Desafio Profissional 3° Semestre
24 pág.

Desafio Profissional 3° Semestre


DisciplinaContabilidade Intermediária1.945 materiais10.539 seguidores
Pré-visualização3 páginas
7.200,00
	
	
	
	DRE \u2013 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO
	RECEITA OPERACIONAL BRUTA
	
	Vendas Brutas
	18.000,00
	DEDUÇÕES E ABATIMENTOS
	
	( - )Impostos sobre as vendas 
	0,00
	RECEITA LIQUIDA OPERACIONAL
	
	
	
	( - ) CMV \u2013 Custo das Mercadorias Vendidas 
	1,60
	LUCRO BRUTO
	10.800,00
	( - ) Despesas Operacionais 
	0,00
	LUCRO OU PREJUIZO OPERACIONAL
	10.800,00
	RESULTADO DO EXERCICIO
	10.800,00
	BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
	Conta
	Débito 
	Crédito
	BANCO X
	
	3.850,00
	BANCO Y
	
	2.890,00
	FORNECEDOR 1
	3.850,00
	5.450,00
	FORNECEDOR 2
	2.890,00
	2.890,00
	ESTOQUE
	8.340,00
	7.200,00
	CLIENTE 1
	7.200,00
	
	TOTAL R$ 
	22.280,00
	22.280,00
	FECHAMENTO DO BALANÇO PATRIMONIAL
	ATIVO
	 
	PASSIVO
	 
	CIRCULANTE
	 
	CIRCULANTE
	 
	Disponivel 
	41.360,00
	Fornecedor
	3.200,00
	Caixa
	24.000,00
	
	
	Banco X
	12.750,00
	Não Circulante
	
	Banco Y
	4.610,00
	
	
	Cliente 
	9.000,00
	
	
	Estoque 
	1.120,00
	Patrimonio Liquido 
	
	Não Circulante
	15.000,00
	Capital Social
	60.000,00
	Imobilizado
	
	( - ) Capital a integralizar
	(7.500,00)
	Móveis e Utensilios 
	15.000,00
	Lucros Acumulados
	10.800,00
	
	
	
	
	Total
	66.480,00
	Total
	66.480,00
Sendo que a empresa finalizou seu estoque com 700 barras de cereais Banana com Ameixa, tendo um valor de estoque de R$ 1.120,00 e seu lucro com a venda de 4.500 barras de cereais de Banana com Ameixa pelo valor de R$ 4,00 cada, foi um total de R$ 10.800,00.
	1
	ATIVO
	1.1
	CIRCULANTE
	1.1.1
	DISPONIVEL
	1.1.1.1
	CAIXA
	1.1.1.2
	BANCOS
	1.1.1.2.01
	BANCO X
	1.1.1.2.02
	BANCO Y
	1.1.2
	APLICAÇÕES FINANCEIRAS 
	1.1.2.1
	Aplicações Financeiras
	1.1.3
	CRÉDITOS
	1.1.3.1
	CLIENTES
	1.1.3.1.01
	CLIENTE 1
	1.1.4
	ESTOQUE
	1.1.4.1
	ESTOQUES
	1.1.5
	DESPESAS DO EXERCICIO SEGUINTE
	1.1.5.1
	DESPESAS DO EXERCICIO SEGUINTE
	2
	PASSIVO
	2.1
	CIRCULANTE
	2.1.1
	FORNECEDORES
	2.1.1.1
	FORNECEDORES
	2.1.2
	SALÁRIOS E ENCARGOS A PAGAR
	2.1.2.1
	SALÁRIOS E ENCARGOS A PAGAR
	2.1.3
	OBRIGAÇÕES FISCAIS
	2.1.3.1
	TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER
	2.1.4
	OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS 
	2.1.4.1
	EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTO
	2.1.5
	OUTRAS OBRIGAÇÕES
	2.1.5.1
	OUTRAS CONTAS A PAGAR
	2.1.6
	PROVISÕES
	2.1.6.1
	PROVISÕES TRABALHISTAS E FISCAIS 
2.4 - PLANO DE CONTAS 
	1.2
	NÃO CIRCULANTE
	1.2.1
	REALIZAVEL A LONGO PRAZO
	1.2.1.1
	CRÉDITOS
	1.2.1.1.01
	CLIENTES
	1.2.2
	APLICAÇÕES FINANCEIRAS 
	1.2.2.1
	APLICAÇÕES FINANECIRAS
	1.3
	INVESTIMENTOS
	1.3.1
	INVESTIMENTOS
	1.4
	IMOBILIZADO
	1.4.1.1
	BENS DE USO
	1.4.1.1.01
	TERRENOS
	1.4.1.1.02
	IMOVEIS 
	1.4.1.1.03
	MAQUINAS E EQUIPAMENTOS
	1.4.1.1.04
	MOVEIS E UTENSILIOS
	1.5
	INTANGIVEL
	1.5.1.1
	INTAGIVEL
	3
	RESULTADO OPERACIONAL BRUTO
	3.1
	RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA
	3.1.1
	RECEITA OPERACIONAL BRUTA
	3.1.1.1
	RECEITA OPERACIONAL BRUTA
	3.1.1.01
	VENDA DE MERCADORIAS
	3.1.2
	( - ) DEDUÇÕES DA RECEITA
	3.1.2.1
	( - ) DEDUÇÕES DA RECEITA
	3.2
	( - ) CUSTOS
	3.2.1
	( - ) CUSTOS
	4
	DESPESAS OPERACIONAIS
	4.1
	DESPESAS ADMINISTRATIVAS
	4.1.1
	DESPESAS ADMINISTRATIVAS
	4.1.1.1
	DESPESAS COM PESSOAL
	4.1.1.2
	OUTRAS DESPESAS
	4.1.2
	DESPESAS COM VENDAS
	4.1.2.1
	DESPESAS COM PESSOAL
	4.1.2.2
	OUTRAS DESPRESAS
	4.1.3
	RESULTADO FINANCEIRO
	4.1.3.1
	DESPESAS FINANCEIRAS
	4.1.3.2
	RECEITAS FINANCEIRAS
	4.1.4
	OUTRAS DESPESAS/RECEITAS
	4.1.4.1
	OUTRAS DESPESAS
	4.1.4.2
	OUTRAS RECEITAS
	4.1.5
	PROVISSÕES TRIBUTARIAS
	4.1.5.1
	PROVISSÕES TRIBUTARIAS
	4.1.6
	PARTICIPAÇÕES NO RESULTADO
	4.1.6.1
	PARTICIPAÇÕES NO RESULTADO
	5
	CONTA TRANSITORIA
	5.1
	RESULTADO DO EXERCICIO
	5.1.1
	RESULTADO DO EXERCICIO
	5.1.1.1
	RESULTADO DO EXERCICIO
2.5 - Conceito de empresário segundo o Código Civil Brasileiro
(RAMOS, 2015) O código civil revoga parcialmente o primeiro código comercial brasileiro, que era basicamente construído sobre a teoria dos atos de comércio, ou seja, contaria com a proteção deste código, aqueles que cometiam atos tipificados como atos de comércio. Contudo, em virtude do dinamismo do comercio, as novas formas de comércio não estavam contempladas no código de 1850. Um exemplo disso é a prestação de serviços em massa.
Surge aí o novo código civil contemplando as outras formas de comércio. É rompido a teoria dos atos de comércio e adotada a teoria da empresa. Desta forma, tudo que era denominado corporações comerciais ou comerciantes, passam a se chamar sociedades empresariais ou empresários.
2.037. Salvo disposição em contrário, aplicam-se aos empresários e sociedades empresárias as disposições de lei não revogadas por este Código, referentes a comerciantes, ou a sociedades comerciais, bem como a atividades mercantis.
2.6 - Conceito de empresário:
(Pinto, 2014) Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços.
Parágrafo único. Não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.
Note-se que o CCB só conceitua o que empresário e não atividade empresarial.
Percebe-se ainda que para se caracterizar o empresário é necessário a pessoalidade do sujeito, ele deve exercer profissionalmente a atividade, o que é diferente de sócio, pois para ser empresário deve haver efetivo exercício enquanto que para ser sócio não há a necessidade de exercer a atividade do objeto empresarial;
Além disso para ser empresário deve praticar a atividade de forma reiterada, ou seja, de forma habitual;
Para exercer uma atividade comercial deve haver ainda a busca pelo lucro, todo empresário exerce atividade econômica mas nem todo aquele que exerce atividade econômica é empresário;
A atividade deve ser desenvolvida de forma organizada: a partir da presença dos fatores de produção (capital, insumos, mão de obra e tecnologia) a ausência de qualquer um desses elementos implica em dizer que a atividade não é organizada, portanto não será considerado empresário.
Conceito de atividade empresária: é a organização econômica dos fatores de produção desenvolvida por pessoa natural ou jurídica para produção ou circulação de bens ou serviços através de um estabelecimento empresarial que visa o lucro.
Qual é o bem ou serviço circulado na atividade pelos sócios?
Resposta: Comercial
A partir do elemento profissionalismo, defina como a atividade é realizada pelos sócios:
Resposta: Considera-se empresário aquele que, com profissionalismo, exerce atividade econômica, organizada, para a produção ou circulação de bens ou serviços. Profissionalismo + intuito de lucro + atividade econômica + organização à são os 4 elementos que caracterizam \u201cempresário\u201d.
Explicite se de fato esta atividade exercida pelos sócios é econômica:
São atividades econômicas todos os processos que tem lugar para a obtenção de produtos, bens e/ou serviços destinados a cobrir as necessidades e desejos em uma sociedade em particular.
O empresário é obrigado a inscrever-se no Registro das Empresas antes de dar início à exploração do negócio a que se propõe (art.967, CC). A estruturação, estruturação desse registro está na Lei nº 8.934/94 (Lei do Registro de Empresas).
O sistema de registro de empresas é organizado por um órgão de âmbito federal, que é o Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC) e um órgão de âmbito estadual, que é a Junta Comercial.
2.7 - Abordagem Clássica de Administração:
O início do século XX é dado como época \u201cberço\u201d