de avaliação visual.
Será feita uma avaliação básica para identificar se há algum atraso na audição ocasionando a dificuldade na fala. Irei falar algumas palavras, desde uma sílaba até uma palavra maior e pedirei para que o paciente repita as mesmas palavras.
Será realizado uma avaliação com o paciente para a identificação das letras (L, R, S e T), depois das silabas para saber se há reconhecimento dos fonemas. Tendo em vista o desenvolvimento da avaliação anterior, podemos fazer por fim a avaliação da leitura, com algumas palavras para que o paciente consiga através da forma visual saber a desenvoltura do som das palavras ao pronunciá-las, através disso podemos identificar se há uma troca de fonemas.
	O paciente não apresentou dificuldade em identificar os seus dados pessoais e sobre o seu dia a dia, apesar da timidez. Mostrou-se curioso e prestativo a responder todas as perguntas que foram feitas.
Sobre a memorização visual, o paciente soube identificar com facilidade o nome dos objetos. 
Com a avaliação auditiva, ele mostrou dificuldade como: demora para a assimilar o que foi ouvido e na repetição das palavras ditas corretamente. Perguntando algumas vezes se eu poderia repetir, pois não havia entendido.
Portanto, nota-se que quanto maior for a palavra, mais ele apresenta dificuldade.
Através do exercício para a identificação das letras alfabéticas, nota-se também que o paciente soube identificar as letras, porém apenas as escritas em caixa alta (letra de forma), pois o mesmo não ocorre com as letras cursivas, pois se não for a escrita que ele está acostumado, não consegue diferenciar as letras.
Levando em consideração o alto grau de DiSLIXIA E DPAC do paciente e que o mesmo foi alfabetizado com 11 (onze) anos de idade, é normal que apresente dificuldades na leitura e é valido ressaltar que também há dificuldade com números, pois a assimilação dele ainda necessita de muita pratica, não só de memorização, mas também no exercício da linguagem oral e escrita pra que possamos amenizar e controlar as dificuldades apresentadas