O Empreendedorismo na Profissão de Secretariado Executivo    DYANA HAZELMAN LIMA    2006
81 pág.

O Empreendedorismo na Profissão de Secretariado Executivo DYANA HAZELMAN LIMA 2006


DisciplinaSecretariado Executivo87 materiais818 seguidores
Pré-visualização15 páginas
as pessoas 
percebam que mudar é um fator primordial para a sobrevivência\u201d. Não só as pessoas, 
mas as organizações também perceberam que mudar é necessário. A velocidade das 
mudanças tecnológicas, a instabilidade econômica, o aumento das exigências dos 
mercados estão criando um ambiente no qual a vantagem competitiva que fará a 
diferença será a capacidade de gerar novas vantagens competitivas de forma sistemática 
e contínua, e isso só se dá através da inovação, da transformação, da visão de futuro. É 
nesse contexto que as empresas buscam profissionais empreendedores, que nesse caso 
recebem a denominação de intraempreendedores. Mas o que significa o termo 
intraempreendedorismo? 
Segundo URIARTE (2000) o termo intraempreendedorismo é uma tradução do 
termo inglês intrapreneurship1, cunhado pelo consultor americano Gifford Pinchot para 
designar o \u201co empreendedor interno\u201d, aqueles profissionais que têm iniciativa, que são 
visionários, que não têm medo de tentar e que aprendem com os erros; determinados, 
ousados e capazes de mobilizar recursos e implementar novos negócios dentro de 
ambientes já consolidados; profissionais que têm um olhar diferente sobre o processo e 
que conseguem transforma-lo de forma a alcançar melhores resultados. 
Para FRIEDLAENDER (2004), o intraempreendedorismo torna-se necessário 
diante do fato de que é possível, e importante, a presença de empreendedores dentro das 
organizações para que ocorra o desenvolvimento das mesmas. 
URIARTE (2000) diz que, 
 
 
 
(...) as empresas bem sucedidas são aquelas que iniciaram mudanças 
em tecnologia, marketing ou organização e conseguiram manter uma 
liderança em mudanças em relação aos concorrentes. Portanto, os 
empreendedores são necessários não somente para iniciar novos 
empreendimentos em pequena escala, mas também para dar vida às 
empresas existentes, em especial as grandes. 
 
1 Uriarte, L.R. Identificação do Perfil Intraempreendedor. Dissertação (Mestrado em Engenharia de 
Produção), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000, p. XLVIII-XLIX. 
 
 
 
11
11
E complementa, \u201ca inovação quase nunca ocorre em uma organização sem que 
haja um indivíduo ou um pequeno grupo apaixonadamente dedicado a fazê-lo 
acontecer\u201d. 
Segundo PINCHOT apud URIARTE (2000), \u201cos intraempreendedores são todos 
os \u201csonhadores que realizam\u201d, aqueles que assumem a responsabilidade pela criação de 
inovações de qualquer espécie dentro de uma organização\u201d. 
 
 
5.2 \u2013 O PERFIL EMPREENDEDOR E INTRAEMPREENDEDOR 
 
 
5.2.1 \u2013 CARACTERÍSTICAS E PERFIL EMPREENDEDOR 
 
 
Segundo DAVID (2004), 
 
 
 
Os economistas relacionaram o empreendedor à inovação e ao 
desenvolvimento econômico, mas fazia-se necessária uma análise 
mais aprofundada do comportamento do empreendedor para responder 
às seguintes questões: Quem é o empreendedor? Como reconhecê-lo? 
Nascem prontos? Como formá-los? Eu posso vir a ser um 
empreendedor de sucesso? O que pode ser observado é que o 
empreendedor possui características que as outras pessoas não 
possuem. Algumas podem ser inatas, mas, e outras, podem ser 
adquiridas? Neste aspecto, o empreendedorismo passou a ser de 
interesse também para os estudiosos do comportamento humano. 
 
 
 
Estudos buscando a identificação do perfil empreendedor são cada vez mais 
importantes. Segundo CUNHA e NETO (2004), \u201cdiversos autores (Pylro, 2002; 
Schumpeter, 1978; Fillion, 1999) ilustram a dificuldade de definir as características do 
empreendedor\u201d. Para DOLABELA (1999), o estudo do perfil empreendedor é de suma 
importância para que se possa aprender a agir adotando atitudes e comportamentos 
adequados. 
 
 
 
 
 
 
 
 
12
12
E complementa: 
 
 
 
É importante termos consciência, entretanto, de que ainda não se pode 
estabelecer uma relação de causa e efeito. Ou seja, não se pode 
afirmar que uma pessoa dotada de tais características irá 
necessariamente alcançar o sucesso como empreendedor. O que se 
pode dizer é que, se determinada pessoa apresenta as características e 
aptidões mais comumente encontradas nos empreendedores, mais 
chances terá de ser bem-sucedida. 
 
 
As pesquisas na área do empreendedorismo estão focadas nos comportamentos 
que podem levar ao sucesso. O know-how tecnológico e o domínio de ferramentas 
gerenciais são de extrema importância, sendo uma conseqüência do processo de 
aprendizagem daqueles que buscam novos cenários. No quadro abaixo são apresentadas 
algumas características comportamentais dos empreendedores de sucesso. 
 
Quadro 1 \u2013 Características Comportamentais do Perfil empreendedor 
 
1 \u2013 Inovação 11 \u2013 Habilidade para conduzir situações 
2 \u2013 Otimismo 12 \u2013 Criatividade 
3 \u2013 Liderança 13 \u2013 Necessidade de realização 
4 \u2013 Iniciativa 14 \u2013 Sensibilidade a outros 
5 \u2013 Flexibilidade 15 \u2013 Autoconsciência 
6 \u2013 Independência 16 \u2013 Agressividade 
7 \u2013 Tolerância à ambigüidade e à incerteza 17 \u2013 Confiança 
8 \u2013 Orientação para resultado 18 \u2013 Originalidade 
9 \u2013 Tendência a risco 19 \u2013 Envolvimento em longo prazo 
10 \u2013 Capacidade de aprendizagem 20 \u2013 Dinheiro como medida de desempenho 
 Fonte: Fillion apud CUNHA e NETO (2004) 
 
De acordo com URIARTE (2000), 
 
 
 
ser empreendedor significa ter, acima de tudo, a necessidade de 
realizar coisas novas, pôr em prática idéias próprias, característica de 
personalidade e comportamento que nem sempre é fácil de se 
encontrar. O empreendedor, por definição, tem de assumir riscos, e 
seu sucesso está em sua capacidade de conviver com eles e sobreviver 
a eles. Os riscos fazem parte de qualquer atividade e é preciso 
aprender a administrá-los. O empreendedor não é mal-sucedido nos 
seus negócios porque sofre revezes, mas porque não sabe superá-los. 
 
 
 
13
13
Para GERBER apud URIARTE (2000), o empreendedor é um grande 
estrategista, inovador, criador de novos métodos, é criativo, lida com o desconhecido, 
imagina o futuro, transforma possibilidades em probabilidades, caos em harmonia. 
Segundo DAVID (2004), a chave do sucesso do empreendedor está relacionada 
à busca constante da satisfação de necessidades. 
URIARTE (2000) cita a pirâmide das necessidades de Maslow, pois esta tem 
características situacionais, dependendo da situação uma das cinco características torna-
se mais relevante. 
Figura 1 \u2013 Pirâmide das Necessidades de Maslow 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Baseados nas necessidades apresentadas por Maslow, BIRKEY e WESTHEAD 
apud DAVID (2004), analisaram as necessidades mais latentes nos empreendedores e 
apresentaram como sendo basicamente de cinco tipos: 
 
Quadro 2 \u2013 Principais necessidades dos empreendedores 
 
1 - Necessidade de aprovação Ser admirado pelos outros, ter status 
2 - Necessidade de independência Horário de trabalho flexível, liberdade 
para iniciativa 
3 - Necessidade de desenvolvimento 
pessoal 
Busca constante de novos conhecimentos 
e habilidades 
4 - Necessidade de segurança Proteger-se de perigos físicos ou 
psicológicos, reais ou imaginários 
5 - Necessidade de auto-realização Realizar seus sonhos, resolver situações 
que são verdadeiros desafios à sua 
capacidade 
 Fonte: BIRKEY e WESTHEAD apud DAVID (2004) 
 
Fonte: URIARTE (2000)
 
 
14
14
COMPORTAMENTO 
 EMPREENDEDOR 
 
Necessidades 
 - Realização, poder, 
afiliação. 
 - Fisiológicas, 
segurança, 
sociais, estima. 
 
 
Motivação 
Impulso para ação 
De acordo com DAVID (2004), ao longo da vida de um empreendedor suas 
necessidades vão se modificando. À medida que uma necessidade é satisfeita outra 
surge em seu lugar. \u201cSuas necessidades geram impulsos para suas ações e suas ações