Exercícios de  CONTABILIDADE
28 pág.

Exercícios de CONTABILIDADE


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis83.266 materiais543.868 seguidores
Pré-visualização6 páginas
com a evolução da tecnologia, os barcos atuais são fabricados com fibra de carbono, muito mais resistente e leve. No caso, Magrão está sempre comprando novos carregamentos de fibra de carbono. Como o contador contabiliza essas compras? Lembrando que raramente Magrão costuma pagar a vista, está sempre pedindo prazo para pagar.
	Respostas:	
a. Debita estoques e credita caixa.
b. Debita estoques e credita fornecedores.
c. Debita fornecedores e credita estoques.
d. Debita dívidas a vencer e credita máquinas e equipamentos.
e. Esse tipo de compra não deve ser contabilizado, apenas quando a matéria-prima é efetivamente utilizada.
	
Alternativa: B
Justificativa: a fibra de carbono é uma matéria-prima para a oficina de Magrão. Sendo assim, deve ser contabilizada a débito em estoques. E como se sabe que Magrão raramente realiza compras a vista, não deve-se utilizar a conta caixa ou bancos conta movimento. Deve-se utilizar a conta de fornecedores para registrar a dívida contraída.
Pergunta 8. Mário \u201cMagrão\u201d, amigo íntimo de Guilherme, fazia jus ao nome. Um rapaz macérrimo, que dava preocupação nos outros tamanha a sua magreza. Para trabalhar, \u201cMagrão\u201d era um monstro! Rapaz forte, capaz de levantar pesos imensos (como aquela coluna aguenta!) e consegue trabalhar 20 horas por dia, dormindo na própria bancada de trabalho, caso uma encomenda assim exija. Foi assim com Guilherme, que há alguns anos precisava de um barco novo com urgência e apenas Magrão aceitou a demanda. Disso, surgiu uma enorme amizade. Magrão, no entanto, não era um bom negociador. Contraiu diversos financiamentos \u201cfáceis\u201d para ampliar a oficina, não conseguiu pagar e enfrentou graves problemas com protestos. No caso, o contador de Magrão contabilizava as dívidas da oficina em:
	Respostas:	
a. Passivo circulante \u2013 financiamentos.
b. Ativo circulante intangível \u2013 protestos.
c. Passivo circulante \u2013 protestos.
d. Passivo circulante \u2013 caixa e bancos.
e. Passivo circulante \u2013 bancos conta movimento.
	
Alternativa: A
Justificativa: as dívidas das empresas (utilizamos o termo \u201cobrigações\u201d no jargão contábil) são registradas no passivo, no grupo do circulante. Normalmente, obrigações com instituições financeiras são registradas na conta \u201cfinanciamentos\u201d do balanço patrimonial, independente dessas obrigações terem ido a protesto.
É muito comum as empresas terem financiamentos (obrigações) de curto prazo e de longo prazo. As dívidas de longo prazo devem ser registradas no grupo de \u201cpassivo não circulante\u201d. No caso da oficina de Magrão, como suas dívidas foram protestadas, entende-se que são de curto prazo e têm alta exigibilidade. Por isso, são registradas no passivo circulante.
Pergunta 9. Natália, a namorada (quase noiva) de Guilherme é uma mulher muito bonita, que chama a atenção de todos não só pela beleza e altura (quase dois metros de altura!), mas por seu ímpeto em querer ajudar, fazer alguma coisa para mudar uma situação para melhor. É o tipo de pessoa que não suporta ver alguém sofrendo (ou o que ela entende ser sofrimento) sem tentar encontrar uma solução. Logo depois que o Sr. Nino Lopes deu a Guilherme o dinheiro para que pudesse ser sócio de Mário Magrão, Natália visitou a oficina e ficou horrorizada com as condições do lugar, uma verdadeira bagunça. Tinta e sujeira por todo o lugar, de onde exalava um cheiro muito forte de \u201calmoxarifado\u201d. Magrão não via problema em trabalhar na oficina, por sinal, fazia suas refeições e até dormia frequentemente ali mesmo. Mas o que mais impressionou Natália foi o fato de Magrão lixar os barcos manualmente. Indagado sobre isso, ele disse que esse era o seu segredo. Lixando manualmente, possibilitava uma qualidade superior dos barcos, apesar do trabalho extra. Todas as lixadeiras do mercado são muito agressivas, dizia. Indignada, Natália falou com vários engenheiros até que encontrou na Suécia uma lixadeira automática que poderia ajudar Magrão. Exigiu que Guilherme comprasse essa lixadeira. No caso, o contador da oficina irá registrar essa lixadeira no livro diário como:
Respostas:	
a. Ativo circulante - financiamentos.
b. Passivo circulante intangível.
c. Debita máquinas e equipamentos e credita bancos conta movimento.
d. Debita investimentos e credita bancos conta movimento.
e. Debita ativo circulante e credita ativo permanente.
Alternativa: C
Justificativa: a lixadeira que Natália tanto insistiu em comprar para facilitar o trabalho do Magrão irá ser contabilizada pelo contador da oficina como:
D \u2013 máquinas e equipamentos
C \u2013 bancos conta movimento
Ocorre um aumento no patrimônio da empresa, com a aquisição de um novo equipamento. Como a oficina dispõe de vários outros equipamentos, não é razoável que se abra uma conta contábil para cada equipamento. Dessa forma, o contador utiliza a conta com o nome genérico de \u201cmáquinas e equipamentos\u201d. Não se diz no enunciado como a lixadeira foi paga, mas normalmente utiliza-se a conta banco conta movimento, que foi creditada porque houve uma diminuição do patrimônio.
Nesse caso, houve uma substituição de um bem (recurso financeiro) por outro (máquinas e equipamentos).
Pergunta 10. No balanço patrimonial do Comitê Olímpico Brasileiro existe uma conta contábil no ativo não circulante denominada \u201cpropriedades para investimentos\u201d. Se essas propriedades são para investimento, não deveriam estar na conta \u201cinvestimentos\u201d?
Respostas:	
a. Sim, de fato há um erro no balanço patrimonial do Comitê Olímpico Brasileiro, mas que é tolerado por conta de práticas específicas no setor esportivo.
b. Sim, há um erro, mas a questão é outra: essas propriedades do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) deveriam estar no patrimônio líquido.
c. Sim, há um erro porque todo e qualquer investimento deveria ser considerado no grupo de \u201cinvestimentos\u201d para não causar confusões.
d. Não há erro no balanço patrimonial do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), uma vez que propriedades para investimentos são considerados ativos para \u201crendas esporádicas\u201d, portanto, não devem fazer parte da conta de investimentos porque essas geram \u201crendas frequentes\u201d.
e. Não há erro no balanço patrimonial porque segundo as notas explicativas números 6 e 7, observa-se que o contador julgou ser mais relevante separar a operação de propriedades mantidas para auferir receitas de aluguel de outros tipos de investimentos.
	Alternativa: E
Justificativa: de fato, o nome que o contador escolheu para a conta contábil é \u201cpropriedades para investimento\u201d. Segundo a nota explicativa no 7, algumas das propriedades são alugadas, o que vai ao encontro do conceito de investimentos que são \u201cparticipações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante e que não se destinam à manutenção da empresa\u201d, de acordo com a lei 6.404/76. Geralmente, esse grupo contém contas contábeis como:
obras de arte; imóveis para alugar; terrenos para utilização futura; participações no capital de outras empresas em caráter permanente; ações de coligadas; ações de controladas; participações em outras empresas.
O contador do COB, o Sr. Oswaldo Ferreira, nesse caso, julgou preferível separar em contas distintas as propriedades para investimentos (dada a relevância dessa operação, que, conforme é possível observar, gera uma boa receita para a entidade) de outros tipos de investimentos.
Esse tipo de evidenciação é perfeitamente possível e nos mostra que as notas explicativas são muito importantes em uma análise.
Contabilidade Questionário Unidade IV 
Pergunta 1. A mensagem ou relatório aos acionistas fazem parte das demonstrações contábeis? Por quê?
Respostas:	
a. Sim, porque, nesse relatório, o principal executivo realiza uma análise de Upsalla.
b. Não fazem parte conforme os regulamentos, mas são uma tradição desde o século XVIII.
c. Sim, porque se entende que trazem informações relevantes aos usuários externos.
d. Não fazem parte porque são essencialmente opcionais.
e. Não, porque apenas tabelas e informações quantitativas podem ser consideradas