A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
46 pág.
12. Determinação de Renda Keynesiana

Pré-visualização | Página 1 de 2

12. Renda e Despesa 
Gráfico 1 
Curva de Oferta Agregada 
Nível de 
Preços 
Produto 
Oferta Agregada 
P 0 
P 1 
Q 1 Q 0 
Gráfico 2 
Efeitos de uma política econômica restritiva 
Produto 
Produto 
Preços 
Produto 
Demanda Agregada 
Produto 
Oferta Agregada 
P 0 
P 1 
Q 1 Q 0 
Gráfico 3 
Efeitos de uma política econômica expansiva 
Produto
Produto
Preços
Produto
Demanda Agregada
Produto
Oferta Agregada
P 0
P 1
Y 1Y 0
Flutuações nos gastos de 
investimento e de consumo 
Renda disponível corrente e gastos de 
consumo das famílias americanas em 2003 
A função consumo 
Dados de consumo e poupança de uma família
Renda Consumo Poupança
Propenção 
marginal a 
consumir - MPC
Propenção marginal a 
poupar
Propenção 
média a 
consumir
Propenção 
média a 
poupar
0 1.800 -1.800 0,7 0,3 - -
4.000 4.600 -600 0,7 0,3 1,15 -0,15
5.000 5.300 -300 0,7 0,3 1,06 -0,06
6.000 6.000 0 0,7 0,3 1,00 0,00
7.000 6.700 300 0,7 0,3 0,96 0,04
8.000 7.400 600 0,7 0,3 0,93 0,08
9.000 8.100 900 0,7 0,3 0,90 0,10
10.000 8.800 1.200 0,7 0,3 0,88 0,12
11.000 9.500 1.500 0,7 0,3 0,86 0,14
A função consumo 
4.600
5.300
6.000
6.700
7.400
8.100
8.800
9.500
1.800
0
1.000
2.000
3.000
4.000
5.000
6.000
7.000
8.000
9.000
10.000
11.000
12.000
0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000 9000 10000 11000 12000
Renda
Co
ns
um
o
Consumo
45º
A função consumo 
A função consumo agregado 
 Função consumo: Mostra o nível de despesas 
que os consumidores estão dispostos a 
incorrer (na compra de bens e serviços), em 
todos os níveis de renda possíveis. 
 
 Keynes: “Os homens estão dispostos, quase 
sempre e em média, a aumentar seu consumo 
à medida que a sua renda aumenta, mas não 
pela quantia do aumento em sua renda”. 
A função consumo agregado 
•  A = C0 é o nível mínimo de consumo dos 
indivíduos (ou nível de subsistência). 
•  b = propensão marginal a consumir, sendo 
0 < b < 1 
bYaC +=
)(YfC =
YMPCCC ×+= 0
A função consumo agregado 
 No nosso exemplo numérico, a função 
consumo agregado seria: 
YC ×+= 7,0800.1
Deslocamento para cima da função 
consumo agregado 
Deslocamento para baixo da função 
consumo agregado 
Qual a renda de equilíbrio dessa 
economia? 
YOA =
DAOA =
CDA =
CY =
00 1
1 C
b
Y e ×
−
=
Introduzindo o investimento 
 O que determina o nível de investimento? 
•  Expectativas empresariais 
•  Taxas de juros 
Introduzindo o investimento 
 Demanda agregada com o 
investimento: 
DA = C + I 
O investimento e a determinação 
do equilíbrio da renda 
Determinação do equilíbrio da renda e do emprego (em $ milhões)
Renda Consumo Poupança
Propenção 
marginal a 
consumir - MPC
Propenção 
marginal a 
poupar
Investimento Demanda agregada
Acumulação 
de estoques 
(+) ou 
diminuição (-)
Nível de 
renda
0 100 -100 0,8 0,2 50 150 -150 Aumenta
100 180 -80 0,8 0,2 50 230 -130 Aumenta
200 260 -60 0,8 0,2 50 310 -110 Aumenta
300 340 -40 0,8 0,2 50 390 -90 Aumenta
400 420 -20 0,8 0,2 50 470 -70 Aumenta
500 500 0 0,8 0,2 50 550 -50 Aumenta
600 580 20 0,8 0,2 50 630 -30 Aumenta
700 660 40 0,8 0,2 50 710 -10 Aumenta
750 700 50 0,8 0,2 50 750 0 Equilíbrio
800 740 60 0,8 0,2 50 790 10 Diminui
900 820 80 0,8 0,2 50 870 30 Diminui
1.000 900 100 0,8 0,2 50 950 50 Diminui
O investimento e a determinação 
do equilíbrio da renda 
180
260
340
420
500
580
660
700
740
820
900
150
230
310
390
470
550
630
710
750
790
870
950
100
0
100
200
300
400
500
600
700
800
900
1.000
0 100 200 300 400 500 600 700 800 900 1000
Renda
Co
ns
um
o
Consumo
45º
C + I
Qual a renda de equilíbrio dessa 
economia? 
YOA =
DAOA =
ICDA +=
ICY +=
)(
1
1
00 ICb
Y e +×
−
=
Por que a economia 
tende ao equilíbrio? 
•  Se a OA > DA, remuneração dos fatores é 
maior que o gasto corrente (e a poupança é 
maior que o investimento). Com isso, 
empresas reduzem nível de produção. 
•  Se a OA < DA, remuneração dos fatores é 
menor que o gasto corrente. Os estoques (de 
períodos anteriores) se reduzem, 
estimulando o aumento da produção. 
Aumento do investimento. 
O que ocorre? 
Determinação do equilíbrio da renda e do emprego (em $ milhões)
Renda Consumo Poupança
Propenção 
marginal a 
consumir - MPC
Propenção 
marginal a 
poupar
Investimento Demanda agregada
Acumulação 
de estoques 
(+) ou 
diminuição (-)
Nível de 
renda
0 100 -100 0,8 0,2 100 200 -200 Aumenta
100 180 -80 0,8 0,2 100 280 -180 Aumenta
200 260 -60 0,8 0,2 100 360 -160 Aumenta
300 340 -40 0,8 0,2 100 440 -140 Aumenta
400 420 -20 0,8 0,2 100 520 -120 Aumenta
500 500 0 0,8 0,2 100 600 -100 Aumenta
600 580 20 0,8 0,2 100 680 -80 Aumenta
700 660 40 0,8 0,2 100 760 -60 Aumenta
750 700 50 0,8 0,2 100 800 -50 Aumenta
800 740 60 0,8 0,2 100 840 -40 Aumenta
900 820 80 0,8 0,2 100 920 -20 Aumenta
1.000 900 100 0,8 0,2 100 1.000 0 Equilíbrio
Aumento do investimento. 
O que ocorre? 
180
260
340
420
500
580
660
700
740
820
900
200
280
360
440
520
600
680
760
800
840
920
1000
100
0
100
200
300
400
500
600
700
800
900
1.000
0 100 200 300 400 500 600 700 800 900 1000
Renda
De
m
an
da
 (C
on
su
m
o,
 In
ve
st
im
en
to
) Consumo
45º
C + I
C + I + DI
Qual a renda de equilíbrio dessa 
economia? 
YOA =
DAOA =
IICDA Δ++=
IICY Δ++=
)(
1
1
00 IICb
Y e Δ++×
−
=
O Multiplicador do Investimento 
ICY += (1) 
ICICYY Δ+Δ++=Δ+ (2) 
Substituindo (1) em (2), temos: 
ICICYIC Δ+Δ++=Δ++ 
ICY Δ+Δ=Δ (3) 
 
Obs.: Lembrar que a MPC é: 
b
Y
C
=
Δ
Δ 
Logo: 
YbC Δ×=Δ (4) 
 
Substituindo (4) em (3), temos: 
IYbY Δ+Δ×=Δ 
 
O Multiplicador do Investimento 
Então: 
I
b
Y Δ×
−
=Δ
1
1 
 
Ou: 
I
MPC
Y Δ×
−
=Δ
1
1 
 
Ou: 
I
MPS
Y Δ×=Δ 1 
 
Dessa equação, 
MPC
K
−
=
1
1 
Sendo K o Multiplicador do 
Investimento 
 
O Multiplicador do Investimento 
Exemplo 1 Exemplo 2 
Se: Se: 
50=ΔI 100=ΔI 
MPC = 0,8 MPC = 0,5 
Partindo de: 
I
b
Y Δ×
−
=Δ
1
1 
 
Então: Então: 
50
8,01
1
×
−
=ΔY 100
5,01
1
×
−
=ΔY 
505×=ΔY 1002×=ΔY 
250=ΔY 200=ΔY 
 
Gráfico 3 
Efeitos de uma política econômica expansiva 
Produto 
Preços Demanda Agregada 
Oferta Agregada 
P 1 
Y 1 Y 0 
Qual a renda de equilíbrio de uma 
economia com Governo? 
YOA =
DAOA =
GICDA ++=
GICY ++=
)(
1
1
00 GICb
Y e ++×
−
=
Governo e a elevação da renda de 
equilíbrio 
Determinação do equilíbrio da renda e do emprego (em $ milhões)
Renda Consumo Poupança
Propenção 
marginal a 
consumir - MPC
Propenção 
marginal a 
poupar
Investi-
mento
Gasto do 
Governo
Demanda 
agregada
Acumulação 
de estoques 
(+) ou 
diminuição (-)
Nível de 
renda
0 100 -100 0,8 0,2 50 50 200 -200 Aumenta
100 180 -80 0,8 0,2 50 50 280 -180 Aumenta
200 260 -60 0,8 0,2 50 50 360 -160 Aumenta
300 340 -40 0,8 0,2 50 50 440 -140 Aumenta
400 420 -20 0,8 0,2 50 50 520 -120 Aumenta
500 500 0 0,8 0,2 50 50 600 -100 Aumenta
600 580 20 0,8 0,2 50 50 680 -80 Aumenta
700 660 40 0,8 0,2 50 50 760 -60 Aumenta
750 700 50 0,8 0,2 50 50 800 -50 Aumenta
800 740 60 0,8 0,2 50 50 840 -40 Aumenta
900 820 80 0,8 0,2 50 50 920 -20 Aumenta
1.000 900 100 0,8 0,2 50 50 1.000 0 Equilíbrio
Governo e a elevação da renda de 
equilíbrio 
180
260
340
420
500
580
660
700
740