Semiologia Veterinária, EV   UFMG, 2015
104 pág.

Semiologia Veterinária, EV UFMG, 2015


DisciplinaPatologia Geral4.363 materiais198.003 seguidores
Pré-visualização19 páginas
\u2013 grande quantidade de suor. 
- Ruminantes: termorregulação \u2013 pequena quantidade de suor. 
- Cães e gatos: coxins palmo-plantares. 
 
Vascularização: 
- Plexo profundo, subdérmico ou subcutâneo 
- Plexo intermediário ou cutâneo 
- Plexo Superficial ou subpapilar 
Hipoderme: 
Tecido subcutâneo ou panículo adiposo. 
18 
 
Depósito nutritivo de reserva 
Isolamento térmico. 
Proteção mecânica 
Deslizamento da pele. 
 
Exame da pele: 
Erros x ansiedade do proprietário: o exame da pele deve ser feito por completo, 
analisando o animal como um todo. 
Passos para o exame: 
1. Identificação: 
- Etária: doenças da infância: demodicose em cães, dermatofitose em gatos, 
papilomatose em bezerros. 
Alergias: adultos jovens e maduros 
Alterações hormonais: adultos maduros 
Idosos: neoplasias, outras doenças não específicas ligadas à idade. 
- Sexual: dermatopatias relacionadas a hormônios sexuais. Tendências: fístulas 
perianais em cães, abcessos em gatos. 
Estro: acometimento marcante. 
Metaestro: a progesterona causa queda do pêlo. 
- Racial: Akita \u2013 adenite sebácea 
 Felino Persa: complexo granuloma eosinofílico 
 Equino Apaloosa: Pênfigo foliáceo 
 Bovino Simental: astenia cutânea. 
 Suíno Landrace: dermatose vegetante. 
- Cor do pelame: doença do mutante de cor em cães de pêlos azulados; carcinoma 
espinocelular em gatos brancos; melanoma em equinos tordilhos; fotossensibilização 
em gado claro ou branco. 
 
2. Anamnese 
- Primordial e completa! 
- Queixa principal 
- Antecedentes: recentes e distantes 
- Início do quadro e evolução: agudo x crônico 
- Periodicidade 
- Contactantes: animais e humanos, rebanhos 
- Terapia: já utilizada, em utilização no momento, resultados 
19 
 
- Ambiente e manejo 
- Ectoparasitas 
- Sintomas relacionados a outros órgãos 
- Sintomas: lesões dermatológicas 
- PRURIDO: avaliação da presença do prurido, intensidade do prurido, manifestações 
do prurido: lamber, roçar, mordiscar, esfregar-se, localização do prurido. 
 
3. Exame físico: 
- Palpação 
- Sensibilidade das lesões, volume, espessura, elasticidade, temperatura, consistência, 
umidade, untuosidade. Edemas, digitopressão: diferenciar eritema de púrpura. 
Reflexo Otopedal: você coça a orelha do animal e ele tem um reflexo de movimentação 
característico dos pés. 
- Olfação 
- Inspeção direta: ambiente claro, distância de 1,5-2,0m, depois aproximar-se do 
animal. Analisar recobrimento piloso: 
Suínos: recobrimento piloso pouco denso 
Equinos: alopécia abdome ventral, região axilar e face interna da orelha. 
Bovinos e caprinos: alopécia abdome ventral, região axilar e face interna da orelha. 
Ovinos: Farto recobrimento piloso em toda a superfície corporal. 
Caninos: alopécia abdome ventral, região axilar e face interna da orelha. Raças de 
recobrimento piloso em toda a superfície corporal. Raças com alopécia na face externa 
da orelha, cervical, torácica e abdominal ventral. Raças com recobrimento piloso 
somente nas extremidades. 
Felinos: alopécia na face interna da orelha e rarefação pilosa entre a órbita e a base da 
orelha. Raças com recobrimento piloso em toda a superfície, recobrimento ausente ou 
só nas extremidades. 
- Quedas fisiológicas: o pêlo cai, mas não há alopécia e nem outras alterações como 
descamações. 
- Quedas patológicas 
- Cor da pele: rósea, rósea-clara (pálida), cianótica (azul), ictérica (amarela), hiperêmica 
(vermelha). 
- Sudorese: Anidrose (ausência de suor), hipoidrose (pouco suor), Hiperidrose (muito 
suor). 
 
 
20 
 
Classificação das lesões cutâneas: 
 
 
- Quanto à distribuição: 
Localizada: de 1-5 lesões individualizadas 
Disseminada: mais de 5 lesões individualizadas 
Generalizada: acometimento difuso de mais de 60% da superfície corpórea. 
Universal: toda a superfície corpórea. 
 
- Quanto à origem: 
Lesões primárias: desenvolvem-se espontaneamente como reflexo direto da doença 
subjacente. Ex: mancha, pápula ou placa, pústula, vesícula, nódulo, tumor, cisto. 
Lesões secundárias: evoluem das lesões primárias ou ocorrem por envolvimento do 
paciente ou de outros fatores. Ex: colarete epidérmico, cicatriz, exulceração e úlcera, 
fissura, liquenificação. 
Lesões que podem ser tanto primárias quanto secundárias. Ex: alopécia, escamas, 
crostas, comedo, alterações pigmentares. 
 
- Quanto à topografia: 
Simétricas ou assimétricas 
Uma lesão em relação à outra 
Endocrinopatias: a maioria se caracteriza por apresentar lesões simétricas. 
Doenças não endócrinas. 
 
Quanto à profundidade: 
Superficial: quadros mais brandos 
21 
 
Profunda: quadros mais graves 
 
Classificação morfológica: 
 Alterações de cor: 
- Manchas vásculo-sanguíneas: 
Eritema: coloração avermelhada da pele decorrente de vasodilatação. Volta à coloração 
normal quando submetido a digitopressão ou vitropressão. 
Exantema: eritema disseminado, agudo, efêmero. 
Eritrodermia: eritema crônico. 
Púrpura: coloração avermelhada da pele decorrente de extravasamento de hemáceas 
na derme e interstício. Não volta à coloração normal quando submetido a digitopressão 
ou vitropressão. 
Petéquias: até 1cm 
Equimose: mais de 1 cm 
Víbice: linear 
Cianose: coloração arroxeada, por congestão passiva ou venosa, com dinimuição de 
temperatura 
Enatema: eritema de mucosas 
Mancha lívida: cor plúmbea, de pálido ao azulado, por isquemia 
Mancha anêmica: branca, permanente, por agenesia vascular 
Teleangectasia: evidenciação dos vasos cutâneos através da pele, decorrente do 
adelgaçamento desta. Os vasos revelam-se sinuosos 
 
- Manchas pigmentares ou discrômicas: 
Hipopigmentação ou hipocromia: diminuição do pigmento melânico, lesão do 
melanócito. 
Acromia: ausência do pigmento melânico, também denominada leucodermia ou 
leudermia, leucotriquia, leuconiquia, leucoplasia. 
Hiperpigmentação ou hipercromia: aumento de pigmento de qualquer natureza. 
Pigmento biliar, hemossiderina; melanodermia (alopécia, área escurece e fica mais 
espessa) x cronicidade; mancha senil em abdome ventral. 
- Alterações de espessura: 
Hiperqueratose ou queratose: espessamento da pele decorrente do aumento da 
camada córnea. Áspera, inelástica, dura e de coloração acinzentada. 
Liquenificação ou lignificação: espessamento da pele decorrente do aumento a 
camada malpighiana-espinhosa. Acentuação dos sulcos cutâneos normais. 
22 
 
Edema: difícil estar ligado somente a problemas da pele, normalmente está ligado a 
outras alterações. Aumento de espessura da pele, depressível (Sinal de Godet \u2013 
pressão digital no local do edema, se a impressão do dedo permanecer no local trata-
se de um edema \u2013 Godet positivo) O edema ocorre devido ao extravasamento de 
plasma na derme e/ou hipoderme, inflamação aguda, irrigação linfática deficiente, 
hipoproteinemia ou cardiopatias. 
Cicatriz: lesão de aspecto variável, saliente ou deprimida, móvel, retrátil ou aderente. 
Não apresenta estruturas foliculares, nem sulcos cutâneos, decorrente de reparação de 
lesão da pele. 
 
- Formações sólidas: 
Resultam de processo inflamatório, infeccioso ou neoplásico, atingindo, isolada ou 
conjuntamente a epiderme, derme e hipoderme. 
Pápula: lesão sólida circunscrita, elevada, que pode medir até 1cm de diâmetro. 
Placa: área elevada da pele com mais de 2cm de diâmetro, geralmente pelo 
coalescimento de pápulas. 
Nódulo: lesão sólida circunscrita, saliente ou não, de 1 a 3 cm de diâmetro 
Tumor ou nodosidade: lesão sólida circunscrita, saliente ou não de mais de 3 cm de 
diâmetro. O termo tumor deve ser utilizado preferencialmente