SIMULADOS_TSP_IV.docx
38 pág.

SIMULADOS_TSP_IV.docx


DisciplinaTsp4308 materiais250 seguidores
Pré-visualização13 páginas
morrer a qualquer momento; ou porque abandonarão o paciente em favor de alguém melhor.
	
	Expectativa de que o desejo da pessoa de receber apoio emocional, em um grau normal, não será adequadamente atendida pelos outros. As três maiores forças de privação são: privação de carinho ¿ ausência de atenção, afeição carinho ou companheirismo; privação de empatia ¿ ausência de entendimento, escuta; privação de proteção ¿ ausência de força, direção ou orientação por parte dos outros.
	
	Sentimento de que a pessoa está isolada do resto do mundo, é diferente das outras e/ou não faz parte de nenhum grupo ou comunidade.
	
	Sentimento de que a pessoa é defectiva, má, indesejada, inferior ou inválida em aspectos importantes, ou de que ela não seria digna do amor das pessoas significativas. Pode envolver hipersensibilidade a críticas, rejeição e culpa;constrangimentos, comparações e insegurança perto dos outros; ou um sentimento de vergonha pelas falhas percebidas em si mesma.
	 
	Expectativa de que os outros vão magoar, abusar, humilhar, trapacear, mentir, manipular ou tirar vantagem. Normalmente envolve a percepção de que o dano é intencional ou resultado de negligência injustificada e extrema. Pode incluir o sentimento de que a pessoa sempre acaba sendo enganada pelos outros ou a idéia de que a ¿corda sempre arrebenta do lado do mais fraco¿.
	
	 5a Questão (Ref.: 201308408414)
	Pontos: 0,0  / 0,1
	A terapia dos esquemas, desenvolvida por Jeffrey Young descreve os esquemas iniciais desadaptativos como esquemas muito resistentes à mudança que se constituem no núcleo do autoconceito da pessoa e da sua concepção do ambiente. Eles são confortáveis e familiares, e quando contestados, a pessoa vai distorcer as informações para manter a sua validade. Identifique, dentre as opções abaixo, o esquema inicial desadaptativo denominado privação emocional.
		
	 
	Sentimento de que a pessoa está isolada do resto do mundo, é diferente das outras e/ou não faz parte de nenhum grupo ou comunidade.
	
	Sentimento de que a pessoa é defectiva, má, indesejada, inferior ou inválida em aspectos importantes, ou de que ela não seria digna do amor das pessoas significativas. Pode envolver hipersensibilidade a críticas, rejeição e culpa;constrangimentos, comparações e insegurança perto dos outros; ou um sentimento de vergonha pelas falhas percebidas em si mesma.
	
	Expectativa de que os outros vão magoar, abusar, humilhar, trapacear, mentir, manipular ou tirar vantagem. Normalmente envolve a percepção de que o dano é intencional ou resultado de negligência injustificada e extrema. Pode incluir o sentimento de que a pessoa sempre acaba sendo enganada pelos outros ou a idéia de que a ¿corda sempre arrebenta do lado do mais fraco¿.
	 
	Expectativa de que o desejo da pessoa de receber apoio emocional, em um grau normal, não será adequadamente atendida pelos outros. As três maiores forças de privação são: privação de carinho ¿ ausência de atenção, afeição carinho ou companheirismo; privação de empatia ¿ ausência de entendimento, escuta; privação de proteção ¿ ausência de força, direção ou orientação por parte dos outros.
	
	Envolve o sentimento de que os outros significativos não serão capazes de continuar proporcionando apoio emocional, conexão, força ou proteção prática, por serem emocionalmente instáveis e imprevisíveis, não-confiáveis. Porque vão morrer a qualquer momento; ou porque abandonarão o paciente em favor de alguém melhor.
	
	 4a Questão (Ref.: 201308356240)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	A terapia dos esquemas, desenvolvida por Jeffrey Young descreve os esquemas iniciais desadaptativos como esquemas muito resistentes à mudança que se constituem no núcleo do autoconceito da pessoa e da sua concepção do ambiente. Eles são confortáveis e familiares, e quando contestados, a pessoa vai distorcer as informações para manter a sua validade. Identifique, dentre as opções abaixo, o esquema inicial desadaptativo denominado isolamento/alienação.
		
	 
	Sentimento de que a pessoa está isolada do resto do mundo, é diferente das outras e/ou não faz parte de nenhum grupo ou comunidade.
	
	Envolve o sentimento de que os outros significativos não serão capazes de continuar proporcionando apoio emocional, conexão, força ou proteção prática, por serem emocionalmente instáveis e imprevisíveis, não-confiáveis. Porque vão morrer a qualquer momento; ou porque abandonarão o paciente em favor de alguém melhor.
	
	Expectativa de que os outros vão magoar, abusar, humilhar, trapacear, mentir, manipular ou tirar vantagem. Normalmente envolve a percepção de que o dano é intencional ou resultado de negligência injustificada e extrema. Pode incluir o sentimento de que a pessoa sempre acaba sendo enganada pelos outros ou a idéia de que a ¿corda sempre arrebenta do lado do mais fraco¿.
	
	Sentimento de que a pessoa é defectiva, má, indesejada, inferior ou inválida em aspectos importantes, ou de que ela não seria digna do amor das pessoas significativas. Pode envolver hipersensibilidade a críticas, rejeição e culpa;constrangimentos, comparações e insegurança perto dos outros; ou um sentimento de vergonha pelas falhas percebidas em si mesma.
	
	Expectativa de que o desejo da pessoa de receber apoio emocional, em um grau normal, não será adequadamente atendida pelos outros. As três maiores forças de privação são: privação de carinho ¿ ausência de atenção, afeição carinho ou companheirismo; privação de empatia ¿ ausência de entendimento, escuta; privação de proteção ¿ ausência de força, direção ou orientação por parte dos outros.
	
	 1a Questão (Ref.: 201307469387)
	Pontos: 0,0  / 0,1
	A terapia dos esquemas, desenvolvida por Jeffrey Young descreve os esquemas iniciais desadaptativos como esquemas muito resistentes à mudança que se constituem no núcleo do autoconceito da pessoa e da sua concepção do ambiente. Eles são confortáveis e familiares, e quando contestados, a pessoa vai distorcer as informações para manter a sua validade. Identifique, dentre as opções abaixo, o esquema inicial desadaptativo denominado subjulgação.
		
	
	Foco excessivo no atendimento voluntário das necessidades alheias nas situações do cotidiano, à custa da própria gratificação. As razões mais comuns são evitar dor aos outros, evitar a culpa por sentir-se egoísta ou manter a conexão com pessoas percebidas como carentes. Resulta, muitas vezes, de uma aguda sensibilidade à dor alheia.
	 
	Foco amplo e permanente nos aspectos negativos da vida aos mesmo tempo em que minimiza ou negligencia os aspectos positivos ou otimistas. Inclui uma expectativa exagerada de que as coisas acabem dando muito errado ou de que aspectos da vida, que parecem estar bem, possam piorar. Uma vez que os possíveis resultados negativos são exagerados, esses pacientes, são em geral, caracterizados por preocupação, vigilância, queixas ou indecisão crônicas.
	
	Dificuldade ou recusa de exercitar suficiente autocontrole e tolerância à frustração ao buscar metas pessoais, ou de restringir a expressão excessiva das emoções e dos impulsos. Em sua forma mais branda, o paciente apresenta uma ênfase exagerada na evitação do desconforto, à custa da realização pessoal, comprometimento ou integridade.
	
	Ênfase excessiva na obtenção de aprovação, reconhecimento ou atenção das pessoas, ou sem se adaptar aos outros, à custa de desenvolver um senso de self seguro e verdadeiro. O senso de auto-estima depende principalmente das reações alheias e não das inclinações naturais. Inclui, às vezes, uma ênfase exagerada em status, aparência, aceitação social, dinheiro, como meio de obter aprovação, admiração ou atenção.
	 
	Excessiva submissão ao controle dos outros por sentir-se coagido ¿ normalmente para evitar raiva, retaliação ou abandono.
	
	 5a Questão (Ref.: 201307469390)
	Pontos: 0,0  / 0,1
	A terapia dos esquemas, desenvolvida por Jeffrey Young