FISICA 1
167 pág.

FISICA 1


DisciplinaFísica Básica I1.081 materiais10.588 seguidores
Pré-visualização44 páginas
do pulo é proporcional à sua velocidade média multiplicada pelo tempo que ele permanece no 
ar, e esse tempo também depende da sua velocidade inicial. 
 
GABARITO 
PINTOU NO ENEM 
1) E 
 
 
 
 
 
 
 
66 
 
 
 
 
PARTE III 
DINAMICA 
Vamos iniciar agora o estudo da dinâmica, outro importante tópico da física. Como vimos anteriormente, 
esse tópico se ocupa principalmente dos elementos que levam um corpo a entrar em movimento, e não 
mais do movimento em si, como fazia a cinemática. Agora, conceitos como velocidade, aceleração, espaço 
percorrido, darão lugar aos conceitos de força, massa, atrito, dentre outras. 
A primeira coisa é esquecer tudo o que você associa à dinâmica, como gincana, educação física, e começar 
a pensar nessa imagem: 
 
Este é Sir. Isaac Newton, que postulou inúmeras leis da dinâmica. Pode ser 
considerado o pai dessa parte tão importante da física. Elaborou 3 leis 
fundamentais, que vamos estudar daqui a pouco. Muitas dessas leis ele formulou 
após simplesmente ver uma maça caindo da arvore. No final do capitulo vocês 
poderão conferir muito da história dessa grande personalidade, juntamente com 
outras figuras que contribuíram para a formação da dinâmica. Mas agora, vamos ao 
que interessa! 
 
 
 
PRINCIPIOS DA DINAMICA 
1. FORÇA 
NO estudo da cinemática, vimos que no MRUV existe uma aceleração capaz de variar o modulo da 
velocidade. Contudo, não falamos do essencial: de onde veio essa aceleração? Ela veio de uma força 
aplicada sobre o corpo. É somente sob a ação de uma força que um objeto pode experimentar uma 
aceleração, isto é, uma variação na velocidade. 
Diz-se, então que: 
Força é o agente físico cujo efeito dinâmico é a aceleração 
 
2. CONCEITO DE FORÇA RESULTANTE: 
Imagine que você e um amigo estão brincando de cabo de guerra. Cada um puxa a corda com uma dada 
força, de mesma direção e sentido 
contrário. Uma hora alguém ganha e um de 
vocês será puxado em direção daquele que 
fez maior força. Observe abaixo: 
Na imagem podemos observar a situação. 
Nela temos os dois vetores, com seus 
respectivos módulos. Vamos falar sobre 
isso mais adiante. Adiantando, podemos 
dizer que a força é dada em uma unidade 
chamada Newton, em homenagem ao 
físico que descreveu essa grandeza. De 
qualquer forma, o indivíduo de vermelho 
faz uma força superior em sentido contrário 
67 
 
 
 
ao do jovem de laranja. Certamente ele ira ganhar. Poderíamos então ter descrito o esquema com apenas 
uma força, de modulo igual à diferença das duas, e sentido para a direita, o que seria a força resultante do 
sistema. Logo, a aceleração será calculada sobre o valor da força resultante, e não das forças individuais. 
Logo: 
A força resultante sobre um sistema onde atuam mais de uma força equivale a uma força única que, 
sozinha, imprime sobre o corpo ou sistema uma aceleração equivalente à aceleração provocada por cada 
força agindo em conjunto. 
É importante frisar então que devemos encontrar sempre a força resultante para então encontrarmos a 
aceleração sobre o sistema. Isso facilita muito os cálculos. Lembrando sempre que força, assim como a 
aceleração, é uma grandeza vetorial, logo não devemos agir como uma simples soma algébrica, mas sim 
uma soma vetorial. Já tratamos sobre isso no início da 
apostila. 
A figura ao lado mostra a regra do paralelogramo, usado em 
situações onde as forças não apresentam mesma direção. 
 
 
 
 
 
3. EQUILIBRIO DE UMA PARTICULA 
Uma partícula é dita em equilíbrio quando a resultante das forças que atuam nessa partícula, para um dado 
referencial, for igual a zero. Poderemos ter, então, duas situações: equilíbrio estático e equilíbrio dinâmico. 
Equilíbrio estático é quando uma partícula, estando em equilíbrio, também se apresenta em repouso para 
um dado referencial, com velocidade igual a zero e posição no espaço constante. 
Equilíbrio dinâmico, por sua vez, ocorre em partículas em equilíbrio, só que em movimento, com velocidade 
diferente de zero. Agora pense: se a aceleração provem de uma força aplicada sobre o móvel, que tipo de 
movimento a partícula apresenta quando está em equilíbrio dinâmico? Só pode ser MRU! Pois não há como 
a partícula apresentar aceleração. 
 
4. INERCIA 
 
68 
 
 
 
 
Como muito bem explicou a primeira figura, um corpo em movimento tende a permanecer em movimento. 
Observando a segunda figura, podemos perceber que tirar a pedra do lugar está sendo uma atividade 
sofrida para o nosso amigo. Isso porque um corpo em repouso também tende a permanecer em repouso. 
Logo, podemos formular o conceito de inercia: 
Inercia é a tendência dos corpos em manter a sua velocidade vetorial, independente dela ser zero ou 
diferente de zero. 
Observe abaixo um clássico exemplo de provas: 
 
Imagine que você acabou de entrar em um ônibus. Antes de ele partir, você está em repouso, junto com o 
ônibus. Quando ele dá a partida, você tende a ser arremessado para trás. Isso porque você tende a 
permanecer com o seu estado original, ou seja, repouso. O fato de você ser arremessado para trás é 
porque, em relação à terra, você estava em uma posição inicial que deve ser mantida. O seu arranque nada 
mais é do que a sua tendência em não mudar de posição em relação à terra. Enfim, finalmente você adquire 
a velocidade do ônibus e tende a permanecer em movimento, graças à sua inercia. Quando o ônibus para, 
você, que estava em movimento, tende a permanecer nesse estado, e por isso é arremessado para a 
frente. 
Uma última constatação sobre inercia: quanto maior a massa do objeto, maior a sua tendência em manter o 
movimento: por isso que é mais difícil empurrar uma pessoa gorda do que uma magra, da mesma forma 
que o gordinho sofre mais para sair de um movimento. 
 
 
 
ATIVIDADES 
01) A respeito do conceito da inércia, assinale a frase correta: 
a) Um ponto material tende a manter sua aceleração por inércia. 
b) Uma partícula pode ter movimento circular e uniforme, por inércia. 
c) O único estado cinemático que pode ser mantido por inércia é o repouso. 
d) Não pode existir movimento perpétuo, sem a presença de uma força. 
e) A velocidade vetorial de uma partícula tende a se manter por inércia; a força é usada para alterar 
a velocidade e não para mantê-la. 
RESPOSTA: LETRA E 
02) (OSEC) O Princípio da Inércia afirma: 
69 
 
 
 
 a) Todo ponto material isolado ou está em repouso ou em movimento retilíneo em relação a 
qualquer referencial. 
 b) Todo ponto material isolado ou está em repouso ou em movimento retilíneo e uniforme em relação a 
qualquer referencial. 
 c) Existem referenciais privilegiados em relação aos quais todo ponto material isolado tem 
velocidade vetorial nula. 
 d) Existem referenciais privilegiados em relação aos quais todo ponto material isolado tem velocidade 
vetorial constante. 
e) Existem referenciais privilegiados em relação aos quais todo ponto material isolado tem 
velocidade escalar nula. 
RESPOSTA: LETRA D 
 
 
AS 3 LEIS DE NEWTON 
1º LEI DE NEWTON (PRINCIPIO DA INERCIA) 
A primeira lei nada mais é do que o enunciado da inercia, que vimos no tópico acima. Vamos dividir em dois 
enunciados: 
1º enunciado: se a força resultante sobre a partícula é nula, ela tende a permanecer como está, em 
repouso ou em MRU, por inercia. 
Já debatemos bastante a respeito disso. Lembrando que, para se retirar um objeto da inercia, é necessário 
uma força resultante diferente de zero, que porventura acelerará o móvel. 
2º enunciado: um corpo livre de uma força resultante é incapaz de variar sua velocidade vetorial 
Isso equivale a dizer