A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Dentina

Pré-visualização | Página 1 de 2

Disciplina Histologia Bucal 
Prof: Msc Edlene Ribeiro 
edlenelimaribeiro@gmail.com 
DENTINA 
DENTINA 
Tecido mineralizado de natureza 
conjuntiva sendo recoberta 
Pelo esmalte 
Pelo cemento 
Porção coronária 
Porção radicular 
Dentro da dentina tem a polpa dentária – tecido conjuntivo não mineralizado 
Características gerais 
Dentina 
• Avascular 
• Dureza 
– Esmalte > dentina > osso 
• Branca – Amarelado → Passar do tempo 
• Função: Fornecer suporte para o esmalte 
dental 
PD- Pré-dentina 
D- Dentina 
O- Odontoblastos 
P- polpa 
 
COMPOSIÇÃO 
• Conteúdo inorgânico 70% 
– Cristais de hidroxiopatita 
• Conteúdo orgânico 30% 
 
 
• 18% proteína 
 
 
 
• 12% de água 
Colágeno tipo I 
Colageno tipo II e V 
Constituintes não colágenos 
 sialoproteínas, 
 fosfoproteinas, 
 proteinas da matriz dentaria 
 Proteinas morfogeneticas, 
 osteopontina, 
 osteocalcina, 
 osteonectina, 
 decorina, 
 bilgicana 
 Osteoaderina 
 Proteínas séricas 
DENTINOGÊNESE 
• Odontoblastos – responsáveis pela formação da dentina 
• Oriundos por diferenciação das células ectomesenquimais da papila 
dentária 
Ameloblastos 
 esmalte 
Faixa acelular 
Fusiforme ou estrelada 
Núcleo central 
Citoplasma escasso 
Desenvolvimento de organelas 
de síntese e secreção de proteínas 
• Fatores de crescimento 
• Integrinas 
• Matriz extracelular 
Iniciação da diferenciação 
dos odontoblastos 
CURIOSIDADE: 
Calcula-se que ocorram 14 ou 15 divisões entre o inicio 
da odontogênese e a diferenciação dos odontoblastos 
Formação da dentina do manto 
 
• É produzida por odontoblastos em 
diferenciação(imaturos) 
• Começam pela secreções dos principais 
constituintes da matriz orgânica-fibrilas colágenas 
são mais numerosas- 
• Aparecem vesículas da matriz(simultaneamente 
com a secreção de fibrilas colágenas)- 
• Após uma fina camada de matriz orgânica 
secretada ocorre a mineralização no seu interior 
através de hidroxapatitas no interior das vesículas 
da matriz 
 
Formação da dentina circumpulpar 
 
• Após a diferenciação completa dos odontoblastos, continua a mineralização e as 
fibras colágenas continuam mais numerosas 
• Durante a mineralização da dentina há um espaço em volta do prolongamento 
odontoblástico onde uma fina matriz orgânica é secretada é a dentina peritubular 
 
• Dentina peritubular possuem poucas fibras colágenas e se mineraliza rapidamente 
formando a parede do túbulo dentinários 
• o prolongamento odontoblástico e suas ramificações ficam rodeados por dentina 
peritubular, porém com uma camada fina e não calcificada, o espaço 
periodontoblastico 
• Formam-se os túbulos dentinários 
• Dentina circumpulpar vai sendo formada 
• odontoblastos recuam em direção a papila dentaria à medida que novas camadas 
de pré-dentina são depositadas 
• O padrão de mineralização é globular(glóbulos de calcificação) 
• Com a fusão dos glóbulos de calcificação forma-se a dentina interglobular 
 
Dentina do Manto 
Primeira camada de 
dentina 
Dentina circumpulpar 
É constituída pela dentina 
peritubular (paredes dos 
túbulos) e pela dentina 
intertubular 
ESTRUTURAS 
• Odontoblasto 
• Pré-dentina 
• Dentina 
• Tubúlos dentários 
• Linhas incrementais 
• Dentina intertubular 
• Dentina peritubular 
• Espaço periodontoblastico 
• Dentina interglobular; 
• zona granulosa de Tomes. 
 
Túbulos dentinários 
• Características principal da estrutura dentinária; 
• São túneis que abrigam os prolongamentos citoplasmáticos 
dos odontoblastos. 
• Os túbulos dentinários ocupam 20 a 30% do volume de 
dentina íntegra. 
• Estão dispostos de forma regular, atravessando toda a 
extensão da dentina, desde a junção dentina-esmalte e 
junção dentina-cemento até a polpa. 
 
Túneis formados pelos prolongamentos odontoblasticos 
rodeados de dentina peritubular e com o espaço 
periodontoblastico 
1- Esmalte 
2- Dentina 
3- Junção amelodentinária 
4- túbulos dentinários 
Observe a bifurcação dos túbulos dentinários 
próximos a junção amelodentinária. 
 
 
Dentina peritubular 
 
• A dentina que circunda diretamente os 
túbulos dentinários 
• Forma toda a prede dos túbulos 
• É mais mineralizada do que a dentina 
intertubular 
Dentina intertubular 
 • A massa principal da sentina é constituída de 
dentina intertubular 
• Ela fica entre os túbulos dentinários 
• Difere da dentina peritubular por possuir uma 
matriz orgânica – fibrilas colagenas 
ESPAÇOS DE CZERMACK (DENTINA 
INTERGLOBULAR) 
 
 
São espaços que aparecem na periferia da 
dentina coronária e às vezes na dentina 
radicular (próximo à região cervical). 
 
OBS: Na verdade, a denominação de 'espaços' 
não é correta, pois nessa região existe uma 
matriz orgânica mineralizada ou não-
mineralizada, que corresponde à dentina 
interglobular. Mas nas lâminas por desgaste, a 
dentina interglobular é perdida, e observamos 
apenas os espaços correspondentes. 
1: Dentina 
2: Espaços de Czermack 
3: Camada granulosa de Tomes 
4: Cemento 
 
 
Linhas incrementais 
 • A formação da matriz orgânica e sua mineralização : 
– Longa fase de formação 
– Curtos períodos de repouso 
• Linhas que marcam variações no ritmo de crescimento da dentina 
• Podem ser observadas com o uso de técnicas especiais. 
• Linhas que demarcam um ritmo de 5 dias no crescimento da dentina. 
• Alterações metabólicas, processos patológicos ou ingestão de drogas ou 
medicamentos durante a formação da dentina podem ficar registrados 
neste tecido sob a forma de linhas que acompanham o contorno das 
linhas de von Ebner. 
 
É formada por várias cavidades cheias de ar. 
Encontra-se ao longo de toda a periferia da 
dentina radicular, paralela a junção 
cementodentinária. 
1: Cemento 
2: Dentina 
3: Camada granulosa de Tomes 
CAMADA GRANULOSA DE TOMES 
DENTINA SECUNDÁRIA 
 
• Camada formada após o 
fechamento do ápice da raiz. 
• É uma faixa estreita de 
dentina que circunda a 
polpa. 
• A deposição de dentina 
ocorre durante a vida toda, 
porém em ritmo bem mais 
lento. 
DENTINA TERCIÁRIA 
• Formada em resposta a estimulo externo 
– Se os prolongamentos ondontoblasticos são expostos 
(erosão, carie etc) os odontoblastos morre, ou se 
continuarem vivos, produzem dentina reparativa 
• Odontoblastos recém diferenciados e os lesados 
produzem a dentina reparativa. 
• Esse selamento ocorre como um processo de 
cicatrização (processo inflamatório, remoção de 
células mortas ) 
• Possui túbulos mais retorcidos e em menor 
número 
Alterações fisiológicas 
 
• Durante o envelhecimento a luz dos 
canalículos dentinários vai lentamente 
diminuindo. 
• Este processo ocorre devido à síntese 
progressiva da dentina intratubular. 
• A síntese desta dentina pode levar a oclusão 
dos canalículos, num processo chamado de 
esclerose dentinária. 
 
 
Pré-dentina 
• Localiza-se junto ao tecido 
pulpar 
• A primeira a ser formada 
não é mineralizada 
• Durante a síntese da dentina 
os odontoblastos sintetizam 
inicialmente a matriz 
protéica, que forma uma 
camada entre os 
odontoblastos e a dentina 
mineralizada. Esta camada é 
denominada de pré-dentina, 
que será num futuro 
próximo mineralizada 
transformando-se na dentina 
Espaço periodontoblástico 
 
• É o espaço compreendido entre a 
parede do canalículo e o 
prolongamento do odontoblasto. 
 
• É preenchido pelo líquido, 
tissular, e, onde ocorrem as 
trocas metabólicas com os 
prolongamentos odontoblásticos. 
• Teoria Hidrodinâmica: 
Estímulos causam 
movimentos nos 
fluidos no interior dos 
túbulos dentinários,