manual agroflorestal rebraf (1)
196 pág.

manual agroflorestal rebraf (1)


DisciplinaAgrofloresta Sintrópica11 materiais77 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Manual Agroflorestal
para a Mata Atlântica
M294m Manual Agroflorestal para a Mata Atlântica / Coordenação Peter Herman May,
 Cássio Murilo Moreira Trovatto, Organizadores Armin Deitenbach ... [et al.]
- Brasília : Ministério do Desenvolvimento Agrário, Secretaria de Agricultura Familiar, 2008.
 196 p. : il ; 21cm.
 ISBN 978-85-60548-42-2
1. Mata Atlântica \u2013 aspectos econômicos \u2013 Brasil. 2. Economia florestal 
 \u2013 experiências - Brasil. 3. Recursos florestais \u2013 políticas públicas \u2013 Brasil. I. May, 
 Peter Herman. II. Trovatto, Cássio Murilo Moreira. III. Deitenbach, Armin ... [et al.].
 IV. Ministério do Desenvolvimento Agrário, Secretaria de Agricultura Familiar.
Ministro de Estado do Desenvolvimento Agrário
Guilherme Cassel
Secretário Executivo do Ministério do Desenvolvimento Agrário 
Daniel Maia
Presidente do Insti tuto Nacional de Colonização e Reforma Agrária
Rolf Hackbar t
Secretário de Reordenamento Agrário
Adhemar Lopes de Almeida
Secretário de Desenvolvimento Terri torial
Humberto Oliveira
Secretário de Agricultura Familiar
Adoniram Sanches Peraci
Diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural
Argileu Martins da Silva
Coordenador Geral de Assistência Técnica e Extensão Rural
Francisco Rober to Caporal
Consultor \u2013 Sistemas Agrof lorestais
Cássio Murilo Moreira Trovat to
Assessoria de Comunicação Social \u2013 MDA
Coordenador de Comunicação Social/MDA
Luiz Felipe Nelsis
Coordenador de Jornalismo/MDA
Ricardo Schmitt
Coordenadora Administrativa/ASCOM/MDA
Marcela Silva
Chefe da Assessoria de Comunicação/Incra
Chico Daniel
Equipe de Criação
OrganizadoresEdição Fotografia
Armin DeitenbachClarita Rick li Arquivo/MDA
Guilherme dos Santos Floriani Jean Dubois \u2013 acervo pessoal
Jean Clement Laurent DuboisProdução
Jorge Luiz VivanAlexandra Ferreira Ilustrações
Regina Menescal, 2007
Revisão TécnicaTextos
André Luiz Rodrigues Gonçalves Pré-Impressão e ImpressãoCoordenação
OPUS Editora \u2013 PRPeter Herman May Projeto Gráf ico
Cássio Murilo Moreira Trovat to Silvino Carneiro
Insti tuição Organizadora
REBRAF \u2013 Insti tuto Rede Brasileira Agroflorestal- Rio de Janeiro/RJ
Insti tuição Parceira
RMA \u2013 Rede de ONGs da Mata Atlântica
Insti tuições Colaboradoras
TERRA VIVA - Centro de Desenvolvimento Agroecológico do Extremo Sul da Bahia \u2013 Itamaraju/BA
IESB - Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia \u2013 Ilhéus/BA
IC - Instituto Cabruca \u2013 Ilhéus/BA
Institu to Floresta Viva \u2013 Uruçuca/BA
CEPEMA - Fundação Cultural Educacional Popular em Defesa do Meio Ambiente \u2013 For taleza/CE
APTA - Associação de Programas em Tecnologias Alternativas \u2013 Colatina/ES
AS-PTA - Assessoria e Ser viços a Projetos em Agricultura Al ternativa
Centro Sabiá - Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá \u2013 Recife/PE
RURECO - Fundação Para o Desenvolvimento Econômico Rural da Região Centro \u2013 Oeste do Paraná \u2013 
Guarapuava/PR AMLD \u2013 Associação Mico-leão-dourado \u2013 Silva Jardim/RJ
Secretaria Municipal de Agricultura de Casimiro de Abreu - RJ
GAE - Grupo de Agricultura Ecológica \u2013 UFRuralRJ Insti tuto Ipanema \u2013 Institu to de Pesquisas Avançadas em 
Economia e Meio Ambiente \u2013 Rio de Janeiro/RJ
Centro Ecológico Litoral Norte \u2013 Dom Pedro de Alcântara/RS
ECOCITRUS - Cooperativa dos Citricultores Ecológicos do Vale do Caí \u2013 Montenegro/RS
IMCA - Institu to Morro da Cutia de Agroecologia \u2013 Montenegro/RS
APREMAVI - Associação de Preservação do Meio Ambiente do Alto Vale do Itajaí \u2013 Rio do Sul/SC
Vianei - Associação Vianei de Cooperação e Intercâmbio no Trabalho, Educação, Cultura e Saúde \u2013 AVICITECS \u2013 
Lages/SC
Ipereté - Insti tuto Pereté Para o Desenvolvimento \u2013 Lages/SC
APOENA - Associação em Defesa do Rio Paraná, Af luentes e Mata Ciliar \u2013 Pontal do Paranapanema/SP Ipê - 
Institu to de Pesquisas Ecológicas \u2013 Nazaré Paulista/SP Proter - Programa da Terra, Assessor ia, Pesquisa e Educação 
Popular no Meio Rural \u2013 Registro/SP
Mutirão Agroflores tal - Brasil
Dedicatória
Ao Jean Clement Laurent Dubois \u2013 o João da Mata \u2013 pelo incansável empenho em 
fazer com que este trabalho se transformasse em realidade \u2013 um livro como 
presente e futuro para Agrof loresta no Brasil.
Aos agricultores e agricultoras do Brasil que compartilharam suas exper iências 
agroflores tais e assim enriqueceram a elaboração desta obra.
Prefácio..........................................................................................................................................................................................................................................................11
Apresentação............................................................................................................................................................................................................................................13
CAPÍTULO 1 \u2013 Classificação e Breve Caracterização de SAFs e Práticas Agroflores tais................................................................................15
Introdução..............................................................................................................................................................................................................................17
A Mata Atlântica.............................................................................................................................................................................................17
A importância das árvores na vida dos homens...........................................................................................................................17
A adoção crescente de SAFs pelos agricultores familiares.......................................................................................................17
SAFs: renda familiar, segurança alimentar, saúde e qualidade de vida...............................................................................18
O resgate e aproveitamento dos conhecimentos........................................................................................................................18
1. Informações Gerais sobre Sistemas Agroflores tais.....................................................................................................................................20
Definição e classificação............................................................................................................................................................................20
Classificação dos SAFs................................................................................................................................................................................20
Sistemas silviagrícolas..............................................................................................................................................................21
Sistemas silvipastoris................................................................................................................................................................21
Sistemas agrossilvipastoris...................................................................................................................................................21
Categorias de SAFs quanto à estrutura e potencial de conservação...............................................................................24
SAFs de estrutura e composição baseadas em árvores do es trato dominante......................................24
SAFs de estrutura e composição baseadas em árvores do es trato arbus tivo.........................................24
Sistemas Agroflores tais ou Agroflorestas?.................................................................................................................24
Implantação e Manejo dos SAFs............................................................................................................................................................24