Vocabulário Jurídico
788 pág.

Vocabulário Jurídico


DisciplinaIntrodução ao Direito I88.129 materiais525.606 seguidores
Pré-visualização50 páginas
a mesma 
Consolid. Arts. 215 á 218, e suas Notas, que reputa derogadas 
estas Legitimações (chamados\u2014per Rescripttm Príncipes \u2014, 
existindo somente hoje no Brasil as\u2014Legitimações per 
subsequens \u2014. 
\u2014 Legitimidade (Diocion. de Per. e Souza) é a 
qualidade de sêr legitimo: No Juizo das Justificações! 
se-conhece tão somente da Legitimidade das pessoas, ou 
da sua Illegitimidade; e não do titulo, com que requerem : 
\u2014Alv. de 14 de Outubro de 1766, § 5.°. 
Legitimidade \u2014 Dlccion. de Ferr. Borges m 
E' o estado (sentido privativo) de um filho, que teve 
nascimento de uma maneira legitima, isto é, approvada péla 
Lôi: 
Também se-applica esta palavra á accepção da qualidade 
de sêr legitimo, isto é, conforme á Lêi, etc.\u2014. 
\u2014 Lei ó o que se-manda lêr em certo logár, mas 
I onde ? Nas Letras Portuguesas. 
Lêí \u2014 Jhccion. de Per. e Souza 
Moralmente fallando, é a norma das acções livres: 
A Lêi, ou é divina, isto é, prescripta por DEUS; ou 
humana, isto é, prescripta pêlos homens: 
A Lêi Divina é, ou natural, que-se-conhece por meio da 
bôa razão; ou revelada, sobre o que se-deve crer, e obrar: 
Subdivide-se a Lei Revelada, em Lêi Nova ou da Graça; e 
em Lêi Velha, ou Antiga, que DEUS dera á Moysés: 
VOCABULÁRIO JURÍDICO 201 
A. Lêi Humana, divide-se em Civil, e Esglesiastica: 
As Leis Civis são aquellas, pélas quaes»&$»-rege cada 
Estado, Reino, ou Nação; e, d'ellas, umas regulão o Direito 
Publico, outras o Direito Privado dos Cidadãos en-\tre si : 
As Leis Ecclesiasticas são as prescriptas péla Igreja : 
As Leis Civis subdividem-se em Civis (sentido em outro 
aspecto), e Crímindes ou Pendes: 
As Leis se-devem guardar com grande reverencia, e 
ninguém deve allegár contra as Leis e Ordenações, com o 
pretexto de serem contrarias ao Direito Romano: 
As Leis, ou são Cartas, ou Alvards; sendo as Cartas 
perpetuas e universáes, com objecto permanente; e os \ Alvards 
para durarem regularmente só por um anno; excepto quando 
tem força de Leis, ou JCrogação da Ord. Liv. 2.° Tit. 40, 
versando sobre negócios particulares : 
Só pertence ao Soberano (hoje o Poder Legislativo péla 
Constit. do Império) derogar as Leis: 
As Leis Extravagantes não derogão as Compiladas, se 
d'êllas não fazem especial menção \u2014 Ord. Liv. 2." Tit. 44: 
As Leis só obrigão depois de publicadas\u2014Ord. Liv. 1.° 
Tit. 2.° § 10, e passadas péla Chancellaria \u2014 Ord. Liv. 2.° Tit. 
39 (não assim actualmente, mas como infra vê-se na 
Publicação das Leis) : 
Leis Extravagantes, anteriores à publicação das Orde-
nações em 1603, fôrâo revogadas, e annulladas, excepto as 
Ordenações de Fazenda, Artigos das Sisas, Foràes, e 
Regimentos Particulares, péla Lêi de 29 de Janeiro de 1643 
(Tudo isso boje modificado, abrogado, ou derogado) : 
As Leis começão á obrigar em Lisboa (hoje no Rio de 
Janeiro) passados oito dias depois de sua publicação; e nas 
Comarcas, passados trêz mêzes \u2014 Ord. Liv. l.° Tit. 2.° § 1.°, 
etc.: 
As Leis Fundamentdes se-dizem aquellas, que designão a 
forma da Suocessão do Reino (hoje do Império, onde 
202 VOCABULÁRIO JURÍDICO 
aí Leis Fundamentaes são a nossa Constituição Politica, já tão 
vioíLia) ; 
A Lêi Gerdl deve entcndêr-se geralmente \u2014 Alv. de 3 de 
Outubro de 1758, e tem logàr na falta de disposição particular 
\u2014 Alv. de 29 de Julho de 1761: 
Cessando a razão das Leis, cessa a mesma Lêi \u2014 Ord. 
Liv. 2.» Tit. 18 § 8.°, e Alv. de 17 de Outubro de 1763 ; 
As disposições das Leis são da competência do Tribunal 
do Desembargo da Paço (Hoje do Poder Legislativo Geral, e 
do Provincial) : 
As Leis não costumão olhar para o pretérito, sem que 
assim o-expressem \u2014 Assento, de 23 de Novembro de 1769, e 
de 5 de Dezembro de 1770 (Sua disposição, segundo o Art. 
179\u2014II, não tem effêito retroactivo): 
A dispert a da Lêi é privativa do Soberano (hoje do Poder 
Legislativo), e aos Magistrados compete somente a 
Interpretação Doutrinal \u2014 Abr. de 12 de Maio de 1769, e 
Carta Regia de 6 de Setembro de 1816 : 
As Leis devem-se accommodàr aos costumes, para que 
são feitas e no que fôr justo e honesto \u2014 Alv. de 7 de Junho de 
1755: 
Não é da intenção do Legislador a pratica, e intel-ligencia 
d'ellas, muito onerosa ás Partes.\u2014 Alv. de 15 de Julho de 
1755: 
O que é conforme ao espirito, e letra d'ellas, com-preende-
se na sua disposição.\u2014Carta Régia de 21 de Outubro de 1757, 
Lei de 18 de Agosto de 1769, e Alv. de 4 de Dezembro do 
mesmo anno : 
Não patrocina aos perturbadores do socêgo publico \u2014 Lei 
de 24 de Outubro de 1764 § 6.°: 
A publicação das Leis no Brasil pertence aos Gover-
nadores (não hoje, mas como infra vê-se na Publicação das 
Leis) : 
A Lêi Expressa só pôde sêr revogada por outra \u2014 Ass. de 
21 de Junho de 1777 < 
O fim das Leis é a tranquillidade dos Povos, e a 
VOCABULÁRIO JURÍDICO 206 
jFsua felicidade, e maior commodo.\u2014Lêi de 9x^6 Julho de 
11790, e Ass. de 2 de Março de 1786 : 
N'ellas é inadmissível a contradicção. \u2014 Lêi de 3 de 
Agosto de 1770 § 11, e amplial-as, ou limital-ás, só per- 
I tence ao Summo Imperante. \u2014 Lêi de 20 de Outubro de 
I 1763, e de 12 de Maio, e 4 de Dezembro, de 1769, etc, 
\u2022 etc. : 
As abusivas interpretações das Leis fôrao abolidas 
j péla Lêi de 18 de Agosto de 1769, que fixou a observância 
d'ellas : 
Os casos omissos nas Leis devem sêr decididos pélas 
I Leis Romanas, somente emquanto estas se-fundão na\u2014\u25a0 
s Razão \u2014; devendo-se aliás recorrer às Leis das Nações 
| Christãs, illuminadas, polidas ; e principalmente nas matérias 
de Commercio, e de Navegação \u2014 Lêi de 18 de Agosto de 
1769 § 9.°: 
Somente são admissíveis as interpretações das Lôie, que 
se-deduzirem do espirito d'ellas, tomadas em seu genuíno 
[ e natural sentido; e as que, por identidade de razão, e por força 
de compreenção se acharem dentro do seu espirito \u2014 Ord. Liv. 
3.° Tit. 64 § 2.°, eLei de 18 de Agosto de 1769 § 11 : 
As Leis, em casos crimes, sempre ameação, mais do 
que na realidade mandão; e devem os Juizes executal-as 
em tudo, que lhes-fôr possível, não devendo achar n'ellas, 
mais rigor.\u2014Av. de 20 Janeiro de 1745: 
I. Ninguém pode conhecer da justiça d'ellas, nem ques- 
tionar sobre a sua força ou merecimento \u2014 Lêi de 23 de 
Novembro de 1770 § 15: 
Nas Leis, e Decretos, não ha palavra, que se-julgue inútil, e 
que não opere seu effêito.\u2014Ass. de 22 de Outubro de 1778; 
não se pôde hesitar contra sua expressa disposição \u2014 Ass. de 
20 de Dezembro de 1770, e de sua inviolável observância 
depende a sustentação das Monar-chias \u2014 Alv. de 16 
Novembro de 1771, etc. 
 
204 VOCABULÁRIO JURÍDICO 
jtfjrLêi \u2014 Diccionario de Ferr. Borges 
Em geral, é uma norma de comportamento, prescripto por 
uma Autoridade, à quem se-deve obediência: 
A Lèi \u2014 manda, \u2014 prohibe \u2014 permitte, \u2014 ou pune ; ou 
antes, como diz Merlin, a Lêi é um acto da vontade soberana, 
que, \u2014 ou manda certas cousas, \u2014 ou permitte debaixo de 
condições determinadas, \u2014 ou prohibe, quer de um modo 
absoluto, quer com reservas; 
Toda a aggregação de homens, constituída em povo, é só 
porisso soberana; e só á ella pois pertence, estabelecer as 
regras, a que devem sêr sujeitos todos os seus membros; 
Não é, que não possa delegar essa autoridade, e, sendo 
muito necessário, a-delega: mas, em tal caso, é o Povo, que se-
julga exercer esse poder, porque as Leis são feitas, ou julgadas 
feitas, em seu nome : 
A Lêi contém, além do preceito, a sancção: e esta é a 
pena, ou a recompensa, o bem ou o mal, que se-lhe-annexa à 
sua observância ou à sua violação, etc, etc. (O mais como no 
Diccion. de Per. e Souza)\u2014. 
\u2014 Leilão é a venda publica em Juizo, ou fora d'êlleJ em 
que é comprador, com a denominação de arrematante! quem 
offerece maior preço. 
Leilão \u2014 Diccion. de Ferr. Borges 
Essa venda, tanto em uso, pode sêr necessária, quando