Prova AV História da Ed no Brasil
4 pág.

Prova AV História da Ed no Brasil


DisciplinaHistória da Educação no Brasil2.587 materiais33.246 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Fechar
	Avaliação: CEL0242_AV_ » HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
	Tipo de Avaliação: AV
	Aluno:  - LIDIANE 
	Professor:
	
	Turma: 9009/AI
	Nota da Prova: 3,5    Nota de Partic.: 1   Av. Parcial 2  Data: 18/11/2017 11:10:51
	
	 1a Questão (Ref.: 201607871559)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Com a chegada da Família Real no Brasil muitas transformações ocorreram em diversos aspectos, inclusive em relação à educação com a criação de vários cursos de Ensino Superior na Bahia e no Rio de Janeiro, além da criação do Museu Real, Jardim Botânico, Biblioteca Nacional, entre outros. Quais as reais intenções de D. João VI com essas medidas?
		
	
Resposta: Com a chegada dfamília Real no Brasil muitas transformações ocorreram e as reais intenções de D. João VI com essas medidas eram transmitir o conhecimento para a colononização, para que eles tivessem um bom aprendizado e prepara-los para o mercado de trabalho.
	
Gabarito: As transformações foram feitas com um interesse imediato: melhorar as condições da corte e de sua comitiva. Ou seja, não havia um real interesse pela educação do povo brasileiro.
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201607868581)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	A segunda metade do século XIX representou para a história brasileira um período de grandes mudanças. Nesse período, duas propostas se destacaram no campo das ideias: o Positivismo Comteano e o liberalismo. A que setores da sociedade brasileira esses dois princípios atingiram?
		
	
Resposta: Os setores da sociedade brasileira que foram atingidos pelo positivismo Comteano e o liberalismo foram os setores primarios e secundários. O ensino elementar , primário ficaria sob responsabilidade das províncias, e o supria, e secundária ao governo central.
	
Gabarito: Positivismo Comteano- Penetrou, primeiramente, nas escolas militares e depois se propagou entre alguns membros das elites políticas. Liberalismo- Atingiu, principalmente, os partidários do abolicionismo e os do movimento republicano brasileiro.
	
Fundamentação do(a) Professor(a): Leia o gabarito e entenda o valor dado a sua resposta
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201607680656)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	Enquanto os portugueses escutavam a missa com muito "prazer e devoção", a praia encheu-se de nativos. Eles sentavam-se lá surpresos com a complexidade do ritual que observavam ao longe. Quando D. Henrique acabou a pregação, os indígenas se ergueram e começaram a soprar conchas e buzinas, saltando e dançando (...) Náufragos Degredados e Traficantes (Eduardo Bueno) Este contato amistoso entre brancos e índios preservado:
		
	
	pelos colonos que escravizaram somente o africano na atividade produtiva de exportação.
	 
	até o início da colonização quando o índio, vitimado por doenças, escravidão e extermínio, passou a ser descrito como sendo selvagem, indolente e canibal.
	
	Igreja, que sempre respeitou a cultura indígena no decurso da catequese.
	
	sobretudo pelo governo colonial, que tomou várias medidas para impedir o genocídio e a escravidão.
	 
	em todos os períodos da História Colonial Brasileira, passando a figura do índio para o imaginário social como "o bom selvagem e forte colaborador da colonização".
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201607056850)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	(FEC/UFF 2003 - adaptada) "A vida do colégio parecia continuar impávida, como se não estivesse envolvida pelo mesmo ambiente colonial. Todos falando latim, assuntando falas piedosas, recitando poesias e textos clássicos. (...) A realidade, ali, parecia estar suspensa (...) Um mundo perfeito. Uma sociedade perfeita." 
Esta passagem foi retirada do texto: Educação jesuítica no Brasil colonial, de José Maria Paiva, publicado no livro: 500 anos de educação no Brasil. Em relação ao colégio jesuítico, é possível afirmar que:
		
	 
	O colégio jesuítico contribuiu para a transformação da sociedade colonial.
	
	O currículo jesuítico priorizava as ciências em detrimento das letras.
	 
	Havia um intenso formalismo na estruturação do colégio jesuítico.
	
	A organização curricular jesuítica priorizava a língua vernácula de cada sociedade.
	
	Os jesuítas buscavam um mundo perfeito; assim, condenaram a escravidão negra.
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201607793785)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Também conhecidas como aulas avulsas\u37e Pertenciam ao estado e não mais à Igreja\u37e Foi a primeira forma do sistema de ensino público no Brasil\u37e Serviam como aulas preparatórias de humanidades\u37e Quem coordenava estas aulas era um Diretor Geral de Estudos, responsável pelos concursos e provimento dos professores régios para as diferentes cadeiras ou disciplinas\u37e Para a sua manutenção foi criado o imposto chamado subsídio literário, para custear o ensino, houve um aumento no número de aulas régias, porém ainda muito precário devido à escassez de recursos, de docentes preparados e da falta de um currículo regular\u37e Existiam aulas avulsas de Latim, Grego, Filosofia e Retórica\u37e As aulas régias eram autônomas e isoladas, com professor único e uma não se articulava com as outras. Na prática, o sistema das Aulas Régias pouco alterou a realidade educacional no Brasil, tampouco se constituiu numa oferta de educação popular, ficando restrita às elites locais. A quem pertencem às citadas características?
		
	
	Reforma Democrática
	
	Reforma Colonial
	
	Reforma Republicana
	
	Reforma Imperial
	 
	Reforma Pombalina
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201607057036)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	 Leia o texto a seguir:
 
A situação da educação na colônia começou a mudar com a vinda forçada de Dom João VI para o Brasil em 1808, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal por esta época. Dom João sabia que sua estadia forçada em terras brasileiras não seria curta e, portanto, além de abrir os portos do Brasil às nações amigas, resolveu permitir a imprensa, facilitar a entrada de livros e fundar cerca de uma dezena de instituições de ensino técnico ou superior em nosso território, no Rio de Janeiro e na Bahia. Estas instituições visavam apenas a formação de profissionais de nível superior nas áreas de Engenharia, Medicina, Química e Agricultura. Dom João VI não fundou nenhuma escola de Direito no Brasil, não tomou iniciativa alguma quanto à organização do ensino primário nem do secundário, que continuaram existindo sob a forma das aulas régias instituídas pelo Marquês de Pombal. Tampouco fundou institutos de pesquisa ou de ensino de disciplinas de interesse, nem tentou organizar uma Universidade no Brasil, embora estas instituições fossem já comuns na Europa e mesmo nas demais colônias da América Espanhola.
 
(http://www.cristianismo.org.br/his-br01.htm - adaptado)
 
 
Marque a alternativa que melhor interpreta o texto acima:
 
 
 
		
	 
	Dom João quis resolver apenas um problema mais imediato:a falta de um certo número de engenheiros, médicos e agrônomos no Brasil, e não o problema da educação de forma geral do povo brasileiro.
	
	O Brasil, assim como as colônias espanholas foi um dos pioneiros a estabelecer o sistema de aulas régias após a transferência da família Real. A criação dessas aulas tinha como objetivo adaptar a educação aos moldes do sistema educacional europeu.
	
	D. João VI sancionou a primeira lei que garantia que a instrução primária seria gratuita a todos os cidadãos o que atenderia a carência de mão de obra deixada pelo período jesuítico.
	
	D. João contribuiu sobretudo com o desenvolvimento da pesquisa, sobretudo nas áreas de engenharia, medicina, química e agricultura.
	
	O ensino primário e o ensino secundário foram prioridade após a abertura dos portos às nações amigas.
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201607738059)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	No Império brasileiro, a primeira lei específica sobre matéria educacional, foi decretada em 15 de outubro de 1827. Ela indicava que