A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Aula 07

Pré-visualização | Página 3 de 6

ser cobrado pela passagem, o tempo que será gasto e o orçamento 
a ser dispensado, para projetar o seu lucro também. Quando o governo 
realiza uma obra sem a utilização de empresas privadas que façam essa 
análise, não só do risco ambiental, mas a técnica e a econômica, ocor-álise, não só do risco ambiental, mas a técnica e a econômica, ocor-lise, não só do risco ambiental, mas a técnica e a econômica, ocor-
rem os inúmeros exemplos de obras que nunca acabam e que valem o 
triplo do orçamento original. Não é raro, todavia, principalmente para 
projetos públicos, que a viabilidade econômica ou a própria utilidade 
pública do projeto seja contestada por intermédio do processo de AIA.
Por exemplo, o projeto de melhoria das condições de navegação na 
hidrovia Paraguai-Paraná foi duramente criticado não só por seus prová-
veis impactos sobre o Pantanal, mas também com base em sua viabilidade 
econômica, seus custos ambientais e pela severidade dos impactos socio-
ambientais. O projeto de transposição das águas do rio São Francisco para 
bacias do semiárido nordestino foi criticado não apenas por seus impactos 
ambientais, mas também com base em sua viabilidade econômica. 
1 6 C E D E R J C E D E R J 1 7
Recursos Ambientais e Naturais e Desenvolvimento Sustentável | A influência do impacto am-
biental no planejamento estratégico organizacional: um mal necessário?
Decisão técnica ou política?
Há uma percepção recorrente em certos círculos de que as deci-
sões baseadas no processo de AIA seriam muitas vezes tomadas por 
motivações políticas em vez de serem baseadas em critérios técnicos. 
Assim, empresários frequentemente reclamam que os interesses que se 
manifestam com maior visibilidade em audiências públicas, ou aqueles 
mais ruidosos, pesam mais na decisão, enquanto associações da socie-
dade civil desconfiam que o poder econômico das corporações é muito 
mais influente que a pressão popular. Parece inevitável que o perdedor 
lamente que seus argumentos, indiscutivelmente razoáveis, tenham sido 
preteridos por razões políticas. Até que ponto há fundamentação em tais 
queixas? As decisões devem ser tomadas exclusivamente com base em 
informações técnicas apresentadas nos estudos ambientais? Devem ser 
baseadas em considerações políticas?
No caso, um agente público é investido do poder decisório e está 
obrigado a observar todos os princípios que norteiam a gestão pública, 
como a impessoalidade e a moralidade. Assim, toda decisão deve ser 
devidamente motivada e fundamentada. Em matéria ambiental, o poder 
público deve também observar outros princípios, como o da precaução 
e o da prevenção.
Fundamenta-se em uma racionalidade econômica ou ecológica? 
Devem-se privilegiar os benefícios de curto prazo em detrimento dos 
custos de longo prazo? Questões de natureza ética, como os direitos das 
futuras gerações, devem ser consideradas?
Em tal contexto, as decisões têm intrínseca e inevitavelmente um 
caráter político, no sentido que afetam ou modificam o status quo. Um 
novo projeto que acarrete impactos significativos necessariamente irá 
mudar uma situação preexistente e, portanto, afetar interesses. Haverá 
setores, grupos ou pessoas que se beneficiarão com a nova situação, ao 
passo que outros serão prejudicados e isso necessariamente implica uma 
decisão política, toda redistribuição é uma decisão política.
1 6 C E D E R J C E D E R J 1 7
A
U
LA
 
7
 
Figura 7.3: Aterro sanitário: exemplo de impacto ambiental. Quem se beneficia? 
Quem é prejudicado?
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Aterro_Sanitario.jpg
Embora o termo decisão política seja desconfortável para muitos 
profissionais que têm formação técnica ou científica, como é o caso 
daqueles que preparam os EIA e dos que elaboram os projetos de enge-
nharia, não deve ser associado a uma política partidária ou a alguma 
politicagem de interesses mesquinhos e imediatistas.
O processo de AIA tem grande potencial de fortalecer um estilo 
decisório deliberativo, entendido como um diálogo não coercitivo que 
permite legitimar as decisões, ao possibilitar que os cidadãos tenham 
suas opiniões ouvidas e consideradas, o que envolve buscas coletivas de 
interesses comuns e negociação entre interesses privados conflituosos. 
A AIA pode ser um fórum que promove o discurso tido como um pro-
cedimento deliberativo ideal.
1 8 C E D E R J C E D E R J 1 9
Recursos Ambientais e Naturais e Desenvolvimento Sustentável | A influência do impacto am-
biental no planejamento estratégico organizacional: um mal necessário?
? Duas acepções distintas da avaliação de impacto ambientalAvaliação do dano ambiental Avaliação de impacto ambiental
tempo
Passado FuturoPresente
IMPACTOS AMBIENTAIS POSITIVOS E NEGATIVOS
A possibilidade de ocorrerem impactos ambientais positivos é uma 
noção que deve ser bem assimilada. Um exemplo corriqueiro de impacto 
positivo, encontrado em muitos estudos de impacto ambiental, é descrito 
como “criação de empregos”. Trata-se, como é evidente, de um impacto 
social e econômico, campo em que é relativamente fácil compreender 
que possa haver impactos benéficos. 
Mas também há impactos positivos sobre componentes físicos e 
bióticos do meio. Um projeto que envolva a coleta e o tratamento de 
esgotos resultará em melhoria da qualidade das águas, em recuperação 
do habitat aquático e em efeitos benéficos da qualidade das águas, em 
recuperação do habitat aquático e em efeitos benéficos sobre a saúde 
pública.
 Uma indústria que substitua uma caldeira a óleo pesado por uma 
caldeira a gás emitirá menos poluentes, como material particulado e 
óxidos de enxofre, ao mesmo tempo em que, caso venha a ser abasteci-
da por um duto de gás, serão eliminadas as emissões dos caminhões de 
transporte de óleo e os incômodos causados pelo tráfego pesado.
Se impacto ambiental é uma alteração do meio ambiente provo-
cada por ação humana, então é claro que tal alteração pode ser benéfica 
ou adversa. Mais que isso, um projeto típico trará diversas alterações, 
1 8 C E D E R J C E D E R J 1 9
A
U
LA
 
7
 algumas negativas, outras positivas, e isso deverá ser considerado quando 
se prepara um estudo de impacto ambiental, embora seja devido às con-
sequências negativas que a lei exige a elaboração desse estudo. Pode-se, 
então, postular que impacto ambiental pode ser causado por uma ação 
humana que implique:
1. Supressão de certos elementos do ambiente, a exemplo de:
• eliminação de componentes do ecossistema, como a vegetação;
• destruição completa de habitats (por exemplo, aterramento de 
um mangue);
• destruição de componentes físicos da paisagem;
• supressão de referências físicas à memória (locais sagrados, 
construções, pontos turísticos);
• supressão de elementos valorizados do ambiente (cavernas, 
paisagens, sítios arqueológicos).
2. Inserção de certos elementos no ambiente, como:
• introdução de uma espécie exótica (que não pertence ao bioma 
original); 
• introdução de componentes construídos (barragens, rodovias, 
edifícios, áreas urbanizadas);
3. Sobrecarga, por meio da introdução de fatores de estresse além 
da capacidade de suporte do meio, gerando desequilíbrio, a exemplo de:
• qualquer poluente;
• introdução de uma espécie exótica (coelhos na Austrália, cara-
mujos africanos no Brasil, jaqueiras na mata atlântica brasileira);
• redução do habitat ou da disponibilidade de recursos para uma 
dada espécie (impacto dos elefantes na África contemporânea);
• aumento da demanda por bens e serviços públicos (educação, 
saúde).
2 0 C E D E R J C E D E R J 2 1
Recursos Ambientais e Naturais e Desenvolvimento Sustentável | A influência do impacto am-
biental

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.