A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Aula Microbiologia das Infecções Endodônticas 2017

Pré-visualização | Página 1 de 1

1
MICROBIOLOGIA DAS
INFECÇÕES ENDODÔNTICAS
DISCIPLINA MICROBIOLOGIA ORAL
CURSO: ODONTOLOGIA
PROF. FELIPE PIEDADE G. NEVES
ENDODONTIA
 Ramo da odontologia que estuda a forma, função, fisiopatologia e terapia
das alterações prejudiciais da polpa dentária e tecido periapical.
 Polpa dentária  Tecido conjuntivo frouxo ricamente vascularizado e
inervado;
 Células, substância intercelular, vasos sanguíneos e linfáticos e nervos;
 Estéril
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
1. TÚBULOS DENTINÁRIOS
2. EXPOSIÇÃO PULPAR
3. PERIODONTO
4. CONTIGUIDADE (OU EXTENSÃO)
5. ANACORESE HEMATOGÊNICA
1- Túbulos Dentinários:
 Contaminação de uma área de dentina exposta por saliva
 Formação de placa sobre uma superfície dentinária exposta
 Processo de cárie
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
BPPN, Fusobacterium e Actinomyces
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
2- Exposição pulpar
 LESÕES DE CÁRIE PROFUNDAS
2- Exposição pulpar
 TRAUMAS ou PROCEDIMENTOS IATROGÊNICOS
• A exposição iatrogênica não oferece maiores problemas se ocorrer de forma asséptica.
• Se houver contaminação pela saliva ou pelo instrumento, a resposta da polpa dependerá:
o Número e virulência dos micro-organismos introduzidos, estado de saúde pulpar e
tratamento e medidas restauradoras instituídos
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
2
3- Periodonto
 Bactérias (p.ex., anaeróbias estritas) e seus produtos na bolsa periodontal
 Acesso via forame de canais laterais, túbulos dentinários e forame apical
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
4- Contiguidade (ou Extensão)
 Extensão da infecção periapical de dentes ou raízes adjacentes;
 Micro-organismos podem se disseminar através dos tecidos periapicais
para outro ápice próximo ou forame lateral.
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
VIAS DE ACESSO À POLPA DENTÁRIA E PERIÁPICE
5- Anacorese Hematogênica
 Atração que tecidos inflamados ou necrosados exercem sobre bactérias
presentes na circulação sanguínea durante uma bacteremia
 Trauma
• Lesão do feixe vásculo-nervoso  Necrose pulpar
• Lesão no ligamento periodontal Hemorragia sulcular  Bacteremia
TIPOS DE INFECÇÕES ENDODÔNTICAS INTRARRADICULARES
 Infecção primária
 Infecção mista;
10 a 20 espécies por canal
 Predomínio de anaeróbios estritos
 Infecções primárias:
 Pricipalmente bactérias espiraladas e BGN anaeróbios estritos
 Treponema denticola, Pseudoramibacter alactolyticus, Fusobacterium nucleatum,
Porphyromonas endodontalis, Porphyromonas gingivalis, Dialister pneumosintes,
Prevotella tannerae, Filifactor alocis, Tanerella forsythia, Treponema socranskii,
Peptostreptococcus spp., Eubacterium spp., Campylobacter spp.
MICRO-ORGANISMOS ENVOLVIDOS
Campylobacter gracilis, C. rectus e 
C. showae  microaerófilos
BPPNF. nucleatumT. denticola
TIPOS DE INFECÇÕES ENDODÔNTICAS INTRARRADICULARES
 Infecção secundária e infecção persistente
 Invasores secundários ou sobrevivência a desinfecção intracanal;
 Infecções simples ou mistas;
 Predomínio de facultativos, principalmente Gram +
 Microbiota oral oportunistas
 Origem dos Enterococos???
Enterococcus faecalis
Actinomyces spp.
Streptococcus spp.
Lactobacillus spp.
Candida spp.
Propionibacterium spp.
Staphylococcus spp.
Pseudomonas spp.
3
TRATAMENTO ENDODÔNTICO
 Limpeza e desinfecção dos canais radiculares e preenchimento dos mesmos com material
isento de microrganismos em condições assépticas, impedindo a reincidência da infecção.
 Estratégias de eliminação microbiana:
 Preparo químico-mecânico
 Irrigação e medicação intracanal (p.ex., hidróxido de Ca, hipoclorito de Na,
clorexidina...)
 Obturação do sistema de canais radiculares (gutapercha)
 Terapia antibiótica sistêmica (p.ex., profilaxia de paciente de risco para endocardite,
infecções periapicais agudas...)
 Cirurgia perirradicular (paraendodôntica)