A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
ANALISE TEXTUAL TIRA DUVIDAS

Pré-visualização | Página 1 de 4

COMENTANDO O “AVALIANDO O APRENDIZADO” DAS TURMAS DE ANÁLISE TEXTUAL
AULA 1:
Prezados, vamos comentar algumas questões que os alunos mais erraram no Avaliando o Aprendizado da aula 1.
A primeira questão é a seguinte:
	Tema: LÍNGUA E LINGUAGEM (Ref.: 174832)
�
	Pergunta
	Nas frases abaixo temos o mesmo significado, porém em idiomas diferente, vejam:
Estudar a nossa lingual é gratificante! (Português)
To study our language and rewarding! (Inglês)
 Die Studie unsere Sprache und lohnende! (Alemão)
 Com base no estudado podemos dizer que estamos citando exemplos de:
	
	
	Língua
	
	Linguagem
	
	Fala
	
	Cultura
	
	Tradução
Nessa questão, estávamos diante de três línguas diferentes.
As frases possuem o mesmo significado, mas em línguas diferentes.
Portanto, a única alternativa correta deveria ser “Língua”, porque estávamos citando exemplos de línguas diferentes (códigos diferentes).
�
Outra questão muito errada na Aula 1 foi esta:
	Pergunta
	Vamos ler um trecho de SER MINEIRO - Frei Betto
 
Mineiro fala um dialeto que só outro mineiro entende, como aquele sujeito que, à beira do fogão de lenha, ensinava o outro a fazer café. Fervida a água, o aprendiz indagou: "Pó pô pó?" E o outro respondeu: "Pó pô, pô".
Mineiro não fica louco; piora. Por isso, em Minas não se diz que alguém endoidou, mas sim que "se manifestou..."
Ser mineiro é comer goiabada de Ponte Nova, doce de leite de Viçosa, queijo do Serro, requeijão de Teófilo Otoni e linguiça de Formiga, tudo regado a pinga de Salinas. 
É cozinhar em fogão de lenha com panela de pedra sabão.
 
Na parte sublinhada temos um exemplo de:
	
	
	Regionalismo linguístico
	
	Linguagem vulgar
	
	Gírias
	
	Linguagem informal
	
	Linguagem formal
Comentário: A parte sublinhada continha um regionalismo linguístico (resposta certa), porque “Pó pô pó?” corresponde a “Pode pôr pó?”, referindo-se ao pó de café dentro daquele contexto. Portanto, se surgir alguma questão em que se reproduza algum modo de se falar de alguma parte do Brasil, muito provavelmente você estará de uma questão a respeito de regionalismo linguístico! Espero que todos acertem!
�
Outra questão bastante errada na aula 1:
	Pergunta
	O texto falado por um apresentador de telejornal é, geralmente, um texto:
	
	
	que pertence à modalidade falada.
	
	que pertence à modalidade escrita.
	
	que não permite planejamento antecipado.
	
	pouco planejado e no registro coloquial.
	
	no registro coloquial sem nenhuma marca da oralidade.
Trata-se de uma questão que depende de nosso conhecimento de mundo. É sabido por quase todos que os apresentadores de telejornais leem um texto que lhes é passado, num aparelho chamado teleprompt. Portanto, o que os apresentadores falam é fruto de um texto escrito. Por isso, a resposta deveria ser a segunda alternativa (a que diz que é um texto que pertence à modalidade escrita).
�
Vamos a mais um comentário. Outra questão bastante errada foi a seguinte:
	Pergunta
	Assinale a opção correta de acordo com a norma culta.
	
	
	Informaram que já são 1h30min.
	
	Somos nós quem fica feliz com o teu sucesso.
	
	Falta agora - atenção! - dois minutos para a meia-noite.
	
	Devem haver bastantes pessoas que ficarão contentes com as novas medidas.
	
	É necessário que identifique-se as pessoas envolvidas nas falcatruas.
Vamos por exclusão:
a) A primeira frase fornece uma hora no singular (1h), independentemente dos minutos. Por isso, devemos dizer que “já é 1h30min”. É uma hora.
b) Sobre a terceira frase, “Dois minutos” está no plural. Por esse motivo, o adequado é dizer “Faltam agora – atenção! – dois minutos para a meia-noite”.
c) Sobre a quarta frase, precisamos decorar que o verbo “haver” no sentido de “existir” nunca vai para o plural. Portanto, a frase deveria ser “Deve haver bastantes pessoas que ficarão contentes com as novas medidas”. Lembre-se de que “bastantes” é sinônimo de “muitos” ou de “muitas”. Logo, “bastantes” existe, sim!
d) A última frase está na voz passiva. Logo, o sujeito é “as pessoas envolvidas”. Assim sendo, o adequado é dizer “É necessário que identifiquem-se as pessoas envolvidas nas falcatruas”.
Portanto, a frase correta de acordo com a norma padrão de nossa língua só pode ser a segunda. Por quê? Porque a inversão estaria corretíssima também. Veja a inversão possível: “Quem fica feliz com o teu sucesso somos nós”. Se esta frase está adequada, a outra estará também.
�
AULA 2:
Vamos a uma questão que obteve um alto índice de erro na Aula 2:
	Pergunta
	Leia o texto a seguir:
 Comunicar-se é muito difícil... Um jovem médico está agora trabalhando numa cidadezinha do sertão, dentro de um plano do governo para assistir as populações do interior. Seu divertimento é anotar as queixas mais estranhas que o povo lhe apresenta. Um homem quer remédio para dor nas cruzes (coluna). Um jovem diz que sofre de estalecida (sinusite). Um velho esclarece: Semana passada, doutor, me deu um andaço à noite toda. Outro reclama que, quando consegue dormir, o galo já está amiudando. Um moço vem e diz: meu intestino é ruim, doutor, porque troca o estômago. Um terceiro conta que sua mulher vertiginou. A comadre manda por escrito suas queixas: Sinto uma frieza no coração, sinto um cansaço, sinto um desânimo na vida. Sinto os nervos agitados e um modo do entalo que danou-se. O jovem médico diz que, apesar da dificuldade de comunicação, ele sempre acaba entendendo as queixas dos pacientes. Mas um dia perdeu-se completamente. O matuto chegou e lhe disse muito firme: - Doutor, quero que o senhor bote minha mulher no ginásio. Uma ajudante, moça da terra, veio em seu socorro: - É parto, doutor. A maternidade funciona no prédio do ginásio.
De acordo com o texto, o médico tinha dificuldade para entender as queixas de seus pacientes, pois:
	
	
	ele não domina o repertório linguístico usado pelas pessoas do interior.
	
	ele não havia estudado o suficiente para compreender o que as pessoas diziam.
	
	ele aparentava não fazer muito esforço para compreender o que as pessoas diziam.
	
	ele dominava um vocabulário muito mais rebuscado que o das pessoas do sertão.
	
	seus pacientes usavam a língua de forma inadequada e incorreta.
Comentários: devido a regionalismos (palavras e expressões usadas em determinadas regiões, e não em outras), a alternativa correta deveria mesmo ser a primeira. O jovem médico não estava acostumado com as expressões usadas pelas pessoas daquele interior do sertão. Quanto à segunda alternativa, não há trecho no texto que indique que o jovem médico não havia estudado o suficiente para aquela finalidade. A terceira alternativa não poderia ser marcada porque também não nos é informado que ele não tinha boa vontade para compreender os regionalismos. Em determinado ponto do texto, inclusive, é-nos informado que o jovem médico até gostava de anotar as queixas mais estranhas que o povo lhe apresentava. A quarta alternativa não poderia ser marcada porque estaria contra os ensinamentos da Linguística, que nos ensina que não existe vocabulário melhor ou pior do que outro. Logo, não podemos atribuir julgamento de valor linguisticamente falando. A mesma justificativa serviria para não marcar a última alternativa, devido à palavra “incorreta”. Em Linguística, existe “adequado” e “inadequado”, e não “correto” e “incorreto”.
Outra questão bastante errada na Aula 2 foi esta:
	Pergunta
	Existe coesão quando temos palavras, expressões, isto é, conexões colocadas estrategicamente ao lado de outras para que se produza a sequência da mensagem com sentido. Existem diferentes tipos de coesão e elas são responsáveis, por assim dizer, de um fenômeno. Qual é?
	
	
	Tessitura do texto.
	
	Organização do texto.
	
	Democratização do texto.