A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
Esmalte

Pré-visualização | Página 1 de 1

FACIPE- faculdade integrada de Pernambuco 
Histologia Bucal 
ESMALTE DENTÁRIO 
 
 
Prof. Edlene Lima Ribeiro 
Esmalte- características gerais 
• Estrutura que recobre a coroa dos dentes 
• Tecido mais mineralizado do organismo 
• Origem: ectoderma 
• Acelular 
• Alto conteúdo inorgânico 97% 
– Fosfato de cálcio (hidroxiopatita) 
– Carbonato 
– Sódio 
– Magnésio 
– Cloreto 
– Potássio 
– flúor 
• Material orgânico (proteico) 1% 
• Água 2% 
• Extrema dureza 
• Friável – frágil 
– Dentina lhe confere sustentação e reduz a 
possibilidade de fratura durante a mastigação 
Esmalte- características gerais 
• Cor→ branco/acinzentado ao 
branco/amarelado 
• Aparência translúcida (↑ grau de mineração 
↑ translucidez) 
 
Esmalte- características gerais 
Espessura máxima de 2,5 mm 
Amelogênese 
• Ameloblastos 
Fase de desenvolvimento 
Fase morfogênica 
Fase de diferenciação 
Fase secretora 
Fase de maturação 
Fase protetora 
 
Ciclo vital 
Células 
indiferenciadas 
Formação 
Maturação 
Amelogênese – Fase Morfogenética 
O epitélio interno do 
órgão do esmalte 
determina a forma da 
coroa do dente 
Células cuboides com 
núcleo grande e 
ovoides 
• Inversão de polaridade – pré-ameloblastos 
• Inicialmente cúbicas – alongando- cilíndricas 
Amelogênese – Fase de Diferenciação 
• Epitélio interno 
• Epitélio intermediário 
• Epitélio externo 
 
 
• Há desenvolvimento de cisternas de REG 
• Citoesqueleto - microtúbulos 
Nesse estagio de desenvolvimento 
PRÉ - AMELOBLASTOS 
Células cilíndricas altas – C.G. e REG (bem desenvolvidos) 
mitocôndrias e enzimas lisosomais 
Estabelecer junções intercelulares - gap, desmossomas e oclusivas 
Se torna ameloblastos diferenciados 
Prestes a secretar matriz doo esmalte 
REG 
Polirribosomas 
Mitocôndria microtúbulos Mitocôndria microtúbulos 
Polirribosomas 
Lâmina basal 
Junções comunicantes 
• Inicio da Amelogênese propriamente dita. 
• Ameloblastos possuem todas as características 
ultra estruturais de células sintetizadoras e 
secretoras de proteínas 
• A formação do esmalte e sua mineralização 
são reguladas exclusivamente pelos 
Ameloblastos. 
 
Amelogênese – Fase Secretora 
A MATRIZ DO ESMALTE É CONSTITUIDA POR 
PROTEÍNAS NÃO COLAGENAS 
Constituintes da matriz orgânica do esmalte 
• Proteínas: 
Amelogeninas 
Não amelogeninas 
– Enamelinas e tuferina 
– ameloblastina 
 
Amelogênese – Fase Secretora 
• A mineração inicial chega a 15% do total da 
matriz recém-formada 
• Primeira camada de esmalte apresenta cristas 
de mineral alinhados perpendicularmente a 
superfície da dentina 
Amelogênese – Fase Secretora 
A enamelina + fibras colágenas da dentina do 
manto + tufelina 
 
Amelogênese – Fase Secretora 
Estabelece uma estreita relação 
entre o esmalte e a dentina 
Começo da mineralização 
• Primeira camada – 30 a 40µm 
• Ameloblastos desenvolvem uma curta 
projeção cônica a partir do seu citoplasma 
distal – Processo de Tomes 
Amelogênese – Fase Secretora 
Ameloblastos 
Processo de Tomes 
Dentina Pré-dentina 
odontoblatos 
Processo de Tomes 
Fase “S” 
Face “N” 
 
MMP 
Promover a 
degradação 
parcial e 
reabsorção das 
moléculas 
• Estrato 
intermediário exibe 
agora alta atividade 
fosfatase alcalina. 
• Colapso do órgão do 
esmalte garantindo 
a nutrição dos 
Ameloblastos 
• Ao finalizar a fase secretora os Ameloblastos 
não apresentam processo de Tomes, 
entretanto, mais algumas camadas podem ser 
depositadas, estabelecendo o esmalte 
prismático superficial. 
Amelogênese – Fase Secretora 
• Ameloblastos assumem morfologia cilíndrica 
baixa e superfície distal lisa ou com dobras 
• Diminui suas organelas (REG e CG) - autofagia 
• Remoção do elementos orgânicos e água 
• Bombeamento de íons cálcio e fosfato para 
matriz permitindo rápido crescimento dos 
cristais de hidroxiopatita 
• Maturação ocorre de dentro para fora - 
centrífugo 
Amelogênese – Fase de Maturação 
• Estabelecimento do epitélio reduzido do órgão 
do esmalte 
• Proteção contra modificações químicas e 
estruturais (perda de agua, diminuição do 
conteúdo orgânico e aumento da 
cristalinidade) 
Amelogênese – Fase Protetora 
• Com a exposição do esmalte na cavidade oral 
e o avançar da idade ocorrem modificações 
químicas e estruturais. 
– Perda de agua 
– Diminuição do conteúdo orgânico 
– Aumento da cristalinidade 
Esmalte - Estrutura 
• Prismas 
• Estrias incrementais de Retzius 
• Estriações transversais 
• Bandas de Hunter-Schreger 
• Esmalte nodoso 
• Tufos, lamelas e fusos 
• Periquemácias 
• O esmalte possuem estrutura prismática 
• Esmalte maduro – unidades estruturas em 
forma de barras – primas 
• As zonas periféricas dessas barras – 
Interprismáticas 
 
Esmalte - Estrutura 
Prismas 
• Barra ou colunas mais ou menos cilíndricas 
que se estendem do esmalte aprismático até a 
superfície 
• Bainha – encontro de cristais de um prima –
com grupos de cristais de outros primas 
A diferença entre primas e regiões 
Interprismáticas reside apenas nas diferentes 
orientações e disposições dos cristais 
Esmalte – Estrias ou linhas 
incrementais de Retzius 
• Durante a formação do esmalte ocorre 
períodos de repouso, que se refletem na 
presença de linha incrementais de 
crescimento – estrias de Retzius 
 
• Linhas de crescimento 
Bandas de Hunter-Schreger 
• Fenomeno ópito resultado do desvio da luz no 
trajeto sinuoso dos primas resultando no 
aparecimento de bandas claras e escuras 
Esmalte nodoso 
• Resultado do entrecruzamento irregular dos 
primas desde a junção amelodentinária até a 
superfície externa do vértice da cúspide 
Tufos 
• Áreas levemente hipomineralizadas que 
alcançam no máximo um terço da espessura 
do esmalte 
lamelas 
• Áreas hipomineralizadas em forma de fita que 
alcançam a superfície externa do esmalte 
Fusos 
• Representam a continuação dos túbulos 
dentinários, mais frequentes nos vértices das 
cúspides com orientação perpendicular a 
junção amelodentinária 
Periquemácias 
• Representam a parte superficial das estrias de 
Retzius 
Esmalte – 
superfície 
Esmalte aprismático 
• Cristais não se dispõem constituindo primas – 
formam uma camada de estrutura + ou – 
homogênea 
• Decíduos – mais regular 
• Permanentes 
 
• A utilização de flúor de várias maneiras resulta 
em um esmalte mais resistente devido a 
incorporação do flúor na estrutura do cristal 
de apatita. 
 
• O processo de carie está intimamente 
relacionado com a presença de placa 
bacteriana e resulta na destruição do esmalte 
através da desmineração dos primas 
Junção amelodentinária 
• Superfície de contato entre o esmalte e a 
dentina subjacente 
• Bastante ondulada 
• Nessa região originam-se os tufos, lamelas e 
fusos.