Buscar

ANAMNESE PSIQUIÁTRICA_Saúde Mental

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 7 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 7 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

ANAMNESE PSIQUIÁTRICA
Importância 
UM DOS PRINCIPAIS RECURSOS PARA FORMULÇÃO DIAGNÓSTICA E ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS BASEADAS NAS NECESSIDADES DE SAÚDE.
CONTATO INCIAL E PASSO FUNDAMENTAL PARA ESTABELECIMENTO DO VÍNCULO QUE PROPORCIARÁ AO PACIENTE ACEITAR AJUDA, FORNECER INFORMAÇÕES E COLABORAR COM O TRATAMENTO PROPOSTO EM CONJUNTO.
Atitude do Técnico
DEMONSTRAR CORDIALIDADE, SENSIBILIDADE, INTERESSE. PROXIMIDADE, ESPONTANEIDADE E EMPATIA => CLIMA FAVORÁVEL PARA EXPOR PROBLEMAS.
É FUNDAMENTAL SER HONESTO E GUARDAR SIGILO => CONQUISTA DA CONFIANÇA.
Tempo de duração
COM PACIENTES AGITADOS, ORGÂNICOS, PSICÓTICOS OU NÃO COOPERATIVOS => ENTREVISTA CURTA E OBJETIVA (ATÉ 20 MINUTOS).
NO GERAL, O TEMPO SUFICIENTE PARA VENCER RESISTENCIAS INICIAIS E PODER FALAR DE TEMAS SOBRE OS QUAIS TEM CONSTRANGIMENTO => 45-90 MINUTOS.
ACIMA DE 90 MINUTOS => PODE SER CANSATIVA E IMPRODUTIVA (PREFERÍVEL MARCAR UM NOVO ENCONTRO).
Anotações
O REGISTRO ESCRITO É NCESSÁRIO E ALGUNS PACIENTES SENTEM-SE VALORIZADOS.
CERTOS PACIENTE SENTEM-SE INIBIDOS E DESCONFIADOS COM AS ANOTAÇÕES, E PODE PREJUDICAR A OBSERVAÇÃO DE EXPRESSÕES FACIAIS E SENTIMENTOS => RECORRER A MEMÓRIA E TOMAR NOTAS DEPOIS.
Manejo do Silêncio
O SILÊNCIO PODE SER INDÍCIO DE DIFICULDADES COM ALGUM TEMA OU QUEBRA NA COMUNICAÇÃO; DIFICULDADE EM CONFIAR E ESTABELECER VÍNCULO; RESSENTIMENTO POR ATITUDES OU INTERVENÇÃO DO TÉCNICO.
SILÊNCIOS PROLONGADOS PODEM AUMENTAR A ANSIEDADE, REPRESENTAR HOSTILIDADE E PROMOVER RESSENTIMENTO => O TÉCNICO DEVE ABORDAR FRANCAMENTE O FATO.
LEMBRAR QUE O PACIENTE PODE MOSTRAR-SE EM QUADRO DE ESTURPOR, OU EM MUTISMO EM PATOLOGIAS COMO: ESQUIZOFRENIA, DEPRESSÃO, QUADROS ORGÂNICOS E HISTRIÔNICOS.
Contato com Familiares
ENTREVISTA COM FAMILIARES É NECESSÁRIA E INDISPENSÁVEL COM PACIENTES AGITADOS, DEFICIENTES AUDITIVOS, EM MUTISMO OU QUE EM RAZÃO DO QUADRO NÃO TÊM CONDIÇÕES DE INFORMAR ADEQUADAMENTE => PRIMEIRO, CONVIDAR ENTRADA DA PESSOA QUE SOLICITA O SERVIÇO, SEM ACOMPANHANTES. DEPOIS, SE IDENTIFICADA OS CASOS ACIMA (OU OUTROS NÃO CONTEMPLADOS AQUI, MAS QUE SE FAZ PRECISO UM ACOMPANHANTE) CONVIDAR A ENTRADA DE UM FAMILIAR. SE O TÉCNICO OBSERVAR A NECESSIDADE DE MAIS DE UM FAMILIAR, FALAR SOBRE ISSO.
OU SEJA, O TÉCNICO DEVE SEMPRE ENTREVISTAR PRIMEIRO O PACIENTE, DEPOIS INFORMA-LO DE QUE OUVIRÁ OS FAMILIARES EM SUA PRESENÇA. COM PACIENTES PSICÓTICOS: MESMA CONDUTA.
INFORMAÇÕES OBTIDAS NÃO DEVEM SER REPASSADAS AOS FAMILIARES SEM O CONHECIMENTO DO PACIENTE. A EXCEÇÃO É PARA CASOS DE PLANOS SUICIDAS E RISCO PARA TERCEIROS.
RECOMENDAÇÕES GERAIS:
PERMITIR A EXPRESSÃO DE EMOÇÕES SEM SE PERTURBAR, EVITAR DEMONSTRAR SURPRESA E ESPANTO.
EVITAR AO MÁXIMO QUESTÕES FECHADAS QUE SEJAM RESPONDIDAS SOMENTE COM “SIM” OU “NÃO”.
EVITAR INTERROMPER BRUSCAMENTE O RELATO DO PACIENTE PARA SOLICITAR INFORMAÇÕES SOBRE ALGUM TÓPICO QUE FICOU FALTANDO
NÃO PÔR EM DÚVIDA OS SINTOMAS REFERIDOS, OU OS FATOS RELATADOS (O TÉCNICO NÃO É POLICIAL)
NÃO EXPOR DE FORMA DIRETA SUAS CONTRADIÇÕES
EVITAR JULGAMENTOS MORAIS OU OPINAR SOBRE CONVICÇÕES RELIGIOSAS, MORAIS OU POLÍTICAS.
EVITAR EXPLICAÇÕES, INTERPRETAÇÕES OU CONCLUSÕES APRESSADAS
EVITAR DISCUSSÕES, MOSTRAR-SE ANSIOSO, IMPACIENTE OU IRRITADO DURANTE A ENTREVISTA
SER SINCERO E OBJETIVO, ESCLARECENDO DÚVIDAS, EVITANDO SER DEMASIADAMENTE OTIMISTA
EVITAR FIRMAR DIAGNÓSTICOS OU PROPOR CONDUTAS SEM TER OS ELEMENTOS NECESSÁRIOS
EVITAR QUESTIONAMENTOS QUE VISEM OBTER TODAS AS INFORMAÇÕES LOGO NA PRIMEIRA ENTREVISTA (O PACIENTE NÃO REVELA TUDO NO PRIMEIRO CONTATO).
INICIAR A EXPLORAÇÃO POR TEMAS MAIS NEUTROS INDO DEPOIS PARA ÁREAS MAIS CARREGADAS EMOCIONALMENTE OU CONSTRANGEDORAS
MUDANÇAS DE HUMOR DURANTE A ENTREVISTA PODEM INDICAR QUESTÕES IMPORTANTES, EMOCIONALMENTE CARREGADAS, MESMO PACIENTE NEGANDO
PROCURAR AMPLIAR OS TEMAS ABORDADOS USANDO, SE POSSÍVEL, AS PRÓPRIAS PALAVRAS DO PACIENTE, EVITANDO TRANSIÇÕES BRUSCAS COM A INTRODUÇÃO DE TEMAS QUE ELE NÃO ABORDOU
O Paciente Deprimido
PREJUÍZO NA ATENÇÃO, FALTA DE ENERGIA E PROSTRAÇÃO => ENTREVISTA CURTA COM PERGUNTAS ESPECÍFICAS E DIRETAS; EMPATIZAR COM OS SENTIMENTOS DE DESVALIA; AVALIAR O RISCO DE SUICÍDIO COM PERGUNTAS DIRETAS SOBRE A IDEAÇÃO, PLANOS E TENTATIVAS; REITERAR QUE TEM UMA DOENÇA TRATÁVEL E SEU SOFRIMENTO SERÁ ALIVIADO. EM CASOS DE IDEAÇÃO E PLANOS SUICIDAS, VERIFICAR CICLO FAMILIAR E VÍNCULOS E RATIFICAR ESSAS RELAÇÕES.
O Paciente Violento
PACIENTE AGITADO COM DIFICULDADE PARA FICAR SENTADO, ACATAR SOLICITAÇÕES, ATITUDE TENSA, VOLUME DE VOZ ELEVADO, VIGILANTE AOS ESTÍMULOS CIRCUNDANTES => MAIOR POTENCIAL DE AGRESSÃO. É IMPORTANTE NÃO TER NA SALA OBJETOS QUE POSSAM SER REMOVIDOS. O TÉCNICO DEVE ESTAR ACOMPANHADO E MANTER A PORTA SEMI-ABERTA. EVITAR CONFRONTOS E NÃO REAGIR ÀS PROVOCAÇÕES OU DESAFIOS (ESCUTA PASSIVA). A ENTREVISTA É CURTA.
SE O PACIENTE ESTÁ SOB CONTENÇÃO FÍSICA, PROCURAR FAZER CONTATO, AVALIANDO SEMPRE A POSSIBILIDADE DE REMOVÊ-LA. NÃO SENDO SEGURO, AVISAR AO PACIENTE QUE A CONTENÇÃO SERÁ MANTIDA E FAZER A ENTREVISTA COM ELE NESSA CONDIÇÃO.
SE O PACIENTE ESTÁ SOB CONTENÇÃO MEDICAMENTOSA, É PROVÁVEL QUE A ENTREVISTA SEJA FEITA COM FAMILIARES.
O Paciente Delirante
CONQUISTAR A CONFIANÇA NÃO PONDO EM DÚVIDAS SUAS CONVICÇÕES. EVITAR CONFRONTAÇÕES COM BASE EM ARGUMENTOS LÓGICOS. EVITAR FITÁ-LO DIRETAMENTE NOS OLHOS POR MUITO TEMPO, O QUE PODE GERAR INTERPRETAÇÕES DELIRANTES E AUMENTAR A DESCONFIAÇA. 
O Paciente Somatizador 
DEVE SER OUVIDO COM ATENÇÃO AVALIANDO-SE AS CIRCUNSTÂNCIAS EM QUE AS QUEIXAS SURGEM E DESAPARECEM. A RELAÇÃO COM ESTRESSORES OU CONFLITOS EMOCIONAIS E GANHOS SECUNDÁRIOS. DESCARTAR PROBLEMAS DE ORDEM FÍSICA COM EXAMES NECESSÁRIOS (ENCAMINHAMENTOS). NÃO AFIRMAR QUE ELE “NÃO TEM PROBLEMA NENHUM”.
FICHA DE ACOLHIMENTO: instrumental baseada na Anamnese Psiquiátrica e Psicossocial para serviços públicos em Saúde Mental.
ROTEIRO OU ESQUEMA PRÉ-DEFINIDO PARA COLETA DE DADOS QUE PERMITE O REGISTRO DE UMA FORMA ORGANIZADA PARA VIABILIZAR UMA ANÁLISE ADEQUADA. AS INFORMAÇÕES SÃO DISPOSTAS BASICAMENTE SOB OS SEGUINTES TÍTULOS:
IDENTIFICAÇÃO
QUEIXA PRINCIPAL (O QUE MOTIVOU A CONSULTA REGISTRADO – SEMPRE QUE POSSÍVEL – COM AS EXPRESSÕES TEXTUAIS DO PACIENTE OU DO INFORMANTE DEVIDAMENTE IDENTIFICADO).
HISTÓRIA DA DOENÇA ATUAL (SINTOMA ATUAIS – QUAIS, COMO SE MANIFESTAM, SEU ÍNICIO E CURSO – EVENTOS DESENCADEANTES, FATORES ASSOCIADOS, TRATAMENTOS REALIZADOS)
ANTECEDENTES PESSOAIS (GESTAÇÃO, PARTO, SEU DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR, HISTÓRICO ESCOLAR, DESEMPENHO ACADÊMICO, RELACIONAMENTOS –PAIS, IRMÃOS, NAMOROS ETC – AFETIVOS E SEXUAIS, APTIDÕES, HABILIDADES, DEFICIÊNCIAS OU LIMITAÇÕES, INFLUÊNCIAS SOCIAIS, FAMILIARES E CULTURAIS, PERSONALIDADE – TRAÇOS OU PADRÕES ADPATATIVOS).
ANTECEDENTES FAMILIARES (SE OUTROS MEMBROS DA FAMÍLIA COM PROBLEMAS SEMELHANTES OU PSIQUIÁTRICOS).
EXAME MENTAL. A MAIOR PARTE DO EXAME DO ESTADO MENTAL É FEITO DURANTE A PRÓPRIA ENTREVISTA ATRAVÉS DA OBSERVAÇÃO DIRETA DA ATITUDE, COMPORTAMENTO, APARÊNCIA, CONTATO COM EXAMINADOR, POIS A CONDUTA DO PACIENTE DESDE O INÍCIO JÁ É REVELADORA DO SEU FUNCIONAMENTO PSÍQUICO.
EXAME MENTAL
LINGUAGEM FALADA: PERMITE A EXPRESSÃO DO PENSAMENTO. LINGUAGEM COERENTE E COESA: COMPOSTA POR PALAVRAS (SINAIS REPRESENTATIVOS) E PELA SINTAXE (RELAÇÕES ENTRE AS PALAVRAS COMPONDO FRASES).
ALTERAÇÕES DA LINGUAGEM FALADA POR CAUSAS ORGÂNICAS: LESÃO NA EMISSÃO DE SONS, CUJA ARTICULAÇÃO RESULTA NA FALA. 1)DISARTRIA (DIFICULDADE DE ARTICULAR PALAVRAS POR PREJUÍZO NOS MÚSCULOS DA FONAÇÃO), 2)AFASIA (LESÃO CORTICAL QUE DETERMINA PERDA DA CAPACIDADE DE COMPREENDER AS PALAVRAS), 3)DISFONIAS (PERTURBAÇÃO DE CORDAS VOCAIS OU RESPIRAÇÃO).
ALTERAÇÕES DA LINGUAGEM FALADA POR CAUSAS PSÍQUICAS: ALTERAÇÕES SEM BASE ORGÂNICA. GERALMENTE, EXPRESSA ALTERAÇÕES DO PENSAMENTO. 1)DISFEMIAS (PERTURBAÇÃO DA EMISSÃO DE FONEMAS E RITMO DA LIGUAGEM INFLUENCIADO PELAS EMOÇÕES), 2)DISTÚRBIOS DO COMPORTAMENTO VERBAL (LOGORREIA, MUTISMO, MUSSITAÇÃO, SOLILÓQUIOS), 3)DISTÚRBIOS DA SINTAXE (ESTEREOTIPIAS VERBAIS, JARGONOFASIA,SALADA DE PALAVRAS), 4)DISTÚRBIOS SEMÂNTICOS (NEOLOGISMOS).
PENSAMENTOS: HABILIDADE HUMANA PARA ELABORAR CONCEITOS E ARTICULA-LOS ENTRE SI PERMITINDO JULGAMENTOS, ANTECIPAÇÕES. ENVOLVE OUTRAS FUNÇÕES MENTAIS SUPERIORES COMO A CONSCIÊNCIA, INTELIGÊNCIA E CRIATIVIDADE.
ALTERAÇÕES DO CURSO DO PENSAMENTO: SE EXPRIMEM ATRAVÉS DA LINGUAGEM.
BLOQUEIO DO PENSAMENTO => INTERRUPÇÃO ABRUPTA DO CURSO DO PENSAMENTO, COMO UM MOMENTÂNEO VAZIO DE IDEIAS QUE IMPOSSIBILITAM ASSOCIAÇÕES.
FUGA DE IDEIAS => CURSO RÁPIDO COM AFASTAMENTO PROGRESSIVO DO TEMA INICIAL, EM CONSEQUENCIA DE DIGRESSÕES SUCESSIVAS MOTIVADAS POR ASSOCIAÇÕES FACILITADAS. DISCURSO TANGENCIAL.
BRADIPSIQUISMO => LENTIDÃO DO PENSAMENTO POR DIMINUIÇÃO DA CAPACIDADE DE EVOCAR REPRESENTAÇÕES E NA ELABORAÇÃO DOS ESTÍMULOS SENSORIAIS; INFLUENCIA NA LENTIFICAÇÃO PSICOMOTORA. DIFERENTES DA BRADILALIA => PSICOPATOLOGIA DA LINGUAGEM, CARACTERIZA-SE POR BAIXA EXPRESSÃO VERBAL. 
TAQUIPSIQUISMO => PENSAMENTOS INTENSOS QUE LEVAM NÃO APENAS A ACELERAÇÃO DA FALA, MAS TAMBÉM ACELERAÇÃO MOTORA. DIFERENTES DA LOGORREIA.
DESAGREGAÇÃO => O CURSO ASSOCIATIVO PERDE SUA UNIDADE, TORNA-SE ENTREMEADO DE INTERCEPTAÇÕES E OCORRE PERDA DAS RELAÇÕES CONCEITUAIS DANDO AO DISCURSO UM ASPECTO INCOERENTE E ININTELIGÍVEL.
AFETIVIDADE: CONCERNE AOS FENÔMENOS PSÍQUICOS QUE SÃO SENTIDOS E VIVIDOS COMO UMA REAÇÃO SUBJETIVA DO INDIVÍDUO FRENTE A ESTÍMULOS EXTERNOS E OU INTERNOS. MANIFESTA-SE ATRAVÉS DE EMOÇÕES, DOS SENTIMENOS E DO HUMOR.
EMOÇÃO: RESPOSTA AFETIVA DE CURTA DURAÇÃO, AGUDA, MOMENTÂNEA, INTENSA, REAÇÃO INATA, DE SOBREVIVÊNCIA (COMBATE, CONGELA, FUGA) DIFERENTE DAS REAÇÕES APRENDIDAS.
SENTIMENTOS: SÃO VIVÊNCIAS AFETIVAS MAIS ESTÁVEIS E ATENUADAS EM SUA INTENSIDADE, MENOS REATIVA. RELACIONADA COM SATISFAÇÃO OU FRUSTAÇÃO DAS NECESSIDADES SUPERIORES. MAIS DURADOURAS DO QUE AS EMOÇÕES E MAIS LIGADAS AO COGNITIVO.
HUMOR: RESULTANTE DA INTERAÇÃO ENTRE EMOÇÃO E SENTIMENTO. REFLETE ESTADO DE ÂNIMO COM COMPONENTES DA PERSONALIDADE. É UMA “LENTE AFETIVA” QUE AMPLIA OU REDUZ O IMPACTO DAS EXPERIÊNCIAS.
ALTERAÇÕES DAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS:
ANSIEDADE PATOLÓGICA: ESTADOS DESAGRADÁVEIS DE TENSÃO EXPECTANTE, SEM MOTIVAÇÃO APARENTE OU DESENCADEADOS POR SITUAÇÕES. ACOMPANHAM-SE DE MANIFESTAÇÕES NEUROVEGETATIVAS.
LABILIDADE AFETIVA: SÃO MUDANÇAS BRUSCAS E IMOTIVADAS DAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS DOMINANTES NA CONSCIÊNCIA.
INCONTINÊNCIA AFETIVA: EMOTIVIDADE PATOLÓGICA, EMERGÊNCIA SÚBITA E EXCESSIVA DE AFETOS QUE NÃO PODEM SER CONTROLADOS.
INDIFERENÇA AFETIVA (APATIA): INCAPACIDADE DE REAGIR EMOTIVAMENTE A QUALQUER SITUAÇÃO OU ESTÍMULO.
ESTADOS DE ÊXTASE: SENTIMENTOS DE GRAÇA OU DE CLARIVIDÊNCIA.
ALTERAÇÕES DO HUMOR: DISTEMIAS.
HIPERTIMIA: ELEVAÇÃO DO HUMOR. EXALTAÇÃO PATOLÓGICA DO HUMOR, EUFORIA IMOTIVADA OU INADEQUADA COM ELEVAÇÃO DO ÂNIMO. SEGUNDO A INTENSIDADE, VÃO DESDE A HIPOMANIA ATÉ A GRANDE FASE MANÍACA. CICLOTIMIA.
HIPOTIMIA: TRISTEZA PATOLÓGICA. ESTADO AFETIVO DOLOROSO CARACTERIZADO PELA TRSITEZA, VISÃO PESSIMISTA DO MUNDO E DE SI MESMO, ACOMPANHADO PELA LENTIDÃO DOS PROCESSOS PSÍQUICOS. DEPRESSÃO.
DISFORIA: ESTADOS DE MAU-HUMOR, IRRITABILIDADE, QUE PODEM SER VISTOS TANTO NA MANIA COMO NA DEPRESSÃO.
JUÍZO: ATOS PSÍQUICOS ATRAVÉS DO QUAL SE ESTABELECEM RELAÇÕES ENTRE OS CONCEITOS. O INDIVÍDUO AFIRMA OU NEGA ALGUM ATRIBUTO OU QUALIDADE A UM OBJETO OU FENÔMENO. PODEM SER IDENTIFICADOS DOIS COMPONENTES NUM JUÍZO: O SUJEITO (AQUILO DE QUE SE FALA) E O PREDICADO (O QUE SE AFIRMA OU SE NEGA NO SUJEITO). UM JUÍZO PODE EXPRESSAR A VERDADE OU UM ERRO. O CRITÉRIO DE ADEQUAÇÃO DE UM JUÍZO É A SUA CONSONÂNCIA COM A REALIDADE OBJETIVA.
PRINCIPAIS ALTERAÇÕES DO JUÍZO:
VIVÊNCIAS DELIRANTES PRIMÁRIAS: ESTABELECIMENTO IMOTIVADO DE NOVAS SIGNIFICAÇÕES AO AMBIENTE.
PERCEPÇÃO DELIRANTE: UMA PERCEPÇÃO REAL ADQUIRE UM OUTRO SIGNIFICADO.
REPRESENTAÇÃO DELIRANTE: NOVAS SIGNIFICAÇÕES SÃO DADAS A RECORDAÇÕES PASSADAS.
INTUIÇÃO DELIRANTE: CRENÇA “FALSA” QUE SUBITAMENTE VEM À MENTE SEM TER UMA PERCEPÇÃO OU REPRESENTAÇÃO COMO BASE.
REAÇÕES DELIROIDES: ATRIBUIÇÃO DE UMA SIGNIFICAÇÃO “ANORMAL” A UMA SITUAÇÃO REAL QUE É COMPREENSÍVEL A PARTIR DE UMA ESTADO DE ÂNIMO (HUMOR).
DELÍRIOS OU IDEIAS DELIRANTES: DESORDENS PRIMÁRIAS DO JUÍZO QUE SE CARACTERIZAM POR CERTEZA SUBJETIVA, IRREDUTIBILIDADE FRENTE A ARGUMENTAÇÃO LÓGICA E INVEROSSIMILHANÇA DE CONTEÚDO.
TIPOS DE DELÍRIOS: EXPANSIVOS (GRANDEZA, MÍSTICOS), DEPRESSIVOS (CULPA, HIPOCONDRIA) E DESCONFIANÇA (PERSEGUIÇÃO, CIÚMES).
CONSCIÊNCIA DO EU: FUNÇÃO PSÍQUICA ATRAVÉS DA QUAL O “EU” SE FAZ CONSCIENTE DE SI MESMO. PODE SER DIVIDIDA SOB 4 ASPECTOS:
CONSCIÊNCIA DA EXISTÊNCIA E ATIVIDADE DO EU
CONSCIÊNCIA DA UNIDADE DO EU
CONSCIÊNCIA DA IDENTIDADE DO EU
CONSCIÊNCIA DOS LIMITES DO EU
DISTÚRBIOS DA CONSCIÊNCIA DA EXISTÊNCIA DO EU: PERDA DA CONSCIÊNCIA DE UM SEGMENTO CORPORAL (ANOSOGNOSIA). SENTIMENTO DE IRREALIDADE OU ESTRANHEZA CONSIGO MESMO (DESPERSONALIZAÇÃO).
DISTÚRBIOS DE CONSCIÊNCIA DA UNIDADE DO EU: TRANSTORNO QUE LEVA O PACIENTE A SE SENTIR COMO SE FOSSE DUAS PESSOAS. SÍNDROME DE CAPGRAS. 
DISTÚRBIO DA IDENTIDADE DO EU: NÃO RECONHECE A SUAS PRÓPRIAS EXPERIÊNCIAS INTERNAS, SENTE-SE ESTRANHO COMO SE NÃO FOSSE A MESMA PESSOA DE ANTES.
DISTÚRBIO DA CONSCIÊNCIA DOS LIMITES DO EU: INCAPACIDADE PARA ESTABELECER DIFERENÇA ENTRE O PRÓPRIO CORPO E O SEU ENTORNO.
INTELIGÊNCIA: PROCESSO RESULTANTE DO RENDIMENTO DE VÁRIAS FUNÇÕES PSÍQUICAS QUE PERMITEM ADAPTAÇÃO ÀS TAREFAS VITAIS.
OS DISTÚRBIOS DA INTELIGÊNCIA PODEM SER SUBDIVIDIDOS EM:
OLIGOFRENIA OU RETARDO MENTAL: ESTADO DE ESTAGNAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL. UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS SÃO AS HIPÓXIAS NEONATAIS. POR SE TRATAR BASICAMENTE DE UM COMPROMETIMENTO NEUROLÓGICO, OS RETARDOS NÃO SÃO IDENTIFICADOS COMO CASOS PARA SAÚDE MENTAL.
DEMÊNCIAS: O INDIVÍDUO COMEÇA A PERDER CAPACIDADES INTELECTUAIS ANTERIORMENTE ADQUIRIDAS. COMUM EM IDOSOS.

Outros materiais