Aula9 20171115204723
30 pág.

Aula9 20171115204723


DisciplinaEstrutura de Estradas37 materiais387 seguidores
Pré-visualização1 página
1
Estradas e Vias Urbanas
Luiza Pinto Coelho Franco
Luiza.coelho@prof.unibh.br
2017/2 
2
3
4
Dimensionamento de Pavimento 
Flexível) 
5
- Dimensionamento pelo Método do DNER (DNIT):
6
7
ENGENHARIA DE 
TRANSPORTES 
8
9
10
11
12
13
- Dimensionamento pelo 
Método do DNER (DNIT):
Tráfego:
- Número N: numero equivalente de operações
(repetições) de um eixo padrão de 8,2 t durante 
o período de vida útil do projeto, que teria o 
mesmo efeito que o trafego previsto sobre a 
estrutura do pavimento.
14
N = 365 x VDM x P x (FE) x (FEC) x (FR) 
15
Onde \u2013
N = número equivalente de operações de 
eixo padrão 
VDM = volume diário médio de tráfego, no 
sentido mais utilizado, no ano médio do 
período de projeto. 
FE = Fator de eixo 
FEC = Fator de equivalência de eixo 
FR = Fator climático regional (tabelado)
P = Período de Projeto 
Fator de eixo - FE 
É um fator que transforma o 
tráfego em número de veículos 
padrão de passagens eixo 
equivalentes. 
16
17
Para os materiais integrantes das 
camadas dos pavimentos são 
adotados coeficientes de 
equivalência estrutural (K),
Por exemplo: Uma base com 10 cm de 
espessura de solo cimento (k = 1,7). 
Significa que 10 cm de base de solo 
cimento, tem o m esmo comportamento 
estrutural que 17 cm (1,7 x 10 cm) de base 
granular. 
18
19
\u2018
20
21
Mesmo que o CBR da sub-base seja superior a 20%, a espessura de 
pavimento necessário para protege-la e determinada como se este 
valor fosse 20% e, por essa razão, usamos sempre, os símbolos H20 e 
h20 para designar as espessuras de pavimento sobre a sub-base e da 
sub-base respectivamente.
A espessura construtivas 
mínimas para estas camadas 
é de 15 cm 
22
Uma vez determinadas as espessuras Hm, Hn e H20 
pelo gráfico e a espessura de R pela tabela, as
espessuras da base (B), sub-base (h20) e reforço do 
subleito (hn) são obtidas pela resolução sucessiva 
das seguintes inequações:
RKR + BKB \u2265 H20 (1)
RKR + BKB + h20 KS \u2265 Hn (2)
RKR + BKB + h20 KS + hn KRef \u2265 Hm (3)
23
24
Um pavimento asfáltico flexível, segundo o 
método de dimensionamento do DNER, para 
suportar um número N igual a 5 × 106, deverá 
possuir espessura de revestimento 
betuminoso, em cm, no mínimo, igual a 
A. 10,0. 
B. 5,0. 
C. 15,0. 
D. 7,5. 
E. 12,5. 
25
26
Exemplo de dimensionamento:
Dimensionar o pavimento de uma rodovia em que 
N=6x107, sabendo-se que o sub-leito possui um CBR 
=6%, dispondo-se de material de sub -base com 
CBR=40% e para base de CBR= 80%. 
Revestimento de Concreto Betuminoso
Base e sub-base granular
Adotar base>= 15 cm
Exemplo de dimensionamento:
27
Dimensionar o pavimento para uma estrada para a 
qual se prevê N = 103 - sabendo-se que o subleito 
apresenta um IS = 2, e que se dispõe de material para 
reforço do subleito com IS = 12 e material para sub-
base granular com CBR=20.
Adotar concreto betuminoso como revestimento. 
Adotar base e sub-base granular
Nunca adotar camadas menores que 10cm.
1) Dimensionar o pavimento em que o N = 10E3, sabendo-se que o 
subleito tem um CBR = 3% e dispondo-se de material para o reforço do 
subleito, com CBR = 9%. Tem/se um material para sub/base com CBR = 
20% e material para base com CBR = 60%. 
Os coeficientes estruturais de cada material (nesse
caso) K = 1,00
28
2) Dimensionar o pavimento de uma estrada em que N= 7 * 106, sabendo-
se que: Subleito com CBR = 12% 
Sub/base com CBR = 20% e, 
Base com CBR = 80% 
KB= 1,00 e KS= 1,00
29
1)
30
2)