A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
SISTEMA RESPIRATÓRIO

Pré-visualização | Página 1 de 4

SISTEMA RESPIRATÓRIO
Função: condução de ar para os alvéolos. 
Respiração é definida como a absorção do oxigênio pelo organismo, com liberação subsequente de energia para o trabalho, calor e a liberação de gás carbônico e água. 
Dois tipos de respiração: 
Externa: absorção de O2 e remoção de CO2 dos pulmões 
Interna: troca gasosa entre as células e seu meio líquido 
Duas partes funcionais: 
- Porção de Condução: Nariz, faringe, laringe, traqueia e brônquios.
- Pulmões: brônquios menores, bronquíolos, ductos alveolares e alvéolos (unidade funcional do pulmão).
Inclui o nariz externo, a cavidade nasal (ou nariz interno) e os seios paranasais. 
Nariz: 
Função: Filtração; Umidificação; Olfação; Respiração
Epitélio Respiratório: Epitélio Pavimentoso Cilíndrico Ciliado com Células Calicifórmes.
a) Nariz Externo (Porção de Condução I): 
Estruturas Cartilagíneas: 
- cartilagem septal (compõe a parte anterior do septo nasal, que divide a cavidade nasal em duas metades)
- cartilagens laterais (que são expansões da septal)
- cartilagens alares (em forma de “U”, abaixo das laterais). 
Estruturas ósseas: Nasal; Maxilas; Etmóide e Vômer
Aberturas:
- narinas (fossas nasais): sua extremidade superior chama-se raiz e a inferior, base, onde encontramos o ápice (parte mais anterior) e o dorso do nariz (do ápice à raiz).
- coanas
b) Cavidade Nasal (Porção de Condução II): 
Composta por duas cavidades separadas por um septo.
Aberturas: ateriormente: narinas; posteriormente, na nasofaringe, coanos.
É revestido por mucosa nasal (com abundante vascularização), com exceção do vestíbulo nasal, que é revestido por pele.
Limites:
Teto: corpo do esfenoide
Assoalho: processos palatinos da maxila e lâminas horizontais do palatino
Parede Medial: septo nasal
Parede Lateral: conchas nasais
 
- Conchas e Meatos: Internamente, o nariz possui três projeções ósseas laterais – as conchas nasais superiores e médias (acidentes do osso etmóide) e as conchas nasais inferiores. Cada concha possui uma grossa membrana mucosa, que tem a função de umedecer e aquecer o ar. Abaixo das conchas, encontramos os meatos (passagens de ar) superior, médio e inferior.
- Porção Anterior: coberta com uma grossa camada de epitélio pavimentoso estratificado, com glândulas sebáceas. Encontramos as vibrissas (pêlos vistos internamente no nariz) e a mucosa (meatos). Esta membrana mucosa continua-se anteriormente com o vestíbulo e posteriormente com a mucosa da nasofaringe. 
- Porção Posterior e Nasofaringe: cobertas com uma camada de epitélio cilíndrico pseudo-estratificado ciliado, cujos cílios auxiliam o muco a limpar o ar. 
- Porção Superior: coberta com tecido neuroepitelial com células olfatórias. 
Componentes das Cavidadas: 
- vestíbulo com vibrissas
- Túnica mucosa com parte olfatória (nervo olfatório) e parte respiratória.
	
Porção de Condução III – Seios Paranasais: são espaços dos ossos do crânio que contém ar, e se comunicam com a cavidade nasal e contém muco. São pares e assimétricos. 
Função é manter os ossos do crânio mais leves, fornecer muco para a cavidade nasal e atuar como câmara de ressonância para a produção do som.
Seios:
Frontal: abre-se no meato médio; inervado por ramos dos nervos supraorbitais.
Maxilares: abre-se no meato médio; inervado por nervos alveolares superiores.
Esfenoidal: abre-se acima do meato superior; inervados por nervos etmoidais posteriores.
- separado de várias estruturas importantes (N. ópticos; hipófise; Aa. carótidas) por apenas uma lamina fina de osso.
Etmoidais: abre-se nos meatos médio e superior; inervado por ramos etmoidais anteriores e posteriores dos nervos nasociliares.
Porção de Condução IV – Ducto Nasolacrimal: Do osso lacrimal para o meato inferior, sua função é drenar as lágrimas.
CASOS CLÍNICOS:
Rinite: edema e inflamação da mucosa nasal durante infecções respiratórias altas graves e reações alérgicas.
Sinusite: como os seios paranasais são contínuos com as cavidades nasais através de aberturas, a infecção pode disseminar-se das cavidades, causando inflamação e edema da mucosa dos seios e dor local.
Porção de ConduçãoV – Faringe:
 Estrutura: Tubo músculo-membranoso, com 12,5 cm de comprimento no adulto, estendendo-se da base do crânio ao esôfago. Sua parte posterior fica em contato com as vértebras cervicais.
Função: Servir como passagem para os sistemas respiratório e digestivo, e fonação (particularmente os sons orais).
Divisão: 
a) Nasofaringe – situada atrás do nariz 
b) Orofaringe – situada atrás da boca 
c) Laringo-faringe – situada por baixo do osso hióide, e por trás da laringe. 
Aberturas: 
a) Nasofaringe – possui quatro: duas para as tubas auditivas (ou de Eustáquio), o óstio faríngico das tubas auditivas*, e duas para o nariz, as coanas. 
b) Orofaringe – uma abertura simples, o istmo das fauces, que se comunica com a boca. 
c) Laringo-faringe – Abre-se na laringe e no esôfago (pelo adito da laringe). 
Tonsilas: 
a) Faríngeas – situadas na nasofaringe, próximo às coanas. 
b) Linguais – situadas na base (raiz) da língua.
c) Palatinas – situadas na borda lateral da garganta, são comumente referidas como amígdalas. 
* O óstio faríngico das tubas auditivas é limitado, superiormente, por uma elevação em forma de meia-lua, o tórus tubal.
Porção de ConduçãoVI – Laringe:
Estende-se do ádito da laringe, através da qual se comunica com a laringofaringe, até o nível da margem inferior da cartilagem cricóidea.
Estrutura: Tem a forma de uma caixa triangular, sendo mais larga superiormente e mais estreita e arredondada inferiormente, e liga a faringe com a traqueia. É formada por nove cartilagens, unidas por músculos intrínsecos e extrínsecos, e ligamentos.
Função: Fonação (principal).
Proteção das vias respiratórias, sobretudo surante a deglutição.
Cartilagens Ímpares: 
a) Tireóide– a maior, chamada de pomo de adão, e dá à laringe sua forma triangular. Quando oscila superiormente, a nota é mais alta; inferiormente, mais baixa. 
b) Cricóide – mais inferior, tem a forma de anel de sinete. 
c) Epiglótica – em sua borda superior, a epiglote, que tem a forma de uma folha. Durante a deglutição, tampa a traquéia para impedir que esta aspire o alimento. 
Cartilagens Pares: 
a) Aritenóides – pequenas, ligadas à porção superior da lâmina cricóidea, sendo piramidal na sua forma.
 b) Cuneiformes – pequena cartilagem elástica em frente à cartilagem corniculada. Sua movimentação para trás tensiona as cordas vocais. 
c) Corniculadas – estendem-se das cartilagens aritenóides posterior e medianamente. Forma um pequeno cone de tecido elástico. 
Musculatura: 
a) Extrínseca – se originam em estruturas ao redor da laringe, e funcionam para movimenta-la. 
Músculos infra-hióideos, supra- hióideos e estilofaríngeo.
b) Intrínseca – localizadas dentro da laringe, se abrindo e fechando durante a inspiração e expiração. Fecham a abertura da laringe e glote durante a deglutição, e regulam a tensão das pregas vocais durante a produção de som.
- movem os componentes da laringe.
Musculos cricotireóideo, tireoaritenóideo, cricoaritenóideo lateral, cricoaritenóideo posterior, aritenóideos transverso e oblíquo, e vocal. 
Inervação:
Nervo laríngeo recorrente 
Nervo laríngeo superior
Laringoscopia: procedimento para examinar o interior da laringe que pode ser feito de maneira indireta (uso de espelho laríngeo) e direta (com auxilio de um laringoscópio).
As pregas vestibulares e as pregas vocais são visíveis durante tal procedimento.
Porção de Condução VII – Traqueia:
Se estende da laringe até o tórax, termina inferiormente dividindo-se em brônquios principais direito e esquerdo.
Estrutura: Tubo cilíndrico de 9 a 12.5 cm de comprimento, que se estende de C6 à T5. Sua porção inferior é cruzada pelo arco aórtico, e possui, anteriormente, nos 2º, 3º e 4º anéis traqueais, a glândula tireoide. É achatada posteriormente. 
Lateralmente: