16589795_Estudo_dirigido_AV1__TSP_IV.docx
4 pág.

16589795_Estudo_dirigido_AV1__TSP_IV.docx


DisciplinaTsp4308 materiais250 seguidores
Pré-visualização1 página
TSP IV
Estudo dirigido para AV1
1) Diferencie racionalismo e empirismo.
Resposta:
Quanto a produção de conhecimento científico: 
- Racionalismo: Argumenta que a obtenção do conhecimento científico se dá pelas ideias inatas, que seriam pensamentos existentes no homem desde sua origem que o tornariam capazes de intuir (deduzir) as demais coisas do mundo. Tais ideias inatas seriam o fundamento da ciência.
- Empirismo: A experiência é a base do conhecimento científico, ou seja, adquire-se a sabedoria pela percepção do mundo externo, ou então do exame da atividade da nossa mente, que abstrai a realidade que nos é exterior e as modifica internamente (indução), o que lhe dá um caráter mais individualista.
Quanto a origem das ideias:
- Racionalismo: Podem existir três tipos de ideias: 
a) as do mundo exterior, formadas pela captação da realidade externa por nós mesmos internamente;
b) as inventadas pela imaginação, fruto do processo criativo da nossa mente;
c) as ideias inatas, aquelas que já nascem com o sujeito, dádivas divinas que são a base da razão. 
Com essas ideias podemos conhecer as leis da natureza, também divinas. Parte da certeza do pensamento para afirmar qualquer outra realidade.
- Empirismo: As ideias surgem do processo de abstração, que se inicia com as percepção das coisas. Não há preocupação com a coisa em si, é objetivista, não valoriza a ideia que fazemos da coisa atribuída pela razão, não se ocupa do modo com que as coisas chegam até nós através dos sentidos.
Relação de causa e efeito:
- Racionalismo: Percebe a causa e efeito como postulado pelo mecanismo: as relações que o homem observa são inerentes aos objetos em si e à mecânica da natureza, como engrenagem que obedecem a uma ordem preestabelecida.
- Empirismo: A relação de causa e efeito nada mais é do que resultado de nossa forma habitual de perceber fenômenos e relacioná-los como causa e consequência através de uma repetição constante. Ou seja, as leis da natureza só seriam leis porque observaram-se repetidamente pelos homens.
Quanto a autonomia do sujeito:
- Racionalismo: Postula a liberdade de consciência do indivíduo e sua finalidade: a justa apreciação dos bens. Também afirma a existência de uma identidade permanente da consciência individual.
- Empirismo: Nega a identidade permanente, uma vez que o conteúdo da consciência varia de um momento para outro. Como a consciência é vista como um conjunto de representações, ele depende das impressões que temos das coisas, as quais são sujeitas a variações.
Concepção de razão:
- Racionalismo: Define a razão como a capacidade de bem julgar e de discernir o verdadeiro do falso. Ela independe da existência sensível.
- Empirismo: Não chega a se contrapor ao racionalismo, mas afirma que a razão é dependente da experiência sensível, não admitindo a dualidade entre espírito e matéria (como no racionalismo), de modo que ambos são extremidades de um mesmo objeto.
2) As respostas controladas diretamente pelos sentidos podem ser consideradas percepções? Explique:
Resposta: Não. Nem todas as respostas produzidas pelos indivíduos supõem atividades perceptais. Muitas não envolvem a percepção, ou seja, respostas controladas diretamente pelos sentidos não são percepções. As respostas contoladas diretamente pelos sentidos não são afetadas pela experiência e nelas não se revelam efeitos provocados pela aprendizagem. Apenas as respostas que supõem intervenção de processos mediadores implicariam a ocorrência da percepção. 
2)Defina percepção:
Resposta: Dentre as variadas formas de conceituar essa função cognitiva, podemos afirmar que a percepção é o conjunto de processos pelos quais as pessoas reconhecem, organizam, sintetizam e atribuem significados às sensações recebidas dos estímulos ambientais. 
4) Existe relação entre percepção e sensação?
Resposta: Sim. A sensação constitui a base da percepção. Em nossas experiências cotidianas essas categorias se misturam em um processo contínuo. Uma vez que a sensação se caracteriza pelo processo fisiológico de ligação do organismo com o meio através dos órgãos sensoriais, a percepção seria possível através do resultado do processo que forma nossas sensações. Isso porque, através da percepção, formamos mentalmente representações sobre objetos externos a partir dos dados sensoriais. Trata-se, portanto, de um processo que envolve seleção, organização e interpretação das informações captadas pelos sentidos.
5) Como a Gestalt define a percepção?
Resposta: Segundo os gestaltistas, (Wertheimer, Kohler e Koffka), percepção é o processo por meio do qual se aprendem as estruturas que integram o meio comportamental ou fenomenal. Trata-se, para esses psicólogos, de um processo cognitivo básico, cujas leis valeriam para os demais processos destinados à obtenção e armazenamento de informações. Operaria em função de leis biogeneticamente determinada, subordinando-se ao princípio da pregnância ou da boa forma. 
6) Diferencie atenção auditiva de atenção visual:
Resposta: Para tal distinção, é necessário conceituarmos a função cognitiva da atenção. A atenção consiste no processo de selecionar coisas em que se concentrar num certo momento. Tal função nos permite focar o que é relevante e depende de objetivos claros e de que a informação necessária esteja disponível no ambiente. A tenção envolve sentidos auditivos e visuais. O estímulo visual e auditivo costumam vir juntos. Podemos processar várias fontes de estímulos ao mesmo tempo quando as modalidades não são conflitantes. A capacidade de fazer isso depende do fato de um desses processos ser altamente automatizado (ex: dirigir) e não exigir muito da cognição verbal. Exemplo de atenção auditiva: Espera pela chamada no seu nome no consultório do dentista. Exemplo de atenção visual: Passar de olhos nos resultados dos jogos de futebol em um jornal.
7) Fale sobre a teoria do filtro:
Resposta: A teoria do filtro foi uma teoria de seleção precoce proposta por Broadbent. A ideia básica era que as informações sensoriais passam pelo sistema até que algum gargalo seja acionado. Nesse ponto, a pessoa escolhe a mensagem que será processada com base em alguma característica física. Uma importante característica importante da teoria do filtro é a assertiva de que que selecionamos uma mensagem para processar com base em características físicas como o ouvido ou o volume. Entretanto, experimentos fundamentados nesta teoria foram geraram evidências de que também podemos selecionar mensagens para serem processadas segundo seu conteúdo semântica (verbal). Logo, o modelo do filtro proposto por Broadbent, nos permite conceber que utilizamos aspectos físicos para selecionar uma mensagem a ser processada bem como conteúdos semânticos.
8) O que são gargalos e o que têm a ver com processamento da informação?
Resposta: O gargalo pode ser caracterizado como uma espécie de controlador de fluxo que regula a entrada e saída de informações. É um recurso acionado quando não é mais possível continuar todas as informações percebidas em paralelo. Sempre que existe um gargalo, nossos processos cognitivos precisam selecionar qual informação deve ser atendida e qual deve ser ignorada.