Recurso Adesivo
7 pág.

Recurso Adesivo


DisciplinaDireito Processual Civil I42.840 materiais742.187 seguidores
Pré-visualização2 páginas
seja a dor moral -dor sentimento -de causa material". (Dano Moral, Ed. Forense, RJ, 1992, p. 5).
No mesmo entendimento, o ilustríssimo doutrinador SILVIO DE SALVO VENOSA, ensina em sua obra: 
\u201cDano Moral é toda e qualquer ofensa ou violação que não venha a ferir os bens patrimoniais, mas aos princípios de ordem moral, é o prejuízo que afeta o ânimo psíquico, moral e intelectual da vítima. Sua atuação é dentro dos direitos da personalidade. Nesse campo, o prejuízo transita pelo imponderável, daí por que aumentam as dificuldades de se estabelecer a justa recompensa pelo dano.\u201d
 (VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil. Responsabilidade Civil. 8.ed. São Paulo, Atlas: 2008, p. 41).
Destarte, todo mal infligido ao estado ideal das pessoas, resultando mal-estar, desgostos, aflições, interrompendo seu equilíbrio psíquico, constitui causa suficiente para a obrigação de reparar o dano moral.
Dessa forma, a indenização pecuniária em razão de dano moral apresenta-se como um lenitivo que atenua, em parte, as consequências do prejuízo sofrido, superando o déficit acarretado pelo dano.
Corroborando com este entendimento, a respeito de questões semelhantes, tem-se o entendimento de nossos Egrégios Tribunais que segue:
RESPONSABILIDADE CIVIL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. USO INDEVIDO DA IMAGEM. FINS COMERCIAIS. AUSÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO. DANO MORAL IN RE IPSA. MANUTENÇÃO DO VALOR ARBITRADO PELA SENTENÇA. O banco é parte legítima para a causa em face da aplicação da teoria da aparência. O autor autorizou a captação de suas imagens para programa de televisão mas não para fotografias. Uso indevido da imagem para fins comerciais. Dano moral in re ipsa. Art. 20 do CCB. Súmula 403 do STJ. O valor do dano moral deve ser estabelecido de maneira a compensar a lesão causada em direito da personalidade e com atenção aos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade. Mantido o valor arbitrado na sentença. Agravo retido e apelações não providas. (Apelação Cível Nº 70040718629, Décima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Marcelo Cezar Muller, Julgado em 28/08/2014).
(TJ-RS - AC: 70040718629 RS, Relator: Marcelo Cezar Muller, Data de Julgamento: 28/08/2014, Décima Câmara Cível, Data de Publicação: Diário da Justiça do dia 11/09/2014).
AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. DANOS MORAIS. DIFAMAÇÃO E INJÚRIA. OFENSA À HONRA E À IMAGEM. REQUISITOS. COMPROVAÇÃO. QUANTUM INDENIZATÓRIO. MANUTENÇAO. Comprovados os requisitos ensejadores do dever indenizatório, impõe-se a obrigação, pois a conduta culposa do agente, pautada em comentários levianos e imorais, afrontou o direito à inviolabilidade da honra e da imagem da vítima. A repercussão psico-social do dano moral, decorrente de ofensa à honra e à imagem da pessoa, é presumível não necessitando de prova atinente a prejuízo material. A indenização deve ser arbitrada sempre com moderação, tendo em vista a dor moral, não podendo se constituir em enriquecimento do beneficiário ou ser causa da desestabilidade financeira do causador do dano (TJMG, AC n. 1.0024.04.383525-5/001, de Belo Horizonte, rel. Des. Domingos Coelho, j. em 12-7-2006).
Evidente, pois, que devem ser acolhidos os danos morais suportados, visto que, em razão de tal fato, decorrente da culpa única e exclusiva da empresa Ré, por ter sua moral afligida, por te sido exposto ao ridículo e sofrer constrangimentos de ordem moral, o que inegavelmente consiste em meio vexatório.
III - DO PEDIDO
Diante do exposto, requer aos Nobres Julgadores sejam apreciadas o presente Recurso Adesivo, para reformar a decisão prolatada pelo Nobre Juízo a quo, julgando totalmente procedente o pedido do requerente. Assim, essa colenda Câmara estará renovando seus propósitos de distribuir à tão almejada Justiça, uma vez que restaram comprovados os danos alegados e que a condenação no que tange ao quantum aplicado seja feita em sua integra a fim de garantir a efetiva ordem e aplicação jurisdicional.
Termos em que,
Pede e espera deferimento.
Araçatuba, 17 de Outubro de 2016.
Dra. Mayara de Paula Moreira
OAB/SP 201.330
Endereço: Rua Doutor Francisco Villela nº. 715, Bairro Umuarama \u2013 Araçatuba SP
7