A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Seminário Temático I   Trabalho de Pesquisa 2 (TP2) (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Trabalho de Pesquisa 2 (TP2) - Seminário Temático I 
Disciplina: Seminário Temático I 
Nome da Atividade: TP2 
Nome do aluno: Bruna de Freitas Soares Boyer Matrícula: 17113110093 
Nome do aluno:Kely Bernardes de Oliveira Matrícula: 17113110067 
Pólo: Paracambi 
Caderno de Respostas do Trabalho de Pesquisa 2 
1- O artigo faz uma avaliação sobre a criação e implantação, nas Unidades Básicas de Saúde, 
de um Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica 
(PMAQ-AB) que pode contribuir com o aumento da qualidade dos serviços oferecidos nas 
mesmas. A pesquisa foi fundamentada na Literatura na LILACS e SCiELO, resoluções e 
normativas que mencionam a temática apresentada. O PMAQ-AB é uma ferramenta 
relevante da gestão dos recursos destinados a saúde, que consolidou a avaliação dos 
serviços pelos gestores. Ofertando melhorias como a inserção da comissão de 
gerenciamento de risco e o controle no setor de regulação; facilitou o encaminhamento 
para especialidades e reduziu o tempo de espera pela consulta, garantindo a gestão da 
qualidade e, por conseguinte, melhora o desempenho dos indicadores de saúde. Conclui-se 
que há a possibilidade de alcançar as metas, com as opiniões sobre a qualidade das 
atividades prestadas ea cooperação dos centros de saúde. 
 
2- Segundo os autores “Atenção básica” consistem em: 
A Atenção Primária à Saúde (APS), também denominada como atenção básica, foi definida 
pela Organização Mundial da Saúde, em 1978, como atenção essencial à saúde baseada em 
tecnologia e métodos práticos, cientificamente comprovados e socialmente aceitáveis. É 
parte integral do sistema de saúde do país, do qual é função central, sendo o enfoque 
principal do desenvolvimento social e econômico global da comunidade. É o primeiro nível 
de contato dos indivíduos, da família e da comunidade com o sistema nacional de saúde, 
levando a atenção à saúde o mais próximo possível do local onde as pessoas vivem e 
trabalham, constituindo o primeiro elemento de um processo de atenção continuada à 
saúde. 
 
Obviamente o Brasil é um país que possui uma visão muito humanitária sobre as políticas 
de saúde universal e gratuita, que gerou ganhos importantes para a sociedade. Programas 
como Brasil Sorridente, Programa Saúde na Escola (PSE) e Política Nacional de 
Alimentação e Nutrição prestaram sua assistência a população brasileira, porém hoje a 
realidade é outra; a falta de atendimento e medicamento, de aparelho para realização de 
exames e de ambulância para o transporte de pacientes são problemas recorrentes em 
hospitais e postos de saúde. 
O serviço de saúde brasileiro evolui muito desde a criação do SUS, foram criados 
programas que levam atendimentos como consultas médicas, inalações, injeções até a casa 
das pessoas e que facilitou o acesso universal a mesma, mas a precária ou inexistente 
manutenção desses programas geraram a crise do sistema, e quem sofre as conseqüências 
é a própria população. 
 
3- O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-
AB) propõe um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do 
trabalho das equipes de saúde com o objetivo de estimular os gestores e suas equipes a 
promover o desenvolvimento da qualidade dos serviços de saúde oferecidos aos cidadãos 
do território brasileiro. 
 
4- A TP 1 foi um trabalho similar a um “levantamento bibliográfico” que consistia na 
levantamento, seleção e fichamento de informações, sendo assim, uma pesquisa 
bibliográfica cujo o objetivo era conhecer as diferentes contribuições cientificas sobre 
determinado tema e além disso, ele nos deu suporte para saber fazer qualquer outro tipo de 
pesquisa seja qual for a fase; teve um caráter quantitativo pois seus meios de coleta de 
dados eram estruturados e apresentou uma certa prioridade em ter uma frequência 
numérica. Já a TP 2 foi uma pesquisa de método qualitativa de caráter exploratório onde 
tivemos que instigar nosso pensamento e estudar determinado assunto, as informações do 
texto e analisá-las e destacando pontos importantes; não sendo apenas seguir um modelo já 
pronto, um conjunto de regras. Ambos os trabalhos de pesquisa tem sua contribuição para 
a nossa formação apesar de suas diferenças. 
 
5- Observado a carência de acesso a serviços de saúde foram propostas diretrizes políticas 
consolidadas pela nova Constituição no cenário nacional que fundamentou- se em uma 
radical transformação do sistema de saúde brasileiro. Surgindo assim o SUS ( Sistema 
Único de Saúde) um sistema que garante o direto de saúde gratuita a todos, abrangendo 
desde um simples atendimento ambulatorial até um transplante de órgãos que tem como 
princípios doutrinários a universalidade, equidade e a integralidade que nortearam a sua 
ação.Um programa de política pública cabendo, portanto, a maior responsabilidade na 
promoção das ações de saúde diretamente voltadas aos seus cidadãos, que deveter como 
princípios incentivar a participação dos mesmos, a regionalização e hierarquização, a 
resolubilidade e descentralização e a parceria com instituições privadas que o 
complementem. 
 
6- O significado de “qualidade” no contexto dos serviços e programas de saúdeé conceituado 
como um conjunto de atributos que inclui, um nível de excelência profissional, uso 
eficiente de recursos, mínimo risco ao cliente e alto grau de satisfação por parte dos 
usuários e compreende-se que, o termo se relaciona também, a uma busca incessante de 
falhas nos procedimentos e rotinas, conduzindo à melhoria dos processos e resultados, 
visando às conformidades estabelecidas pelos órgãos reguladores. Os fatores que estão a 
ela correlacionados, de acordo com o texto, são: competência profissional (habilidades 
técnicas, atitudes da equipe, habilidades de comunicação); satisfação dos usuários 
(tratamento recebido, resultado concretos, custo, tempo); acessibilidade (cultural, social, 
geográfica, econômica); eficácia (normas adequadas, tecnologia apropriada, respeito às 
normas pela equipe) e eficiência (custos, recursos, riscos). 
 
7- O PMAQ está organizado em quatro fases que se conectam e que formam um ciclo 
contínuo de melhoria do acesso e da qualidade da Atenção Básica, são elas: 
 Adesão e Contratualização – é a etapa de aceitação e formalização do tratado a 
serfirmado entre as Equipes de Atenção Básica com os gestores municipais e 
destes com o Ministério da Saúde, num processo que envolve o 
estabelecimento local, regional e estadual e a participação do controle social. 
 Desenvolvimento – as ações apresentadas pelas equipes e o Ministério da 
saúde com o intuito de promover a mudança da gestão, do cuidado são 
aplicadas visando produzir a melhoria do acesso e da qualidade da Atenção 
Básica. Esta etapa está estruturada em outras quatro: a Auto-avaliação; o 
monitoramento; a educação permanente e apoio institucional. 
 Avaliação Externa – nessa etapa se realizará um conjunto de ações que 
verificará as condições de acesso e de qualidade da totalidade de municípios e 
Equipes da Atenção Básica participantes do Programa. 
 Recontratualização – a última etapa é constituída por um processo de 
pactuação singular das equipes e dos municípios, com o incremento de novos 
padrões e indicadores de qualidade, estimulando a institucionalização de um 
processo cíclico e sistemático, a partir dos resultados alcançados pelos 
participantes do PMAQ. 
 
8- A frase “Assim, será sempre um grande desafio buscar aproximação do conceito de 
qualidade em relação à atenção básica (…).” (ARAÚJO et al., 2017:715) expressa que o 
conceito da qualidade é muito amplo e está anexada a vários fatores