A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
42 pág.
Introdução a Contabilidade e Patrimônio

Pré-visualização | Página 1 de 2

Introdução à 
Contabilidade
Prof. Cleberson
2° Semestre 2011
Unidade I - Contabilidade
Conceito
É a ciência social que tem por objetivo 
medir, para poder INFORMAR, os 
aspectos quantitativos e qualitativos do 
patrimônio de quaisquer entidades. 
Constitui um instrumento para gestão e 
controle das entidades.
Objeto e Objetivo
O OBJETO da contabilidade é o 
patrimônio das empresas.
O OBJETIVO é prover os seus usuários de 
informações para planejamento e 
controle, evidenciando informações 
referentes à situação patrimonial, 
econômica e financeira de uma empresa.
 Contabilidade pode ser considerada como 
sistema de informação destinado a prover 
seus usuários de dados para ajudá-los a 
tomar decisão.
 Usuário pode ser considerado como 
qualquer pessoa , interna ou externa à 
empresa , que tenha interesse em 
conhecer dados de uma entidade.
Objetivos da Contabilidade
Objetivos da Contabilidade
 A contabilidade é uma ciência social.
 Estuda o comportamento das riquezas que 
integram o patrimônio, em face das ações 
humanas.
 Não é uma ciência exata, ou matemática, apesar 
de utilizar métodos quantitativos, a contabilidade 
ocupa-se de fatos humanos.
 Na contabilidade, as quantidades são simples 
medidas dos fatos que ocorreram em razão da 
ação do homem.
 Cenários contábeis.
 A contabilidade surgiu da necessidade dos 
donos de patrimônio de mensurar, 
acompanhar a variação e de controlar suas 
riquezas.
 Nos cenários contábeis primitivos, o 
proprietário era a figura central da ação 
empresarial; no cenário atual, a contabilidade 
não se volta mais para o dono, mas para a 
entidade.
Objetivos da Contabilidade
Campo de Aplicação
A competitividade empresarial é um assunto 
comum nos dias atuais. De maneira geral, 
existe uma preocupação intensa por parte das 
empresas na permanência ou na inserção nesse 
mercado competitivo.
Toda a empresa precisa de informações para o 
seu bom gerenciamento. Quando falamos em 
empresas, falamos no sentido geral de 
organização. Ainda não separamos as categorias, 
mas entenda o conceito de empresa como 
qualquer tipo de organização de pessoas ou 
grupos de pessoas que queiram explorar uma 
atividade econômica. 
Campo de Aplicação
Seguindo o objetivo geral traçado anteriormente, 
constatamos que a contabilidade deve ser feita 
para qualquer tipo de organização. A atuação da 
contabilidade é muito ampla e seu universo 
demasiadamente extenso. 
O campo de atuação da contabilidade pode ser tanto 
no setor público (empresas públicas, prefeituras, 
estados, federação, instituições financeiras públicas 
etc) quanto no setor privado (indústria, comércio, 
prestadoras de serviços etc). Serve para uma pessoa 
ou para um grupo de pessoas organizadas ou não em 
grupos empresariais. 
Campo de Aplicação
Atende as entidades sem fins lucrativos e 
filantrópicos (asilos, casa de caridade, santas 
casas etc) e as organizações não 
governamentais (ONGs). Enfim, a 
contabilidade é efetuada para quem 
necessita de informações sobre evolução de 
dados financeiros e de capital investido.
Finalidade
Finalidade de planejamento
Finalidade de controle
Finalidade de auxílio no processo decisório
Tomada de Decisões
 Decisões freqüentes
 Corriqueiras
 Importantíssimas
 Abrangência do projeto decisório
 Funcionários
 Investidores
 Fornecedores de bens e serviços a crédito
 Bancos
 Governo
 Sindicatos
 Outros interessados
Usuários da Contabilidade
EMPRESA
Investidores
Fornecedores
Bancos
Governo
Sindicatos
Órgãos de Classe
Concorrentes
Outros
Investidores: é através dos relatórios contábeis que identifica a
situação econômico-financeira da empresa.
Fornecedores de bens e serviços: usam os relatórios para analisar a
capacidade de pagamento da empresa compradora.
Bancos: utilizam os relatórios para aprovar empréstimos, limite de
crédito Etc.
Governo: não só usa os relatórios com finalidade de arrecadação de
impostos, como também para os dados estatístico, no sentido de
melhor redimensionar a economia (IBGE).
Sindicatos: utilizam os relatórios para determinar a produtividade
do setor, fator preponderante para reajuste de salários.
Outros interessados: funcionários (que saber se a empresa tem
condições de pagar seu salário ou não), órgãos de classe, pessoas e
diversos institutos, como CVM (Comissão de Valores Mobiliários),
CRC (Conselho Regional de Contabilidade), concorrentes etc.
Usuários da Contabilidade
Princípios Contábeis
Podem ser conceituados como premissas 
básicas acerca dos fenômenos e eventos 
contemplados pela contabilidade, permitindo 
a análise e observação da realidade 
econômica, social e institucional.
Princípios Contábeis
Entidade
Continuidade
Custo como base de Valor
Competência
Conservadorismo
Princípios Contábeis
Entidade
Pressupõem-se que a contabilidade é 
executada e mantida para as entidades como 
pessoas completamente distintas das pessoas 
físicas (ou jurídicas) dos sócios, ou seja, o 
patrimônio dos sócios não se confundem com 
o patrimônio da empresa.
Princípios Contábeis
Continuidade
A contabilidade da empresa deve elaborar 
demonstrações contábeis partindo da idéia de 
que a entidade deverá continuar em operação 
no futuro, ou seja, não será encerrada em um 
futuro previsível. Desse modo, presume-se 
que a empresa não tem a intenção e nem a 
necessidade de colocar todas as suas 
propriedades a venda.
Princípios Contábeis
Custo como base de valor
Os elementos do ativo entram nos registros 
contábeis pelo preço pago para adquiri-los ou 
fabricá-los, ou seja, todos os elementos são 
registrados pelo preço de compra na data de 
aquisição.
Princípios Contábeis
Competência
O reconhecimento deve ser efetuado quando 
ocorrem as transações e os eventos 
econômicos, isto é, independentemente de 
sua realização financeira (pagamento e/ou 
recebimento).
Princípios Contábeis
Conservadorismo
Sempre que o contador defrontar com alternativas 
igualmente válidas de atribuir valores diferentes a 
um elemento do ativo (ou do passivo), deverá optar 
pelo mais baixo para o ativo e pelo mais alto para o 
passivo. Se, por exemplo, o valor de mercador do 
inventário final de mercadorias for inferior ao valor 
de custo, deverá ser escolhido o valor de mercado, 
por ser o mais baixo.
Características Qualitativas das 
Demonstrações Contábeis
Compreensibilidade – as informações 
apresentadas nas demonstrações contábeis 
devem ser diretas e claras. Portanto, devem 
ser prontamente entendidas pelos usuários 
que possuem um conhecimento razoável dos 
negócios, das atividades econômicas e de 
contabilidade.
Características Qualitativas das 
Demonstrações Contábeis
Relevância – para serem úteis, as 
informações devem ser relevantes às 
necessidades dos usuários na tomada de 
decisões. As informações são relevantes 
quando podem influenciar as decisões 
econômicas dos usuários, ajudando-os a 
avaliar o impacto de eventos passados, 
presentes ou futuros ou corrigindo as suas 
avaliações anteriores.
Características Qualitativas das 
Demonstrações Contábeis
Confiabilidade – para ser útil, a informação 
deve ser confiável, ou seja, deve estar livre 
de erros e representar com propriedade 
aquilo que se propõe a representar. 
Características Qualitativas das 
Demonstrações Contábeis
Comparabilidade – os usuários devem poder 
comparar as demonstrações contábeis de 
uma entidade ao longo do tempo, a fim de 
identificar tendências na sua posição 
patrimonial, financeira e do seu desempenho. 
E também, compararem demonstrações 
contábeis