FISICA 1
167 pág.

FISICA 1


DisciplinaFísica Básica I1.085 materiais10.589 seguidores
Pré-visualização44 páginas
d) Escreva a função horária dos espaços. 
e) Construa o gráfico s x t. 
RESPOSTA: 
a) O movimento é retrógrado pois os espaços s decrescem com o decorrer do tempo. 
b) v = \u394s/\u394t0=> v = (17-20)/(1-0) => v = -3 m/s 
c) Para t = 0, temos s0 = 20 m 
d) s = s0 + vt => s = 20 - 3t (SI) 
e) 
 
 
2) Dois automóveis, A e B, deslocam-se numa pista retilínea com velocidades escalares vA = 20 m/s e vB = 
15 m/s. No instante t = 0 a distância entre os automóveis é de 500 m. Qual é a distância que o carro que 
está na frente percorre, desde o instante t = 0, até ser alcançado pelo carro de trás? Considere os carros 
como pontos materiais. 
 
RESPOSTA: 1500 m 
39 
 
 
 
3) Um trem de 300 m de comprimento atravessa completamente um túnel de 700 m de comprimento. 
Sabendo se que o trem realiza um movimento uniforme e que a travessia dura 1 minuto, qual é a velocidade 
do trem, em km/h? 
 
Resposta: 60 km/h 
4) Um ciclista realiza um movimento uniforme e seu espaço s varia com o tempo conforme indica o gráfico. 
Determine o espaço inicial s0 e a velocidade escalar v. 
 
 
Respostas: -10 m e 5 m/s 
 
 
 
 
 
 
TAREFA: 
1) (Unifor-CE) 
Numa viagem de automóvel foram anotados os instantes e os marcos quilométricos, durante certo intervalo 
de tempo, conforme a tabela a seguir. Supõe-se movimento uniforme. 
 
 
Acerca desse movimento, considere a seguinte frase incompleta: "No instante t 7h10min, o movimento tem 
velocidade escalar de ..................... e o automóvel encontra-se no marco quilométrico .....................". 
 
Os valores mais prováveis para se preencher corretamente as lacunas da frase são, respectivamente, 
 
a) 203 km/h e 1,0 km. 
b) 5 km/h e 1,0 km. 
c) 1,0 km/min e 203 km. 
d) 1,0 km/min e 1,0 km. 
e) 5,0 km/min e 203 km. 
 
2) Os dois automóveis A e B da figura realizam movimentos retilíneos e uniformes. Sabe-se que a 
velocidade de A vale 10m/s e que colide com B no cruzamento C. A velocidade de B é igual a: 
40 
 
 
 
 
 
a) 2,0 m/s. 
b) 4,0 m/s. 
c) 6,0 m/s. 
d) 8,0 m/s. 
e) 10 m/s. 
 
 
 
3) Um trem de 200 m de comprimento atravessa uma 
ponte de 100 m. O tempo de travessia é de 12 s. Considerando o movimento do trem uniforme, sua 
velocidade escalar é de: 
a) (50/3) m/s 
b) 45 km/h 
c) (10/3) m/s 
d) 22,5 km/h 
e) 90 km/h 
4) O gráfico a seguir representa a função horária do espaço de um móvel em trajetória retilínea e em 
movimento uniforme. 
 
Com base nele, determine a velocidade e a função horária do espaço deste móvel. 
GABARITO: 
TAREFA: 
1-C 2-C 3-E 4- 50 + 20t 
 
MCU- MOVIEMTO CURVILÍNEO UNIFORME 
Vamos iniciar nosso estudo com esse esquema 
simplificado: 
 
 
41 
 
 
 
 
Calma gente, sem susto! Na verdade MCU é muito simples, e vamos entende-lo agora! 
Como dito anteriormente, movimento circular uniforme é um movimento uniforme, mas com trajetória não 
linear e curvilínea. Contudo, a velocidade é uniforme apenas no seu módulo e sentido, pois ela varia 
constantemente em direção! Um bom exemplo de MCU é quando seguramos um fio com uma pedra na 
ponta e ficamos rodando: No tópico sobre a aceleração, disse que ela era algo que variava a velocidade, 
estou certo? Pois é, isso quer dizer que qualquer variação na velocidade é culpa da aceleração. Sendo 
assim, uma variação na direção da velocidade (lembrem que ela é grandeza vetorial), mesmo mantendo-se 
o módulo e sentido constantes, é influência da aceleração. Observe a figura abaixo, agora sem \u201czueira\u201d: 
 
 
Nela observamos que temos vetores velocidade, 
de mesmo módulo, só que direção diferente. Ora, 
essa mudança na direção só pode ser culpa da 
aceleração. E é, só que para não confundir com a 
aceleração do movimento retilíneo, que mudava 
apenas o modulo, vamos chamar essa de 
aceleração centrípeta, enquanto aquela outra será 
a aceleração tangencial! 
 
Definindo: 
A aceleração centrípeta, também chamada de 
aceleração normal ou radial, é a aceleração originada pela variação da direção vetor velocidade de 
um móvel, característico de movimentos curvilíneos ou circulares. Ela é perpendicular à velocidade 
e aponta para o centro da curvatura da trajetória. Sua representação matemática: 
Onde v é a velocidade e r é o raio 
 
 
 
42 
 
 
 
 
Aceleração centrípeta é o mais importante de MCU para o 
ENEM, então gravem seu vetor aponta para o centro da 
trajetória, tem modulo e sentido constante, mas direção 
variável; é perpendicular ao vetor velocidade; é responsável 
pela mudança na direção do vetor velocidade. 
 
 
 
 
 
2. PERIODO E FREQUENCIA 
Na natureza, naturalmente existem muitos fenômenos que se repetem durante um certo intervalo, como por 
exemplo as estações do ano, o jornal na TV, etc. 
Para estes fenômenos que acontecem frequentemente dizemos que é um fenômeno periódico que se 
repete identicamente em intervalos de tempo sucessivos e iguais. O período (T) é o menor intervalo de 
tempo da repetição do fenômeno. 
Num fenômeno periódico, chama-se frequência (f) o número de vezes em que fenômeno se repete na 
unidade de tempo. Por exemplo, a frequência escolar de um estudante é o número de vezes em que ele 
compareceu a sala de aula na unidade de tempo (um mês) 
Embasados nos conceitos acima podemos concluir que o movimento circular uniforme ( C ) é um 
movimento periódico. Seu período (T) é o intervalo de tempo de uma volta completa. Sua frequência (f) é o 
número de voltas que ele desenvolve por unidade de tempo. Se ele não completa uma volta por unidade de 
tempo, consideraremos a fração da volta. 
Como se percebe pelo conceito, a frequência e período são inversos um ao outro. Logo, teremos: 
 A unidade do período é segundos, já que se trata unicamente do 
tempo. A frequência, por sua vez, é dada em Hz (Hertz). 1 Hz significa 
que o evento se repete uma vez por segundo. Um nome anterior para 
esta unidade foi rotação por minuto, RPM abreviado. 60 RPM iguala 
um Hz. 
 
 
 
3. ESPAÇO ANGULAR 
Para os cálculos de MCU, vamos sempre procurar transformar o movimento em algo linear. Por exemplo, se 
o móvel deu uma volta completa em uma circunferência, vamos nos imaginar fazendo um corte na linha 
imaginaria que forma o círculo e esticando ela. Teremos uma linha cujo valor, então é igual ao perímetro do 
círculo. O perímetro do círculo equivale à 2\u3c0R. Contudo, isso vale para toda a circunferência. Em 
movimentos circulares vamos precisar muitas vezes de uma parte dela. 
Vamos supor então que se caminhou meia circunferência. Logo, o espaço percorrido será 2\u3c0R/2=\u3c0r. 
Intuitivamente, você está apresentando o arco da circunferência, que é o produto do angulo, em radianos, 
pelo raio. Radiano é a unidade do angulo expressa pela letra pi. Para encontrarmos então o espaço 
43 
 
 
 
percorrido quando um carro fez uma volta de 60 graus, basta fazermos uma regra de 3 e multiplicar o 
produto pelo raio: 
Teremos um espaço de 7\u3c0r/6, que chamaremos de espaço 
angular 
Podemos agora escrever a formula: 
 s = \u3b8.R 
Onde \u3b8 é o angulo, em radianos 
 
 
 
4. VELOCIDADE ANGULAR MEDIA (\u3c9m) 
Seja \u3b81 o espaço angular de um móvel, num instante t1, e \u3b82 o espaço angular, num instante posterior t2. 
No intervalo de tempo \u394t = t2 - t1 , a variação de espaço angular é \u394\u3b8 = \u3b82 - \u3b81. A velocidade angular média 
é dada por: 
 
 
 
 
5. ACELERAÇAO ANGULAR MEDIA (\u3b3m) 
 no intervalo de tempo \u394t é por