A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
CLP1

Pré-visualização | Página 2 de 2

contidas nessas estruturas. Além desse valor de oposição, podemos veicular 
outros sentidos por meio de diferentes articuladores. Listamos, a seguir, com base em 
Abreu (2001), outras funções semânticas de principais articuladores: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 6 
Causa: porque, pois, como, por isso que, já que, visto que, uma vez que, por, 
por causa de, em vista de, em virtude de, devido a, em consequência de, por motivo 
de, por razões de. 
Condição: se, caso, contanto que, desde que, a menos que, a não ser que. 
Fim: para, a fim de, com o propósito de, com a intenção de, com o fito de, com 
o intuito de, com o objetivo de. 
Conclusão: logo, portanto, então, assim, por isso, por conseguinte, pois 
(posposto ao verbo), de modo que, em vista disso. 
 
Vale lembrar que há ainda elementos que são utilizados para estabelecer 
conexões entre partes maiores do texto, como, por exemplo, parágrafos e capítulos. 
São eles: assim, a seguir, pelo contrário, antes, depois. 
 
Exemplo: Inicialmente, apresentarei os dados que reforçam o baixo número de 
vendas do setor. Em seguida, discutirei as razões pelas quais o setor precisa passar 
por reformulações e, mais adiante, abordarei as possíveis soluções para o problema. 
 
 
FOCO NA GRAMÁTICA: Ortografia 
 
Vamos rever algumas dúvidas ortográficas comuns? 
 
X ou ch? Ç ou ss? J ou g? 
Em palavras originárias de línguas ágrafas (línguas sem tradição escrita) e de 
línguas com alfabetos exóticos (todos os alfabetos que não forem o alfabeto latino). 
JAMAIS usaremos CH, SS ou G, mas sim o X, o Ç e o J. Exemplos: açaí, Iguaçu, 
Paraguaçu, miçanga; xaxim, Hiroxima, xale, paxá; acarajé, mujique, jiló etc. 
 
–SÃO, –ÇÃO OU –SSÃO? 
 
Se a terminação do verbo NÃO permanecer no substantivo derivado, usaremos o –
SÃO ou –SSÃO. 
 
Se a terminação do verbo permanecer no substantivo derivado, usaremos o –ÇÃO. 
 
TERMINAÇÃO VERBO SUBSTANTIVO 
-ter CONTER CONTENÇÃO 
-tir DEMITIR DEMISSÃO 
-der COMPREENDER COMPREENSÃO 
 
 
 
 7 
-dir ALUDIR ALUSÃO 
-mir REPRIMIR REPRESSÃO 
 
–ISAR ou –IZAR? 
Escrevem-se com “s” (= ISAR) os verbos derivados de palavras que já possuem o 
“s”: 
 análise > analisar 
 aviso > avisar 
 paralisia > paralisar 
 pesquisa > pesquisar 
 
Escrevem-se com “z” (= IZAR) os verbos derivados de palavras que não possuem 
a letra “s”: 
ameno > amenizar 
civil > civilizar 
fértil > fertilizar 
legal > legalizar 
normal > normalizar 
real > realizar 
 
 
Atenção ao uso do PORQUE! (cf. SILVA, Sérgio Nogueira Duarte da. O português 
do dia a dia: como falar e escrever melhor. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2009.) 
 
 
PORQUE/PORQUÊ/POR QUÊ/POR QUE 
PORQUE é conjunção causal ou explicativa: 
“Ele viajou porque foi chamado para assinar contrato.” 
“Ele não foi porque estava doente.” 
 
PORQUÊ é a forma substantivada (= antecedida de artigo “o” ou “um”): 
“Quero saber o porquê da sua decisão.” 
“A professora quer um porquê para tudo isso.” 
 
POR QUÊ é utilizado apenas no fim de frase: 
“Parou por quê?” 
“Se ele mentiu, eu queria saber por quê.” 
 
POR QUE é usado 
(a) em frases interrogativas diretas ou indiretas: 
"Por que você não foi?" (= pergunta direta) 
"Gostaria de saber por que você não foi." (= pergunta direta) 
 
 
 
 
 8 
(b) quando for substituível por POR QUAL, PELO QUAL, PELA QUAL, PELOS QUAIS, 
PELAS QUAIS: 
 “Só eu sei as esquinas por que passei.” (= pelas quais) 
“Desconheço as razões por que ela não veio.” (= pelas quais) 
 
(c) quando houver a palavra MOTIVO antes, depois ou subentendida: 
“Desconheço os motivos por que a viagem foi adiada.” (= pelos quais) 
“Não sei por que motivo ele não veio.” (= por qual) 
“Não sei por que ele não veio.” (= por que motivo, por qual motivo). 
 
Conheça o Novo Acordo Ortográfico. 
- O motivo do Novo Acordo: unificação do Português nos diversos países que 
falam a língua. 
 
- Os países que assinaram o Acordo: Portugal, Brasil, Cabo Verde, São Tomé e 
Príncipe, Angola, Guiné-Bissau. 
 
- Aspectos de natureza gramatical não foram alterados com o Acordo. 
 
- As principais mudanças com o acordo afetam 0,5% das palavras. São elas: 
 
 
• Alfabeto: 26 letras (K, W e Y não eram consideradas letras do nosso alfabeto); 
• Acentuação de algumas palavras; 
• Uso do trema; 
• Uso do hífen. 
 
IMPORTANTE! O dicionário é uma fonte de consulta valiosa. Além de informar 
o(s) significado(s) da palavra, ele também é útil para conhecer o modo como ela deve 
ser escrita. Temos muitos dicionários on-line gratuitos. Além deles, uma obra de 
referência para sabermos mais sobre a grafia das palavras é o VOLP (Vocabulário 
Ortográfico da Língua Portuguesa), que está disponível em 
http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 9 
SAIBA MAIS (AULA 1) 
 
Leia mais sobre o conceito de texto e de textualidade em 
http://leandromarshall.files.wordpress.com/2012/02/texto-e-textualidade1.pdf e 
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/portugues/texto-voce-sabe-qual-o-
conceito.htm 
 
Assista a um vídeo sobre coesão textual no endereço: 
http://www.youtube.com/watch?v=dz6-QI5ActQ Tenha atenção a partir de 4 minutos 
e 48 segundos. 
 
Para ver mais exemplos de elementos de coesão em um texto, visite a página 
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/portugues/coesao-as-partes-de-sua-redacao-
formam-um-todo.htm 
 
Para conhecer o Novo Acordo Ortográfico, clique em 
http://michaelis.uol.com.br/novaortografia.php 
 
Para rever as regras de acentuação gráfica, clique em 
http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/fono9.php