AULA 00 DIREITO AGRARIO
33 pág.

AULA 00 DIREITO AGRARIO


DisciplinaDireito Agrário1.000 materiais3.853 seguidores
Pré-visualização9 páginas
Aula 00
Direito Agrário p/ PC-BA (Delegado)
Professor: Thiago Leite
00000000000 - DEMO
 
 
 
Prof. Thiago Leite www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 31 
DIREITO AGRÁRIO ± DELEGADO-BA 
Teoria, jurisprudência e questões 
Aula 00 ± Prof. Thiago Leite 
 
 
$8/$\ufffd\ufffd\ufffd 
7(25,$\ufffd*(5$/\ufffd'2\ufffd',5(,72\ufffd
$*5È5,2\ufffd\ufffd&21&(,72\ufffd(\ufffd
35,1&Ë3,26 
Sumário 
1 - Apresentação ...................................................................................... 2 
2 ± Conceito do Direito Agrário ................................................................... 3 
3 ± Princípios do Direito Agrário .................................................................. 6 
4 ± Jurisprudência correlata ..................................................................... 17 
5 ± Questões .......................................................................................... 23 
6 ± Resumo da Aula ................................................................................ 31 
7 - Considerações Finais .......................................................................... 31 
 
 
00000000000 - DEMO
 
 
 
Prof. Thiago Leite www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 31 
DIREITO AGRÁRIO ± DELEGADO-BA 
Teoria, jurisprudência e questões 
Aula 00 ± Prof. Thiago Leite 
 
$8/$\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd±\ufffd7HRULD\ufffd*HUDO\ufffdGR\ufffd'LUHLWR\ufffd
$JUiULR\ufffd\ufffdFRQFHLWRV\ufffdH\ufffdSULQFtSLRV 
1 - Apresentação 
 
Olá, amigo concurseiro! Este Curso é voltado essencialmente para o cobiçado 
concurso de Delegado da Bahia, que está cada vez mais atrativo. 
Saiba que o direito agrário é importantíssimo no dia-a-dia da Polícia Civil, e, por 
conseguinte, bastante cobrado nas provas. 
Uma boa preparação em Direito Agrário já colocará você um passo à frente dos 
demais concorrentes. 
Trataremos, de forma descomplicada, porém completa, do assunto coberto pelo 
Edital. Faremos isso através de uma sistematização teórica do assunto, 
complementando com a jurisprudência correspondente e, para fechar o estudo, 
com questões comentadas. 
Desta forma, você terá condições de acertar todas as questões referentes ao 
Direito Agrário, sem necessitar de socorrer-se de outros materiais de estudo, o 
que fará com que você poupe um precioso tempo de preparação. 
Feita esta explanação inicial acerca do assunto e do método de ensino, quero me 
apresentar. 
Meu nome é Thiago Leite, atualmente sou Procurador do Estado de São Paulo. 
Possuo pós-graduação em Direito Público, e fui aprovado em diversos concursos 
públicos, dentre eles o de Procurador da Fazenda Nacional e o de Procurador do 
Estado de São Paulo. 
Passei anos de minha vida estudando, como concurseiro, até que consegui o meu 
objetivo, e posso te garantir uma coisa: com persistência, disciplina e uma boa 
equipe de professores você também conseguirá sua aprovação. 
Encerrada a apresentação, vamos à matéria. Lembro a você que essa aula 
demonstrativa serve para mostrar como o curso funcionará, mas isso não quer 
dizer que a matéria explorada nas páginas a seguir não seja importante ou não 
faça parte do programa. 
Analise o material com carinho, faça seus esquemas de memorização e prepare-
se para a revisão final. Se você seguir esta fórmula, o curso será o suficiente para 
que você atinja um excelente resultado. Espero que você goste e opte por se 
preparar conosco. 
Agora, mãos à obra e boa sorte, futuro Delegado! 
 
 
00000000000 - DEMO
 
 
 
Prof. Thiago Leite www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 31 
DIREITO AGRÁRIO ± DELEGADO-BA 
Teoria, jurisprudência e questões 
Aula 00 ± Prof. Thiago Leite 
 
2 ± Conceito do direito agrário 
 
Nosso estudo não poderia começar em outro ponto que não a conceituação do 
Direito Agrário. Portanto, cabe a pergunta: o que é o Direito Agrário? 
 
 
 
 
 
Interessante notar que o Direito Agrário é um ramo híbrido 
do Direito, ou seja, seu conteúdo abarca tanto questões de 
direito público (ITR, desapropriação, reforma agrária) 
quanto de direito privado (usucapião, contratos agrários). Tal flexibilidade 
ganha maior relevo ante o crescente fenômeno da constitucionalização não só do 
direito civil, mas do direito privado como um todo. 
 
 
Lembre-se que o Direito Agrário é um ramo autônomo do Direito, com 
autonomia legislativa (conjunto de leis específicas, como o Estatuto da 
Terra), científica (princípios, conteúdo e métodos próprios) e didática 
(organização própria para fins de ensino e estudo). 
 
 
 
Como visto no conceito mais acima, não podemos deixar de pontuar que o objeto 
do Direito Agrário é a relação entre o homem e a terra, e o seu elemento 
central é a função social da propriedade, em torno do qual circundam as 
discussões mais relevantes da matéria. 
DIREITO 
AGRÁRIO
Ramo do Direito consistente no 
conjunto de regras, instrumentos e 
princípios normativos voltados à 
organização da relação entre o homem 
e a terra, na busca do progresso socio-
econômico a partir da promoção da 
função social da terra. 
‡ "...Os contratos de direito agrário são regidos tanto
por elementos de direito privado como por
normas de caráter público e social, de
observação obrigatória e, por isso,
irrenunciáveis, tendo como finalidade precípua a
proteção daqueles que, pelo seu trabalho, tornam a
terra produtiva e dela extraem riquezas, conferindo
efetividade à função social da propriedade..." (REsp
1.182.967)
00000000000 - DEMO
 
 
 
Prof. Thiago Leite www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 31 
DIREITO AGRÁRIO ± DELEGADO-BA 
Teoria, jurisprudência e questões 
Aula 00 ± Prof. Thiago Leite 
 
 
Antes de adentrarmos nos princípios que regem a matéria, importante trazer um 
breve histórico da propriedade no Brasil. Tal histórico permitirá a você, 
candidato, ter um panorama geral acerca de um elemento chave no 
desenvolvimento do estudo. Pois vamos lá. 
 
Em relação à propriedade no 
Brasil tudo começa com o 
Tratado de Tordesilhas, 
celebrado em 1494, onde 
foram divididas as terras do 
³1RYR\ufffd0XQGR´\ufffdHQWUH\ufffd3RUWXJDO\ufffdH\ufffd
Espanha, as maiores potências 
da época. Com isso nasce a 
necessidade de Portugal de 
colonizar as áreas recém 
descobertas sob seus 
domínios, evitando ou 
dificultando a invasão dessas 
terras por outras nações. Essa colonização, no Brasil, se deu através da divisão 
das terras em capitanias hereditárias, que eram lotes de terras dados aos 
donatários ou capitães-donatários, pessoas 
de confiança do governo português, em troca do 
pagamento de tributos. Esses donatários tinham 
a função de governar, colonizar e desenvolver a 
região. Essa colonização feita pelos donatários 
se deu através da concessão do domínio útil das 
terras para certas pessoas, chamados 
sesmeiros, mediante o pagamento de tributos 
ao donatário ± é o famoso instituto da 
Sesmaria. Ou seja, o donatário chegava para 
uma pessoa e dizia: tome essa parcela de terra 
(sesmaria), produza, desenvolva, e em troca você paga, para mim, tributo (parte 
da produção). Esse sistema de sesmaria perdurou no país até 1822, pouco antes 
da Proclamação da Independência, momento no qual passou a vigorar um caótico 
sistema de posse das terras. Em 1850 houve a edição da Lei de Terras (Lei 601), 
que legitimou as posses já consolidadas e instituiu o sistema de transferência da 
propriedade imobiliária com base na alienação. Em 1864, com a edição da Lei 
1.237, se esboçou o que conhecemos hoje como o sistema de registro de imóvel 
em cartórios. 
Percebe como o início da distribuição de terras no Brasil se deu com base em 
favorecimentos pessoais? Isso repercute até hoje no sistema agrário brasileiro, 
que é caracterizado pela alta concentração