A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Asfixia Perinatal E Consequências

Pré-visualização | Página 2 de 2

Sempre associada a seqüelas 
de longo prazo
Ideal ! entre 2º e 4º dias 
Fonte: Hill &Volpe, in Neonatologia, fisiopatologia e tratamento do recém-nascido, !
Avery, Fletcher e Mcdonald Medsi, 1999
Diagnóstico por Imagem 
4 dias 
Atenuação diminuída ! 
(necrose + edema)
4 meses 
Encefalomalácia 
multicística + atrofia
Diagnóstico
Exames
Eletroencefalograma 
Padrão descontínuo com supressão da voltagem e 
manifestações repentinas, rápidas, de atividade aguda e 
ondas lentas. 
!
!
 
 
!
 
Mau prognóstico
Patologia
Tipos de lesões
• Necrose neuronal seletiva 
(córtex; tálamo; cerebelo; corno anterior 
da medula)
• Lesão cerebral parassagital 
(junção das artérias cerebrais ! hipotensão)
• Estado marmóreo dos gânglios basais e do tálamo 
(necrose neuronal e da glia ! aspecto de mármore)
• Necrose cerebral focal e multifocal 
(infarto multifocal anterior)
• Leucomalácia periventricular 
(zonas arteriais terminais na subs. Branca)
Tratamento
o ventilação e perfusão 
 adequadas; !
o manutenção da pressão 
 arterial; !
o manutenção da normoglicemia; !
o controle de convulsões !
o correção de hipoxemia e 
 hipercapnia !
o prevenção da lesão secundária
 
Objetivos:
o ventilação mecânica 
!
o uso de aminas vasoativas; !
!!
o infusão adequada de glicose !
o uso de anticonvulsivantes !
o uso do óxido nítrico/ECMO !
o uso de hipotermia 
(corporal ou cefálica) 
Estratégias:
Tratamento
Tipos corporal ou cefálica !
Temperatura alvo 32 –34°C !
Início até 6h após o agravo !
Período 72h !
Critérios de inclusão acidose severa 
 Apgar do 10ºmin < 5 
 necessidade de 
 ventilação mecânica 
 EHI moderada/grave 
 (SARNAT)
Hipotermia
Tratamento
Hipotermia
 NEUROPROTEÇÃO!
Síndrome hipóxico-isquêmica- HIPOTERMIA !
Os mecanismos!
 -Redução no metabolismo energético cerebral,!
 -Supressão da morte celular programada, !
 -Supressão da acumulação de citotoxinas pós-isquêmica (por 
exemplo,radicais livres de oxigênio e óxido nítrico), !
 -Preservação de antioxidantes endógenos, proteção contra a peroxidação 
lipídica e !
 -Redução da acidose intracelular.
controle hipotermia
Fonte: Paulo 
Margotto
controle hipotermia
Asfixia Perinatal
Conseqüências
❑ Cardíaca e Vascular !!
❑ Lesões isquêmicas do miocárdio !!
❑ alterações enzimáticas (CPK e CPK-mb) !!
❑ alterações eletrocardiográficas (alterações de repolarização) !!
❑ insuficiência cardíaca (miocardiopatia dilatada) 
Asfixia Perinatal
Conseqüências
❑ Cardíaca e Vascular
❑ Hipotensão arterial e perfusão diminuída 
 !
❑ choque cardiogênico !!
❑ hipoxemia tecidual !!
❑ acidose metabólica 
Asfixia Perinatal
Conseqüências
❑ Cardíaca e Vascular
❑ Tratamento 
 
❑ digitalização (se necessário) !
❑ aminas vasoativas (dopamina; dobutamina) !
❑ oxigenioterapia
Asfixia Perinatal
Conseqüências
Hematológicas: 
Coagulação intravascular disseminada que ocorre por lesão do 
endotélio vascular, diminuição da produção de fatores da coagulação por 
acometimento hepático e por plaquetopenia decorrente de isquemia 
da medula óssea. 
!
!
Metabólicas: 
•Hiperglicemia devida à descarga adrenérgica ou hipoglicemia por depleção 
das reservas de glicogênio durante o processo de asfixia com glicólise anaeróbia. !
•Hipocalcemia: Provavelmente decorrente do aumento da carga de fosfato endógeno 
secundário à lesão celular hipóxica.